quinta-feira, 31 de maio de 2012

Pastor que manuseava serpentes durante culto como prova de fé morre picado por cascavel nos EUA

Pastor Mack Wolford, 44, prega enquanto manuseia uma serpente. Wolford morreu neste domingo (27), em decorrência de uma picada de um de suas cascavéis

O pastor pentecostal Mack Wolford, 44, da Virgínia Ocidental (EUA), que promovia a fé por meio do manuseio de serpentes, morreu neste domingo (27) após ser picado por uma cascavel, informa o “The Washington Post”.

Wolford era conhecido no estado por acreditar que a Biblia orienta os cristãos a manusear serpentes para testar sua fé em Deus e que, se picados, seriam curados pela fé, relata o jornal. O pai do pastor, também membro da igreja, manuseava os animais e morreu em situação semelhante, aos 39 anos.

O pastor tinha um cômodo em sua casa com oito serpentes venenosas, alimentadas com ratos, e costumava colocá-las em volta de seu pescoço, dançar com elas e até deitar perto delas. Ele já havia sido picado, diz a publicação

Ainda de acordo com o jornal, Wolford e outros adeptos da prática citam uma passagem bíblica que evoca o manuseio do animal e imunidade a picadas.

Morte

Wolford organizou um culto em um parque no domingo, 27, e chamou membros de sua igreja e familiares para que todos praticassem o manuseio de cobras. Durante o evento, o pastor se sentou perto de uma de suas cascavéis e recebeu uma mordida na coxa.

O pastor foi levado para casa, como nas outras vezes em que foi picado, mas não apresentou melhora, conforme o jornal. Médicos então o transferiram para o hospital, onde ele foi declarado morto.



Fonte: G1
---------

Agradando a homens

“Porque o reino de Deus não consiste no comer e no beber, mas na justiça, na paz, e na alegria no Espírito Santo, Rm 14: 17.

O comer e o beber na Bíblia são figura das coisas ligadas as concupiscências da carne, servem como motivo de consolação para os que não tendo mais esperança declaram: “comamos e bebamos que depois morreremos”. 1Co 15: 32

O evangelho foi anunciado para transformar o mundo por isso recebendo o título de “Boas novas”, era uma proposta revolucionária que visava mudar as coisas, e isso começaria a partir da mente humana renovada, conforme Rm 12: 1 e 2.

Tudo o que é novo assusta, pois cobra uma atitude, uma mudança, e nem todos ou a maioria não está disposta a aceitar que o seu modo ou método de vida não está correto. Aceitar mudar significa reconhecer estar errado aceitando a proposta de buscar um novo caminho sofrendo uma transformação.

Jesus ao pregar, anunciou apenas o que seu Pai lhe mostrava, não fez nenhuma concessão, nem mesmo para de se livrar do suplício e da cruz. Jesus tinha um objetivo, o de salvar aos homens, e isso nem sempre os agradaria. Jesus porém queria agradar a Deus e não aos homens.

O apóstolo Paulo também deixa isso claro ao declarar em 1Ts 2: 4 que nunca pregou para agradar aos homens, mas a Deus. Também, como fez Jesus, disse que não buscava a glória dos homens conforme Jo 5: 41 e 1Ts 2: 6. Pela salvação dos homens, Paulo foi açoitado com açoites e com varas, foi apedrejado, sofreu três naufrágios, passou uma noite no abismo, esteve em prisões, em perigos de morte, em perigos entre os judeus, entre os gentios, entre salteadores, no deserto, no mar e entre os falsos irmãos, em trabalhos e fadiga, vigília, fome, e sede, em jejum, frio, e nudez conforme 2Co 11: 23 a 27, isso prova que os desagradou.

Infelizmente hoje a igreja ou parte dela tem buscado ser agradável aos homens fazendo concessões e permitindo que o mundo entre através dela e a contamine com suas práticas. Homens dão glória a outros homens e assim todos se alimentam e saciam a sede de seus egos, e mutuamente se alegram em seus espíritos. Trocam assim a glória e o galardão eterno pelos títulos e glórias desta vida, amam as lisonjas e são vaidosos, desprezando as opiniões dos que não compactuam com suas práticas as quais não condizem com as do reino de Deus.

Lembramos o que diz Paulo sobre o reino de Deus: “porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz, e alegria no Espírito Santo. “Pois quem nisso serve a Cristo agradável é a Deus e aceito aos homens”, Rm 14: 18. Se buscarmos agradar aos homens, um dia descobriremos que, fomos desagradáveis aos homens por enganá-los e a Deus por não agradá-lo.




Fonte: Cláudio Pinto em Acorde e Discorde
-------------------------------------------

Revista Superinteressante publica matéria sobre trechos polêmicos e pouco utilizados da Bíblia para sermões por pastores

A revista Superinteressante publicou uma matéria com uma análise dos trechos bíblicos que geralmente não são usados por pastores para sermões.

A reportagem dos jornalistas Alexandre Verginassi e Tiago Cordeiro cita basicamente trechos do Velho Testamento, com exceção de uma menção ao milagre operado por Jesus na transformação de água em vinho (João 2: 7-10).

Sobre a proibição doutrinária em relação a bebidas alcoólicas, a matéria afirma que “O álcool nem sempre foi consumido com moderação na Bíblia”. O texto da matéria enfatiza que a bebida era tratada como algo comum: “A palavra ‘vinho’ é citada mais de 200 vezes, e os porres são frequentes: Noé é embebedado pelas filhas, e Amnon, filho de Davi, está mais pra lá do que pra cá quando é assassinada por ordem de seu irmão Absalão — a interessar: foi pelo crime de ter estuprado a própria irmã, Tamar”, menciona a reportagem.

A reportagem cita a opinião de um historiador sobre o assunto: “Os sacerdotes são orientados a não beber antes de entrar no tempo, e o álcool é relacionado à perda de controle pessoal e da capacidade de diferenciar o bem do mal. Mas nada no texto bíblico proíbe o consumo”, diz Marc Zvi Brettler, consultado pelos jornalistas para a matéria.

A reportagem fala ainda sobre as proibições em torno do sexo, recomendações a respeito de finanças e empréstimos a terceiros, e sobre saúde e educação.
-Ao longo da infância, os pais têm a obrigação de repassar a eles a palavra de Javé. Já o Novo Testamento é mais pedagógico, digamos assim: enfatiza a educação pelo bom exemplo dos pais – comenta a reportagem, a respeito das recomendações bíblicas.

O texto da reportagem sugere ainda que o rei Davi e seu amigo Jonatã tenham mantido relações homossexuais: “O amor entre homens era punido com a morte — a não ser que você fosse o rei Davi. Os livros Samuel I e Samuel II contam a história da amizade entre ele e Jonatã, filho do rei Saul, antecessor de Davi e candidato natural ao trono de Israel. Davi acaba escolhido para a sucessão, mas isso não abala o relacionamento dos dois. Está escrito: “A alma de Jonatã se ligou com a alma de Davi. E Jonatã o amou, como à sua própria alma” (Samuel I). Em outra passagem, Jonatã tira todas as roupas, entrega a Davi e se deita com ele. ‘E inclinou-se três vezes, e beijaram-se um ao outro’ (Samuel I)”, afirmam os jornalistas.

A matéria cita ainda um comentário do historiador finladês Martii Nissinem, da Universidade de Helsinki e escritor: “Esse relato incomoda os intérpretes tradicionais da Bíblia, que tentam explicar a relação como uma forte amizade, e o beijo como um costume comum entre homens. Mas é difícil negar a referência à homossexualidade nesse caso, mesmo que a lei judaica a proíba expressamente”, diz o historiador, autor do livro “Homoeroticism in the Biblical World (Homoerotismo no Mundo Bíblico, em tradução livre para o português)”.
Confira abaixo, os principais trechos da matéria:

Maridos e esposas

O Velho Testamento deixa claro que as mulheres deveriam ser funcionárias de seus maridos, com deveres e direitos. Se uma esposa fosse “demitida” pelo parceiro, por exemplo, ela podia ganhar uma carta de recomendação, para a moça utilizá-la como trunfo na hora de tentar uma vaga de mulher de outro sujeito.
A poligamia era regra. Tanto que o primeiro caso aparece logo no capítulo 4 do primeiro livro da Bíblia: “E tomou Lameque para si duas mulheres” (Gênesis). A situação era tão comum que vários dos personagens mais importantes do Antigo Testamento viviam com mais de uma esposa sob o mesmo teto. [...] Nunca na história do Livro Sagrado houve maior predador matrimonial que Salomão, o rei: foram 700 esposas. Setecentas de papel passado, já que o sábio soberano ainda mantinha 300 concubinas.
O Novo Testamento não cita tantos exemplos de poligamia, mas sugere que ela ainda era comum no século 1. Jesus não toca no assunto, mas, em duas cartas, são Paulo recomenda que os líderes da nova comunidade cristã tivessem apenas uma esposa porque “assim eles teriam mais tempo para dedicar aos fiéis”.
“O cristianismo só refuta a poligamia quando se aproxima do poder em Roma, que proibia essa prática”, afirma o historiador Marc Zvi Brettler. Como escreve santo Agostinho no século 5, “em nosso tempo, e de acordo com o costume romano, não é mais permitido tomar outra esposa”.
“As mulheres sejam submissas a seus maridos.”
(Colossenses, 3, 18)

Sexo

Uma série de regras estabelece como deve ser a vida sexual: toda mulher tem de se casar virgem, ou então poderá ser dispensada pelo marido.
As leis sexuais eram bem abrangentes: “Quem tiver relações com um animal deve ser morto”, diz o Êxodo. E a masturbação também não pode. Como diz o sutil são Paulo: “A mulher não pode dispor de seu corpo: ele pertence ao marido. E o marido não pode dispor de seu corpo: ele pertence à esposa.”
“O sexo na Bíblia é cheio de contradições”, diz o arqueólogo Michael Coogan, autor de God and Sex (Deus e o Sexo). “É de se desconfiar que fossem realmente levados a sério naquela época.”
“E possuiu também a Raquel, e amou também a Raquel mais do que a Lia.” (Gênesis, 29, 30)

Negócios e finanças

A cobrança de juros é proibida. As ordens se repetem ao longo da Bíblia, sempre em tom firme: “Não tomarás deles juros nem ganho” (Levítico). [...] Mas existe uma exceção: nos casos em que o empréstimo é concedido a um não judeu (“um estranho”, nas palavras de Deuterônimo) é permitido praticar a usura. Até por isso os judeus se tornaram os grandes banqueiros da Idade Média.
Se o Livro Sagrado proíbe a cobrança de juros, mas só entre judeus, o mesmo vale para a escravidão. Você pode ter escravos, contanto que “sejam das nações que estão ao redor de vós; deles comprareis escravos e escravas”, diz o Levítico.
“Ao estranho, emprestarás com juros.” (Deuteronômio 23:20)

Marvado vinho

O álcool nem sempre foi consumido com moderação na Bíblia. A palavra “vinho” é citada mais de 200 vezes, e os porres são frequentes: Noé é embebedado pelas filhas, e Amnon, filho de Davi, está mais pra lá do que pra cá quando é assassinada por ordem de seu irmão Absalão — a interessar: foi pelo crime de ter estuprado a própria irmã, Tamar.
“Os sacerdotes são orientados a não beber antes de entrar no tempo, e o álcool é relacionado à perda de controle pessoal e da capacidade de diferenciar o bem do mal. Mas nada no texto bíblico proíbe o consumo”, diz o historiador Marc Zvi Brettler.
O álcool chega a ser recomendado para curar os males da alma. Está em provérbios: “Daí bebida forte ao que está prestes a perecer, e o vinho aos amargurados de espíritos”.
E tem o primeiro milagre de Jesus: transformar água em vinho — segundo o evangelista João, no melhor vinho da festa.
São Paulo vai mais além: recomenda a um discípulo, Timóteo, que troque a água pelo vinho.
“O chefe do serviço provou [o vinho que Jesus criara a partir da água] e falou com o noivo: ‘Tudo guardaste o melhor vinho até agora!’” (João 2, 7-10)

Saúde e educação

[...] Ao longo da infância, os pais têm a obrigação de repassar a eles a palavra de Javé. Já o Novo Testamento é mais pedagógico, digamos assim: enfatiza a educação pelo bom exemplo dos pais. [...] Quando não funcionar, o Antigo Testamento indica que um bastão flexível deve ser usado para bater nos desobedientes. O objeto tem até nome, vara da correção, e é indicado para qualquer situação em que o pai considere que a criança não seguiu suas instruções. “A vara e a repressão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesa envergonha a sua mãe” (Provérbios).
“O sacerdote examinará a praga na pele da carne; se o pelo na praga se tornou branco, (…) é praga de lepra; o sacerdote o examinará, e o declarará por imundo.” (Levítico 13:3).

Homossexualidade

O amor entre homens era punido com a morte — a não ser que você fosse o rei Davi. Os livros Samuel I e Samuel II contam a história da amizade entre ele e Jonatã, filho do rei Saul, antecessor de Davi e candidato natural ao trono de Israel. Davi acaba escolhido para a sucessão, mas isso não abala o relacionamento dos dois. Está escrito: “A alma de Jonatã se ligou com a alma de Davi. E Jonatã o amou, como à sua própria alma” (Samuel I).
Em outra passagem, Jonatã tira todas as roupas, entrega a Davi e se deita com ele. “E inclinou-se três vezes, e beijaram-se um ao outro” (Samuel I). “Esse relato incomoda os intérpretes tradicionais da Bíblia, que tentam explicar a relação como uma forte amizade, e o beijo como um costume comum entre homens”, diz o historiador finlandês Martii Nissinem, da Universidade de Helsinki e autor de Homoeroticism in the Biblical World (Homoerotismo no Mundo Bíblico). “Mas é difícil negar a referência à homossexualidade nesse caso, mesmo que a lei judaica a proíba expressamente.”
Para alguns especialistas, o Antigo Testamento também sugere um relacionamento homossexual entre duas mulheres, Noemi e sua nora Rute. Está no livro de Rute um trecho em que ela diz a Noemi: “Aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu. Onde quer que morreres morrerei eu, e ali serei sepultada”.
“Estou angustiado por causa de ti, Jonatã. Mais maravilhoso me era teu amor do que o amor das mulheres.” (Samuel II 1, 26).

Sacrifício

Muito sangue jorra na Bíblia. Abraão é orientado a sacrificar seu próprio filho Isaac a Javé — e teria obedecido, caso um anjo não aparecesse no ultimo minuto dizendo ser tudo um teste para sua fé. Além disso, durante os 40 dias em que Abraão detalha suas regras ao patriarca, Deus exige uma série de sacrifícios de animais.
Os rituais são descritos com grande riqueza de detalhes. Moisés manda matar e drenar 12 bois. O sangue é colocado numa tina. Metade é lançada no altar e o resto sobre a multidão. Carneiros abatidos são esfregados no corpo de fiéis, que seguram seus rinas nas mãos para oferecê-los a Javé. Pedaços de bichos são queimados sobre o altar. Era uma forma de trocar favores com os deuses.
“O sangue é o maior símbolo da vida. Ao usá-lo em rituais, os fiéis reforçam seu vínculo com a divindade e se purificam”, diz Richard Friedman. [...] ”Na interpretação cristã posterior, o próprio Jesus é considerado o sacrifício final, que limpa os pecados da humanidade de forma definitiva, o que dispensa a morte de animais.”
“Derramar-se-a seu sangue me volta do altar. Será oferecida a cauda, a gordura que cobre as entranhas. Os dois rins e a pelo que recobre o fígado.” (Levítico 7, 2-4).

Crime e castigo

Sequestro, adultério, homossexualidade, prostituição…. Tudo dava pena de morte. Até fazer sexo com uma virgem poderia custar a vida do “criminoso”. Adorar outros deuses também trazia problemas sérios. Moisés mandou matar 3 mil judeus por causa disso.
O Levítico também manda matar prostitutas a pedradas. Não caso de a moça ser filha de um sacerdote, a punição é pior: “Com fogo será queimada”.
Em geral, a pena de morte por apedrejamento não precisava ser julgada pelos sacerdotes. A maioria dos crimes recebia punição na hora, diante de um grupo de pessoas que presenciaram a cena ou que estavam por perto da cena do crime.
O Antigo Testamento estabelece que toda mulher menstruada é tão impura que até mesmo os lugares onde ela senta devem ser evitados. Se um homem encostar na esposa, na mãe ou na irmã nesse período do mês, ele não pode sair de casa por sete dias. E, se o fizer, pode ter de pagar uma multa.
Como o Antigo Testamento não aceita o aborto, é crime provocá-lo, mesmo que por acidente, mas a pena depende da gravidade da situação.
Em caso de roubo e furto ou qualquer outro prejuízo ao patrimônio alheio, a pena é o pagamento de 4 vezes o valor do bem que foi levado ou destruído. Se a pessoa que cometeu a infração não tivesse condições de pagar, podia ser vendida como escrava.
“Quando houver moça virgem, desposada, e um homem a achar na cidade, e se deitar com ela, então trarei ambos à porta daquela cidade, e os apedrejareis, até que morram.” (Deuteronômio 22:23-24)


Fonte: Gospel+
--------------

Moisés no Twitter...

Padre deixa deficiente em "câmara frigorífica"

Tudo porque se recusou a comer. Um exemplo entre os diversos casos de mais tratos e abusos sexuais que recaem sobre um fransciscano

Foram três anos de terror, entre 2007 e 2010, no lar para deficientes São Francisco de Assis dos Irmãos da Cruz Branca, em Córdoba, Espanha. Um padre está sendo acusado de inúmeros crimes de maus-tratos e abuso sexual contra deficientes mentais. Manuel Ortiz era o diretor da instituição.

O Ministério Público pede 20 anos e meio de prisão.

Conclusão tirada após a análise dos fatos. Fatos como o caso do deficiente com uma incapacidade de 85 por cento que um dia não quis comer e que, por isso, o padre, o meteu dentro da câmara frigorífica.

O "El País" também relata o caso de outro deficiente mental a quem o padre teria golpedo na cabeça com uma muleta e ferido um braço, tal a violência das agressões.

Os deficientes agredidos nunca foram levados ao hospital.

Às acusações de maus-tratos somam-se as acusações de abusos sexuais, pelos quais o Ministério Público pede seis anos e meio de prisão.


Fonte: TVI 24h
--------------

Projeto de Igreja Batista tira jovens das drogas

Drogas são vendidas em cafeterias na Holanda

Realizado nas dependências da igreja Batista da Redenção, um projeto usa o esporte como ferramenta para prevenir e resgatar crianças e adolescentes do 'mundo das drogas’. Ele oferece diversas atividades esportivas, entre elas futsal e capoeira.

O projeto é dirigido pelo pastor Leandro Ribeiro e vem sendo desenvolvido desde setembro de 2009, de acordo com informações da publicação Globo. Segundo ele, o projeto objetiva proporcionar a prática esportiva para crianças ociosas, envolvendo-as também na prática religiosa, priorizando a escola, o respeito e, fundamentalmente, disciplina.

“Nossa responsabilidade é descobrir com os pais o comportamento em casa e na escola dessas crianças. Depois iniciamos o trabalho com o esporte e damos a oportunidade de deixá-las com a mente ocupada e fora de qualquer envolvimento prejudicial”, disse Leonardo Ribeiro, segundo a Globo.com.

“Não penso mais em usar drogas”, afirmou jovem menor de 17 anos resgatado pelo projeto, com menos de um ano no projeto, a capoeira ajudou a recuperar o adolescente João (nome fictício).

“Eu me vejo nessas crianças. Eu tinha uma vida totalmente errada, em meio às drogas e tráfico. Passava a maior parte do tempo nas ruas. Mas aqui eu reencontrei alguns amigos da capoeira, me reconciliei e estou recuperando meus estudos. Não penso mais em usar drogas”, afirmou o estudante, segundo mesma publicação.

O projeto é realizado na quadra Nehemias Coimbra dos Santos, nas dependências da igreja Batista da Redenção, na Avenida Ayrão, as segundas, quartas e sextas-feiras, das 17h às 20h.



Fonte: The Christian Post
-------------------------

Ninguém ri de Deus no hospital

Esta canção é um primor. Reflexão para ateus... e para alguns de nós?



Veja a tradução a seguir

Regina Spektor - Laughing With
Regina Spektor - "Rindo com"

No one laughs at God in a hospital
Ninguém ri de Deus em um hospital
No one laughs at God in a war
Ninguém ri de Deus em uma guerra
No one´s laughing at God when they´re starving or freezing or so very poor
Ninguém está rindo de Deus quando está passando fome, frio ou é muito pobre
No one laughs at God when the doctor calls after some routine tests
Ninguém ri de Deus quando o médico liga depois de alguns exames de rotina
No one´s laughing at God when it´s gotten real late
Ninguém está rindo de Deus quando ficou muito tarde
And their kid´s not back from the party yet
E o seu filho ainda não voltou da festa
No one laughs at God when their airplane starts to uncontrollably shake
Ninguém ri de Deus quando seu avião começa a tremer incontrolavelmente
No one´s laughing at God when they see the one they love
Ninguém está rindo de Deus quando vê a pessoa que ama
Hand in hand with someone else and they hope they´re mistaken
De mãos dadas com alguém e espera estar enganado
No one laughs at God when the cops knock on their door
Ninguém ri de Deus, quando a polícia bate em sua porta
And they say we got some bad news sir
E diz "Temos más notícias, senhor!"
No one´s laughing at God when there´s a famine fire or flood
Ninguém está rindo de Deus quando há fome, incêndio ou inundação
But God can be funny
Mas Deus pode ser engraçado
At a cocktail party when listening to a good God-themed joke
Em um coquetel, quando se ouve uma boa piada sobre Ele
Or when the crazies say He hates us
Ou quando os loucos dizem que "Ele nos odeia"
And they get so red in the head you think they´re ´bout to choke
E ficam tão vermelhos que parece que vão se engasgar
God can be funny
Deus pode ser engraçado
When told he´ll give you money if you just pray the right way
Quando lhe é dito que ele lhe dará dinheiro se você ora do jeito certo
And when presented like a genie who does magic like Houdini
E quando é apresentado como um gênio que faz magia como Houdini
Or grants wishes like Jiminy Cricket and Santa Claus
Ou concede desejos como o Grilo Falante e Papai Noel
God can be so hilarious
Deus pode ser tão divertido
Ha ha
No one laughs at God in a hospital
Ninguém ri de Deus em um hospital
No one laughs at God in a war
Ninguém ri de Deus em uma guerra
No one´s laughing at God when they´ve lost all they´ve got
Ninguém está rindo de Deus perdeu tudo que tinha
And they don´t know what for
E não sabe por quê
No one laughs at God on the day they realize that the last sight they´ll ever see
Ninguém ri de Deus no dia em que percebe que a última visão que terá
Is a pair of hateful eyes
são dois olhos cheios de ódio
No one´s laughing at God when they´re saying their goodbyes
Ninguém está rindo de Deus quando está dizendo adeus
But God can be funny
Mas Deus pode ser engraçado
At a cocktail party when listening to a good God-themed joke
Em um coquetel, quando se ouve uma boa piada sobre Ele
Or when the crazies say He hates us
Ou quando os loucos dizem que "Ele nos odeia"
And they get so red in the head you think they´re ´bout to choke
E ficam tão vermelhos que parece que vão se engasgar
God can be funny
Deus pode ser engraçado
When told he´ll give you money if you just pray the right way
Quando lhe é dito que ele lhe dará dinheiro se você ora do jeito certo
And when presented like a genie who does magic like Houdini
E quando é apresentado como um gênio que faz magia como Houdini
Or grants wishes like Jiminy Cricket and Santa Claus
Ou concede desejos como o Grilo Falante e Papai Noel
God can be so hilarious
Deus pode ser tão divertido
No one laughs at God in a hospital / No one laughs at God in a war (3x)
Ninguém ri de Deus em um hospital / Ninguém ri de Deus em uma guerra (3x)
No one´s laughing at God when they´re starving or freezing or so very poor
Ninguém está rindo de Deus quando está passando fome, frio ou é muito pobre
No one´s laughing at God (4x)
Ninguém está rindo de Deus (4x)
We´re all laughing with God
Estamos todos rindo com Deus



Fonte: Não Obrigado
-------------------

Peça teatral "Mateus, 10" aborda culpa, alienação e fé através de um pastor obcecado

Grupo apresenta espetáculo na Casa das Rosas com dez espectadores por sessão.

Com referências a Bartleby, o escriturário, de Hermann Melville, e Crime e castigo, de Dostoiévsky, a trama começa quando um pastor fica obcecado pelo texto bíblico Mateus, 10 e deseja formar uma nova doutrina. O deslocamento do público colabora para atmosfera de suspense e realismo.

Depois de ocupar os espaços públicos com Helena Pede Perdão e é Esbofeteada, o grupo Tablado de Arruar explora a arquitetura interna da Casa das Rosas com novoespetáculo Mateus, 10.

Com texto de Alexandre Dal Farra, que divide a direção com João Otávio, a peça estreia dia 1º de junho, sexta-feira, às 20 horas, na edícula da Casa das Rosas, na Avenida Paulista, 37. No elenco, Alexandra Tavares, Alexandre Quintas, Amanda Lyra, Clayton Mariano, Ligia Oliveira e Vitor Vieira.

Com referências a Bartleby, o escriturário, de Hermann Melville, e Crime e castigo, de Dostoiévsky, o espetáculo levanta questões como a culpa, a alienação e a fé, por meio da trajetória de um pastor que leva a sério demais o que ele mesmo prega. Sexto texto de Alexandre Dal Farra, quinto escrito e montado pelo Tablado de Arruar, consolida o projeto de pesquisa do grupo para a criação de uma dramaturgia e interpretação que aliam a pesquisa de linguagem ao pensamento político e social.

A encenação ocupa a edícula da Casa das Rosas e recebe dez pessoas por apresentação. Poucos elementos cênicos valorizam o espaço e a interpretação dos atores. “O espectador se desloca pelos pequenos cômodos onde as cenas se desenrolam. A plateia é colocada dentro da ação, sem que, no entanto, participe dela.

Os quartos pequenos contribuem para um sentimento claustrofóbico e esse jogo com o público colabora para uma atmosfera de suspense”, explica o diretor João Otávio. “Existe uma quarta parede, mas a ação acontece muito perto, como se você estivesse dentro da cena. Apostamos nessa imersão para ressaltar o aspecto de realismo”, completa Alexandre Dal Farra.

Otávio é um pastor em ascensão que entra em crise com sua atividade, quando se apega de forma quase obsessiva a uma passagem da bíblia em que Jesus renega sua família, mãe e irmãos, em função dos seus seguidores e discípulos. A partir de então, Otávio passa a desenvolver e a pregar uma nova doutrina. O desejo obsessivo de negar o conhecido em função do novo, a qualquer custo, o leva à beira da loucura.

Para instaurar uma nova ordem ele precisa de um fato que mude os rumos da sua vida e é a partir dessa atitude que a trama se desenrola. “A peça trata sobre o processo de decisão e da formulação do pensamento e até que ponto o imprevisível pode acontecer”, analisa João Otávio.

No segundo ato da peça, Carlos, marido de Thereza, figura ambígua que invade a vida de Otávio, promove um churrasco em sua casa, onde os fatos virão à tona sem que tomem o rumo esperado pelo pastor. Otávio tenta confessar seu crime, o que não é aceito pelos outros. Ele acaba por ser expulso da igreja, no entanto, nenhuma nova ordem se instaura. “Nada se transforma, não por conta de uma força inexplicável, mas porque simplesmente algumas pessoas não permitem. O novo, seja em um sentido positivo ou negativo, simplesmente não é aceito”, conclui Dal Farra.

Sobre o Tablado de Arruar
O grupo surgiu em 2001 e, inicialmente, tinha o objetivo de trabalhar com teatro de rua, para que pudesse se aproximar do tema que mais interessava aos integrantes: a metrópole e suas contradições. Durante seis anos de trabalho intenso nas ruas, o grupo criou três espetáculos e apresentou-se em diversos espaços e cidades, mas, sobretudo, no centro de São Paulo. A partir da primeira peça "A Farsa do Monumento", que partia de linguagens mais tradicionais do teatro de rua, o grupo investigou diversasmaneiras de tratar a temática central de seu trabalho – a vida urbana e seus conflitos numa megalópole como São Paulo.

Decorrente dessas pesquisas surgiu a necessidade de se dirigir para a sala, no intuito de esmiuçar assuntos que a rua não permitia tratar, pelas suas características próprias, e principalmente para colocar o próprio fazer artístico em questão, num caminho mais autocrítico. Numa colaboração Brasil-Alemanha, Novos Argonautas – Hautaus Gold, de 2010, foi escrita, ensaiada e concebida em conjunto com o diretor Tillman Köhler e sua equipe de trabalho. Quem vem lá, é o resultado de longas pesquisas, iniciadas sob a orientação do dramaturgo Reinaldo Maia em 2007, sobre o texto Hamlet, de Shakespeare, que serviu como pretexto para problematizar o fazer artístico e os limites ao engajamento político de nossa geração – visando também a um acerto de contas com a geração anterior, personificada no espectro do pai. Em 2010, ocupa novamente o espaço público com a peça Helena Pede Perdão e é Esbofeteada, com texto de Alexandre Dal Farra e direção de João Otávio.

O grupo foi contemplado três vezes pela Lei Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo e pelos prêmios FUNARTE Myriam Muniz e Caravana Petrobrás-FUNARTE. No âmbito internacional, o grupo já recebeu apoio do Fundo de Cultura Alemão (Kulturstiftung des Bundes). Participaram de importantes festivais nacionais, comoa Mostra Oficial do Festival de Teatro de Curitiba, FIT de São José do Rio Preto, Tempo Festival-RJ e mostras de relevo; e já foram apresentadas em inúmeras cidades do país e no exterior, em Berlim.

Para serviço:
MATEUS, 10 – Estreia dia 1º de junho, sexta-feira, às 20 horas, na Casa das Rosas.

Texto - Alexandre Dal Farra.

Direção Geral - Alexandre Dal Farra e João Otávio.
Elenco - Alexandra Tavares, Alexandre Quintas, Amanda Lyra, Clayton Mariano, Ligia Oliveira e Vitor Vieira.
Direção de Atores - João Otávio.
Direção de Arte e Cenografia: Clayton Mariano e Eduardo Climachauska.
Figurinos - Melina Schleder.
Iluminação: Davi de Brito.
Trilha Sonora - Alexandre Dal Farra.
Direção de Produção - Tablado de Arruar.
Produção Executiva - Paulo Arcuri. Fotos - Cris Lyra.
Concepção - Tablado de Arruar.
Temporada – 1 de junho a 22 de julho. De quinta adomingo.
Horários - Quintas, sextas e sábados às 20h e domingos às 15h30.
Duração - 120 minutos. Gratuito. Indicado para maiores de 14 anos.
Capacidade: 10 lugares. Reserva de ingressos e informações - 11 5947 0360.

Obs.: dia 7 de junho, feriado de Corpus Christi, não haverá apresentação.

Casa das Rosas - Av. Paulista, 37. Fone (11) 3285 6986. www.casadasrosas.sp.gov.br



Fonte: Blog Versão Cultural
--------------------------

Quatro razões básicas para a rejeição da doutrina da perda da salvação

O ensino bíblico que afirma que o crente não perde a salvação é chamado tecnicamente de doutrina da perseverança dos santos. Trata-se de um dos temas principais defendidos pelo Calvinismo. Essa doutrina teve como maior oponente dentro do Protestantismo o sistema idealizado pelo teólogo holandês Jacó Armínio (1560-1609). Entre outras coisas, o Arminianismo nega a fórmula “uma vez salvo, salvo para sempre”. Ainda que esse modelo tenha sido condenado pelo Sínodo de Dort (1618-1619), muitas igrejas evangélicas modernas o adotam, sendo possível encontrar seus expoentes entre batistas, assembleianos (principalmente) e presbiterianos (surpreendentemente).

Há pelo menos quatro razões básicas para rejeitar a doutrina da perda da salvação:

1. A salvação abrange uma seqüência de ações de Deus que começa na eternidade passada e se conclui com a glorificação perene no futuro (Rm 8.29-30)

Considerando a soberania e o poder de Deus, essa seqüência não pode ser frustrada ou interrompida. De fato, na referência acima vê-se que a corrente da salvação mostra seu elo inicial quando Deus conhece de antemão e predestina aqueles a quem decide alcançar. Em seguida, ele chama e justifica essas pessoas, glorificando-as finalmente. Evidentemente, não há como quebrar esse processo, estando a salvação garantida, inclusive, pelo selo do Espírito
(Ef 1.13-14). Ademais, é absurdo conceber o Deus da Bíblia como um ser incapaz, que predestina alguém para salvar, chama-o e o justifica, mas no fim não consegue glorificá-lo.

2. A salvação implica “novo nascimento”

Jesus ensinou que o homem salvo é aquele que nasceu de novo pela fé nele, podendo agora ver o Reino celeste (Jo 3.3). Sabe-se também que quem nasce de novo se torna filho de Deus (Jo 1.12-13; 1Jo 5.1). Evidentemente, para perder essas bênçãos, o crente teria que “desnascer”. E mais: se quisesse recuperá-las teria de nascer de novo de novo. Ora, essas possibilidades não existem nas Escrituras. Nascer de novo ou ser regenerado, tornando-se filho de Deus, é experiência única e, infalivelmente, resulta na salvação do crente (Gl 3.26-29).

3. A salvação não pode ser atribuída a pessoas que professaram temporariamente a fé

Várias passagens bíblicas falam de pessoas que, participando da comunhão dos crentes, testemunharam e até experimentaram bênçãos maravilhosas, caindo, em seguida, na apostasia (Hb 6.4-6). Não é correto, porém, dizer que essas pessoas perderam a salvação. Na verdade, elas nunca foram salvas (1Jo 2.19). Isso é evidente porque aprendemos na Parábola do Semeador que a prova da fé salvadora é a perseverança (Mt 13.1-23). Quem não persevera nunca foi de fato salvo (1Ts 5.23-24; Hb 10.39; 1Pe 5.10; 1Jo 5.4-5).

4. A salvação não pode ser anulada pelo pecado individual do crente

Em 1Coríntios 5.1-5, Paulo fala de um crente que tinha envolvimento sexual com a mulher do próprio pai. Era um pecado tão grave que ele diz não ser comum nem mesmo entre os pagãos (v.1), devendo esse homem ser “entregue a Satanás” (v. 5), o que significa ser expulso da igreja (v.13). Isso, porém, não fez com que ele perdesse a salvação. Na verdade, Paulo diz que a disciplina poderia trazer a destruição do corpo, mas que o espírito daquele homem seria salvo (v.5). Ademais, em 1João 2.1, aprendemos que se algum crente pecar, isso não gera sua condenação eterna, mas sim sua defesa, feita por um “Advogado junto ao Pai: Jesus Cristo, o justo”.

Essas são apenas algumas razões pelas quais devemos rejeitar a doutrina da perda da salvação.

Outros textos que falam da segurança do crente são João 10.28-29; Romanos 8.33-34; 1Coríntios 3.15 e Hebreus 7.25.




Fonte: Pr. Marcos Granconato em Igreja Batista da Redenção
----------------------------------------------------------

Igreja proíbe fieis de lançarem cinzas dos mortos

Nove em cada 100 funerais realizados em Portugal são cremações

A Igreja Católica não se opõe à cremação, mas «proíbe» aos seus fieis fazerem lançamento das cinzas do corpo humano à terra, ao mar ou ao vento, defendendo ser essencial conservá-las "com dignidade".

Segundo o novo Ritual para a Celebração das Exéquias da Conferência Episcopal Portuguesa, "não se deve lançar as cinzas do corpo humano à terra, mas sim enterrá-las num sítio adequado ou depositá-las num nicho ou columbário".

"O que se pede é que as cinzas sejam conservadas com respeito, porque são cinzas de uma pessoa, de uma vida, de uma história, e, portanto, não podem ser objeto de decoração ou até de um sentimento mórbido. O que é pedido é que sejam conservadas em dignidade", explicou à agência Lusa Luís Manuel Pereira, pároco da Sé de Lisboa.

Para o cónego, «acima de tudo, o que se deve evitar é um uso abusivo daquilo que são os restos mortais de outra pessoa». "Não cabe na cabeça de nenhum de nós andar com as cinzas de alguém querido atrás de si", comentou.

O cónego Luís Manuel Pereira referiu que, atualmente, "é completamente aceite que um cristão deseje que, uma vez morto o seu corpo, seja cremado".

O documento que permite a prática da cremação aos cristãos foi aprovado em 1963 pelo Papa Paulo VI, quando considerou que esta não contradiz a doutrina da Igreja sobre a ressurreição.

"Até ao século passado, a Igreja não olhava a cremação como uma forma própria dos cristãos tratarem o seu corpo quando morriam. Preferencialmente, a Igreja ainda hoje mantém a inumação (enterro) como o ideal, até no sentido de ser a própria forma como Jesus foi sepultado", assinalou.

Nove em cada 100 funerais realizados em Portugal são cremações, número que mais do que quadruplicou na última década e que não foi afetado pela crise, disse à Lusa o presidente da Associação Portuguesa dos Profissionais do Setor Funerário.

Segundo Paulo Carreira, nos últimos 10 anos, o número de cremações passou de 2053, em 2001, para 8948, no ano passado, essencialmente devido à maior quantidade de fornos crematórios em Portugal (dois em 2001 para 16 em 2011).

"Não vejo que a crise influencie o aumento do número de cremações, tem sim havido uma tendência para escolher serviços mais baratos", salientou Paulo Carreira, segundo o qual os dados são recolhidos nas câmaras municipais ou juntas de freguesia.

O presidente da Associação Portuguesa dos Profissionais do Setor Funerário (APPSF) sublinha que a cremação pode mesmo constituir um fator de poupança, porque "permite reduzir o custo a prazo, uma vez que não será necessário colocar lápide ou fazer a exumação dos restos mortais".

Paulo Carreira revelou que, em Portugal, o destino a dar às cinzas é livre, pelo que depois da cremação, a família recebe os restos mortais numa urna própria para o efeito e «pode fazer deles o que quiser».

Há até algumas novidades neste mercado, como «uma urna de cinzas especial para poder plantar uma árvore».

"As pessoas muitas vezes querem regressar às origens e aí podem plantar uma árvore que é uma urna de cinzas que tem um reservatório para colocar cinzas e por cima e tem um reservatório para colocar terra com fertilizante e sementes", explicou Paulo Carreira.

De acordo com a mesma fonte, existem ainda outras opções, que "passam por uma urna de cinzas que não se assemelha em nada a uma urna". "É um objeto que só a pessoa sabe o que é, mas que não é chocante ser colocado em sua casa", explicou.

Entre o leque de opções, há ainda a possibilidade de ser produzido um diamante a partir das cinzas resultantes da cremação, um processo que demora entre quatro a 12 semanas, disse Paulo Carreira.

"É um pequeno diamante que é colocado num estojo apropriado de forma a ser uma memória eterna da pessoa falecida. Esse diamante pode ficar no estojo ou pode ser colocado num adorno que seja pessoal e íntimo da família", explicou o presidente da APPSF.



Fonte: TVI 24h
--------------

Provérbios 4

Ouçam, meus filhos, a instrução de um pai;
estejam atentos, e obterão discernimento.
O ensino que lhes ofereço é bom;
por isso não abandonem a minha instrução.
Quando eu era menino, ainda pequeno, em companhia de meu pai,
um filho muito especial para minha mãe,
ele me ensinava e me dizia:
"Apegue-se às minhas palavras de todo o coração;
obedeça aos meus mandamentos, e você terá vida.
Procure obter sabedoria e entendimento;
não se esqueça das minhas palavras nem delas se afaste.
Não abandone a sabedoria, e ela o protegerá;
ame-a, e ela cuidará de você.
O conselho da sabedoria é: procure obter sabedoria;
use tudo que você possui para adquirir entendimento.
Dedique alta estima à sabedoria, e ela o exaltará;
abrace-a, e ela o honrará.
Ela porá um belo diadema sobre a sua cabeça
e lhe dará de presente uma coroa de esplendor".
Ouça, meu filho, e aceite o que digo,
e você terá vida longa.
Eu o conduzi pelo caminho da sabedoria
e o encaminhei por veredas retas.
Assim, quando você por elas seguir,
não encontrará obstáculos;
quando correr, não tropeçará.
Apegue-se à instrução, não a abandone;
guarde-a bem, pois dela depende a sua vida.
Não siga pela vereda dos ímpios
nem ande no caminho dos maus.
Evite-o, não passe por ele; afaste-se e não se detenha.
Pois eles não conseguem dormir enquanto não fazem o mal; p
erdem o sono se não causarem a ruína de alguém.
Pois eles se alimentam de maldade, e se embriagam de violência.
A vereda do justo é como a luz da alvorada,
que brilha cada vez mais até à plena claridade do dia.
Mas o caminho dos ímpios é como densas trevas;
nem sequer sabem em que tropeçam.
Meu filho, escute o que lhe digo;
preste atenção às minhas palavras.
Nunca as perca de vista;
guarde-as no fundo do coração,
pois são vida para quem as encontra
e saúde para todo o seu ser.
Acima de tudo, guarde o seu coração,
pois dele depende toda a sua vida.
Afaste da sua boca as palavras perversas;
fique longe dos seus lábios a maldade.
Olhe sempre para a frente,
mantenha o olhar fixo no que está adiante de você.
Veja bem por onde anda,
e os seus passos serão seguros.
Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda;
afaste os seus pés da maldade.



--------------------------------

A Palavra de Deus na língua do povo Tuareg

Em visita à SBB, missionário Diabate Moussa fala sobre o sonho de traduzir a Bíblia no idioma de sua etnia

Levar a Palavra de Deus que fala ao coração do povo Tuareg, constituído por pastores seminômades, agricultores e comerciantes que vivem na região do deserto do Sahara. Esse é o sonho do missionário e professor tuareg Diabate Moussa, que visitou a sede nacional da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), em 24 de maio, com a missionária Inácia Maria dos Santos, da Igreja Assembleia de Deus do Jardim América, localizada em Cariacica (ES).

Com o auxílio da Sociedade Bíblica, Moussa deseja iniciar o trabalho de tradução das Escrituras Sagradas para o seu povo. “Não há uma linha traduzida da Bíblia para os tuaregues. E a melhor maneira deles conhecerem Jesus Cristo como seu salvador é por meio da Palavra”, disse.

Majoritariamente muçulmanos, a etnia Tuareg não está fixada em um único país, distribuindo-se pelo sul da Argélia, norte do Mali, Níger, sudoeste da Líbia, Chade e, em menor número, em Burkina Faso, e no leste da Nigéria. Eles são encontrados em praticamente todas as partes do deserto do Sahara.

Nascido em Bamako, capital do Mali, Moussa converteu-se ao cristianismo com 17 anos. Ao escolher a fé cristã, o professor tuareg foi deixado de lado pela família, tendo de trabalhar para se manter e custear seus estudos. Graduou-se em Ciências da Educação, seguindo a carreira de professor. Além do dialeto de seu povo, Moussa fala fluentemente o francês. “No início, só ajudava a missão financeiramente. Até que fui tocado para servi-lo. Percebi que para meu povo reencontrar Jesus Cristo, era preciso levar a sua Palavra”, disse.

Moussa explicou que as tradições culturais exibe a raiz cristã do povo tuareg. “Somos monogâmicos e a mulher é extremamente respeitada. Caso um marido traia sua esposa, ele é expulso da sociedade e obrigado a deixar a aldeia”, disse. O missionário não soube quantificar se há outros tuaregues cristãos. “Em alguns países do norte da África, cuja cultura predominante seja o islã, declarar sua fé em Jesus Cristo pode levar a morte”, afirmou Moussa, que sonha levar a Bíblia Sagrada para todo o seu povo.

“Nessa visita, tive a oportunidade de conhecer Bíblias para pregadores, mulheres, adolescentes, jovens, crianças, e até para deficientes visuais. Se Deus tem permitido que essas pessoas tenham acesso à sua Palavra, tenho certeza que o povo tuareg poderá ler a Palavra na língua que fale ao seu coração”, complementou.



Fonte: Sociedade Bíblica do Brasil (SBB)
----------------------------------------

Falsos Envagelhos

"Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses deveres, pois, fazendo isso, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que o ouvem." (1 Timóteo 4:16)

Não se enganem: o diabo é um mestre manipulador e imitador. Uma de suas táticas mais eficazes é imitar, oferecendo uma versão falsificada suficientemente próxima para ser crível, mas suficientemente longe de ser prejudicial. E ele fez isso com o evangelho. Acredito que muito do que ouvimos hoje, que é oferecido como pregação do evangelho, na verdade é um falso evangelho.

É por isso que a Escritura diz que os crentes devem "manejar corretamente a palavra da verdade" (2 Timóteo 2:15). O apóstolo Paulo advertiu contra o afastamento do evangelho, quando escreveu:

Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho que, na realidade, não é o evangelho. O que ocorre é que algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter o evangelho de Cristo. Mas ainda que nós ou um anjo do céu pregue um evangelho diferente daquele que lhes pregamos, que seja amaldiçoado! (Gálatas 1:6-8).

Um falso evangelho iria lhe dizer que tudo o que você tem a fazer é acreditar, mas não diria que você precisa se arrepender. Um falso evangelho iria lhe dizer: há um céu, mas não lhe avisaria que existe um inferno. Esse não é o verdadeiro evangelho. Pense em arrependimento e fé como duas asas de um avião: você precisa de ambas. Ou pense em arrependimento e fé como duas faces de uma moeda: elas estão conectadas. Acreditar é agarrar-se em alguma coisa. Arrependimento é deixar alguma coisa.

Paulo escreveu ao jovem pastor Timóteo e advertiu: "Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses deveres, pois, fazendo isso, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que o ouvem" (1 Timóteo 4:16). Precisamos manter tanto a nossa compreensão como a nossa apresentação do evangelho fiéis à Palavra de Deus.



Fonte: Devocionais Diários
-------------------------

Um mutirão de oração pelas crianças

Acontece no próximo fim de semana (começando na sexta-feira) o 17º Mutirão de Oração Por Crianças e Adolescentes em Vulnerabilidade Social. Trata-se de um esforço espiritual amplo de cristãos de vários países em favor das crianças que vivem em situações de grande risco social. Igrejas, organizações sociais, empresas, movimentos e ministérios de todo o Brasil são convidados a participar. É possível fazer download do material de apoio, que inclui o Guia de Oração (para crianças e adultos) e uma apresentação (em PowerPoint).

Encorajados pela famosa oração de Jesus, o “Pai Nosso”, os participantes podem orar por motivos específicos relacionados à atual realidade enfrentada pelos pequeninhos. Leia no final um resumo do conteúdo da campanha deste ano.

Uma das perguntas do Guia de Oração da campanha é “por que orar por crianças em risco?”. A resposta é fundamental: “Porque a oração é poderosa. Porque Deus realmente ouve e responde. E porque quanto mais tempo o povo de Deus passar com ele, mais parecido com ele nos tornamos e assim mais saberemos como viver o seu amor pelas crianças em risco”.

No ano passado, a Viva (organização sediada na Inglaterra e responsável pela campanha) realizou uma pesquisa e constatou que 61% dos participantes tinham menos de 18 anos. A organização recebeu relatos de 41 países nos quais foram realizados eventos com uma média de 506 pessoas por evento, com 3 horas de duração.

O Mutirão de Oração Por Crianças e Adolescentes em Vulnerabilidade Social acontece no Brasil desde 2002, sempre organizado pela Rede Mãos Dadas e apoiado pela Editora Ultimato. Os relatórios mostram a participação de milhares de pessoas a cada ano. Em 2009, o mutirão chegou a mobilizar mais de 60 mil pessoas no país.

Motivos de oração

“Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome”

- Ore para que as crianças e adolescentes que passaram por experiências de grande sofrimento encontrem a cura interior que é possível por meio do perdão, da proximidade com o Deus Altíssimo e que assim possam louvar a Deus, mesmo diante das adversidades da vida.

“Venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu”
Ore para que as políticas de proteção infantil sejam implementadas pelos governos das noções e que se tornem eficazes. Esta é a vontade de Deus.

“Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia”
Ore para que as crianças em todo o mundo, especialmente nos locais onde há fome, tenham suas necessidades básicas supridas, e que aprendam a confiar em Deus, pois Ele é um Deus que supre.

“Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores”
Ore para que haja arrependimento, correção e restituição por partes daqueles que usam o seu poder e malícia para subjugar crianças e adolescentes em tantos contextos de opressão presentes hoje no mundo.

“E não nos deixe cair em tentação, mas livra-nos do mal”
- Ore para que crianças e adolescentes sejam libertas da escravidão das drogas, das tentações ligadas ao comércio sexual, e que tenham forças para absterem-se do mal.
- Ore para que as crianças resgatadas das malhas de corrupção consigam crescer e se desenvolver em um contexto saudável e amoroso.
- Ore para que a rede do bem prevaleça sobre a rede do mal com resultados práticos de resgate, restauração, reconciliação e reconstrução de vidas. Que Deus use para a sua glória o trabalho daqueles envolvidos na Campanha Bola na Rede.

“Porque teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém.”


Fonte: Revista Ultimato
-----------------------

Pensamento sobre presença de Deus

"A verdadeira prova de que estamos na presença de Deus é que nos esquecemos completamente de nós mesmos ou então nos vemos como objetos pequenos e sujos. O melhor é esquecer-nos de nós mesmos."

(C. S. Lewis)

Pastor anglicano pode ser demitido por escrever no Facebook que “pecar é divertido”

O pastor anglicano Paul Shackerley, responsável pela igreja de St. George, em Doncaster, norte da Inglaterra, pode ser demitido por uma série de comentários que publicou em seu perfil no Facebook, e que causou revolta entre os fiéis.

Shackerley escreveu na rede social uma série de afirmações e piadas que foram consideradas ofensivas e impróprias pelos fiéis. Em uma de suas afirmações ele chega a afirmar: “pecar é tão divertido”.

Em um sábado no início do ano escreveu: “Acho que vou colocar meus pés para cima. Eu não fiz m*** nenhuma hoje além de estudar jazz e visitar um amigo. Já ouço o borbulhar da água tônica que coloquei no meu copo de gin”. Em outra postagem ele ainda comemora por não ser o responsável por pregar em uma determinada igreja naquele dia.

Junto a uma foto ao lado de um boneco de neve ironizou: “Perdoem o meu pecado de frivolidade. O pecado é tão divertido! Mas eu não tenho um relacionamento impróprio com Snowy, que deveria ser chamado apenas de ‘boneco de neve’ para ser mais politicamente correto”.

Em carta enviada aos líderes da Igreja Anglicana na região, os fiéis da igreja questionaram a postura do pastor: “O seu colega sacerdote usa uma linguagem que a maioria de nós considera imprópria para um homem que ocupa essa posição. Seu comportamento atual o torna totalmente incapaz de servir a catedral ou o povo de Doncaster. Aliás, ele é totalmente incapaz de servir a Igreja, na opinião de muitos moradores de Doncaster”.

A carta foi endereçada ao Bispo de Sheffield, Steven Croft, e ao superior direto do pastor Paul Peter Burrows, bispo de Doncaster. Além do texto da corta, os fiéis imprimiram a página do pastor no Facebook, onde estão as mensagens consideradas impróprias.

Ironicamente, os perigos da internet tinham sido tema de um artigo do pastor no boletim da igreja no último mês. No texto o pastor alertava: “Eu conheço empregados que receberam avisos disciplinar e até foram demitidos por causa de postagens inadequadas”.

Mesmo depois de apagar as frases polêmicas de seu Facebook e de pedir desculpas à comunidade, os fiéis continuam pedindo a saída dele da igreja. Além de criticar a postura de Shackerley na rede social, os fiéis dizem que seus piercings o tornam uma figura pouco agradável.



Fonte: Gospel+
--------------

quarta-feira, 30 de maio de 2012

A industrialização do Evangelho

Cada dia que passa, o tempo parece acelerar, aparentemente detemo-nos de, menos tempo que nossos ancestrais. Mas na verdade isso é apenas impressão, pois, o dia continua a ter vinte e quatro horas como sempre teve. O problema é que as pessoas se ocupam mais do que seus pais e avós se ocupavam anteriormente.

Chamam de “vida corrida” a ânsia e o desespero que sustentam por andar atrás do vento. E toda esta aflição levou a nova geração, a adquirir e experimentar algumas mudanças que interferiram ou ainda refletiram diretamente no comportamento humano.

Não arriscaria dizer que essas mudanças foram positivas, pois, induziu a sociedade em um caminho funesto tornando seus integrantes cada vez mais superficiais, egoístas e mesquinhos. Sem contar que os mesmos, não logram tempo nem para si, quanto mais para família e amigos.

Preferem o que é mais prático vão ao mercado e dão preferência absoluta por produtos industrializados, sabe aqueles que vêm dentro de uma caixinha bonitinha, com uma logomarca previamente elaborada, com cores vibrantes e uma mensagem fantasiosa do tipo: “Puro néctar da fruta”! Ou ainda, mentiras como: “Isento de colesterol, livre de gorduras trans!”

Ora! Lá no fundo, compreendem que é mentira, e que aquilo não passa de uma insígnia do capitalismo, condicionando-os a viver uma ilusão, induzindo-os a uma ignorância que chega ser imbecil, porém, não dispõem de tempo, para comprar a fruta fresca e processá-la, manipulá-la de maneira que essa sim exprima o verdadeiro néctar que lhe é inerente. No entanto não querem trabalho, porque afinal de contas o restinho do tempo que lhes sobram, aspiram perder frente à televisão com futilidades, pois enfim é isso que são.

É mais fácil pegar o que está mastigado, é só engolir, mesmo que essa mastigação não tenha sido muito higiênica e vai lhes contaminar. A contaminação é apenas a consequência, o efeito colateral do tempo que estão “poupando”. Todo esse contexto influencia diretamente o relacionamento pessoal com Deus, e com a Igreja.

Não intentam pagar o preço, na oração e leitura da Palavra de Deus para se alimentar espiritualmente, preferem ligar a TV e assistir a shows da fé, ou fazer parte de alguma igreja que esteja previamente adaptada a sua “vida corrida”, e que já lhes dê tudo mastigadinho, mesmo que esse mastigadinho esteja cheio de heresias e custe mais caro, não se importam se estão sendo roubados, na verdade esse é o preço que pagam por não ter tempo, e por buscar a industrialização do Evangelho.

Obra de Deus? Isso é coisa do passado. Ganhar almas? Pra que? Todos já são de Jesus, o que interessa agora é ser “próspero”, ter carro novo, mesmo que para isso tenham que comprar o óleo ungido, vindo de Jerusalém – na verdade sabem que não passa de óleo de soja do boteco da esquina colocada em um recipientezinho bonitinho, com uma logomarca e uma mensagem mentirosa da mesma forma que o suco de frutas e os demais produtos industrializados.
Mais o importante é declarar e decretar para as quinze bandas.

Em Apocalipse 3:15-17 Deus diz a igreja de Laodicéia: “Conheço as tuas obras, que nem é frio nem quente. Quem dera fosse frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca; pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu”.

Talvez se João Batista vivesse nessa geração, dissesse o mesmo que reportou aos fariseus e saduceus:

“... Raça de víboras, que vos induziu a fugir da ira vindoura?” (Mt 3:7).

Ou ainda Jesus o que disse ao judeus:

“Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” (João 8:44 ).

Mas de repente você quer ser enganado, pois o engano lhe dá a possibilidade de poupar tempo para empregar naquilo que é frívolo, e, para viver na fraude não é preciso esforço, mesmo que se pague um pouquinho mais caro.

Cuidado você pode estar se autodestruindo, abrindo seu coração para satanás. Como esta sua família? Você tem amigos? Deus tem falado com você? A ausência de respostas positivas a essas questões pode ser o indício de que, algo está errado e exige sua atenção.



Fonte: Pr. Paulo Fernandes na Igreja Evangélica Presbiteriana Ebenézer Araçatuba/SP
------------------------------------------------------------------------------------

Padre cospe fogo durante missa para atrair fiéis na Inglaterra

Reverendo aprendeu truque durante churrascos, mas resolveu levá-lo à igreja para mostrar o que seriam as 'línguas de fogo' de Pentecostes

Um padre britânico desenvolveu uma técnica inusitada para atrair fiéis: ele cospe fogo durante a missa. Na missa de Pentecostes, na Igreja de St. James em Cheltenham, região sudoeste da Inglaterra, Nick Davies revelou a novidade aos cerca de 150 presentes.

O reverendo contou que tudo começou em churrascos com os amigos. Ele aprendeu o truque apenas para divertir as pessoas. Mas, ele resolveu levar a brincadeira para a missa quando lembrou da história do dia de Pentecostes em que, de acordo com a Bíblia, os discípulos de Jesus estavam juntos quando sentiram a presença do Espírito Santo e apareceram o que pareciam ser línguas de fogo.

Para Davies, essa imagem da Bíblia é difícil de imaginar e, por isso, ele resolveu usar o truque com o fogo.

Assista ao vídeo:





Fonte: BBC Brasil
-----------------

Como Evangelizar Evangélicos

"Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’ Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!" ( Mateus 7.22-23)

O meio evangélico é um dos campos missionários mais vastos do nosso país. Alguém duvida? Então fique atento ao modo de pensar e viver dos milhões de “crentes” que andam por aí e ficará surpreso. A maior parte dessa gente não demonstra nenhuma transformação de caráter, nenhuma alteração em seus valores, nenhum compromisso com a santificação e nenhum grau de discernimento espiritual. Parece que a estratégia principal do diabo para destruir a obra de Deus nas últimas décadas deixou de ser debilitar igrejas verdadeiras com os atrativos da apostasia. Agora, ele cria igrejas falsas compostas por cadáveres espirituais apodrecidos com o objetivo de emporcalhar o santo nome de cristão diante do mundo.

Esse método tem dado certo. Com efeito, não é difícil encontrar “crentes” de todos os tipos. Há evangélicos que formam blocos de carnaval e mulheres “cristãs” que falam e se comportam como prostitutas desavergonhadas. Há ainda “pastores” gays casados entre si e missionários e evangelistas hábeis na “arte” do estelionato, além de uma massa enorme de gente de péssima qualidade moral que, às vezes, sai em passeata pela rua gritando o nome de Jesus com a mesma boca com que fala palavrões.

Isso mostra que, de fato, o meio evangélico é um vasto campo missionário. Crentes de verdade, pessoas que conheceram o real poder do evangelho de Cristo, devem testemunhar a esse povo acerca da graça salvadora de Deus, evitando acreditar na piada de que eles são irmãos na fé que precisam apenas de algumas correções. Não. O problema básico da maioria dos neo-evangélicos não é falta de doutrina, mas sim falta de novo nascimento, sendo dever do cristão genuíno apresentar-lhes o evangelho da cruz.

Como isso pode ser feito de forma inteligente, sem deixar que a discussão se perca em meio a opiniões religiosas sem importância? Bom, não acredito em métodos infalíveis do tipo “Doze passos para ganhar um evangélico para Cristo”. Como pastor reformado, penso que só o convencimento do Espírito Santo pode conduzir alguém aos pés da cruz. Creio, contudo, que no trato com crentes falsos, o mensageiro do Senhor pode evitar perder tempo com tolices se agir da forma descrita a seguir.

Primeiro, pergunte se o “irmão” é crente. Não se assuste. A reação dele vai ser mais ou menos assim: “É claro que sou! Eu já não lhe falei que faço parte da Comunidade Evangélica Fogo da Sarça – Sede Mundial?” É nesse ponto que você vai fazer a pergunta fatal. Diga-lhe mais ou menos o seguinte: “Ah, é verdade! Você havia dito... E como foi sua conversão?” Pronto. É aqui que tudo desaba. O neo-evangélico não sabe o que é conversão. Ele vai ficar confuso, vai perguntar o que você quis dizer com essa pergunta, vai contar como foi batizado, como Jesus curou a dor que ele tinha no braço, como o pastor profetizou que ele ia achar emprego, enfim, vai dizer uma tonelada de sandices.

Então você deverá responder: “Amigo, eu tenho certeza de que todos esses episódios foram importantes para você, mas eu perguntei outra coisa. Eu perguntei quando foi que você, após ouvir ou ler a Palavra de Deus, descobriu apavorado que era um pecador perdido, separado da glória de Deus e caminhando para a perdição eterna; quando foi que, ouvindo o Evangelho, você aprendeu que Cristo veio a este mundo como substituto perfeito, a fim de sofrer a punição pelo nosso pecado; quando você entendeu o sentido de sua morte e ressurreição e quando, enfim, com essas informações em mente, você se lançou humilhado aos pés da cruz, dizendo: “Senhor, concede-me os benefícios da tua obra redentora. Lava-me, purifica-me, perdoa-me, salva-me. Eu te recebo, pela fé, como Deus e Salvador.’ Quando foi que isso aconteceu em sua vida?”

Não estranhe. O “irmão” vai olhar para você como se estivesse diante de um ET falando mandarim. Tenha, então, compaixão dele e, pacientemente, passe a explicar-lhe todas as coisas que disse.

Bom, espero que essas “dicas” ajudem. Ainda mais considerando que temos evangélicos incrédulos por toda parte, “revelando” que há muito trabalho a fazer. Realmente temos de aceitar esse fato: o nosso quintal também está branco para a ceifa.



Fonte: Pr. Marcos Granconato em Igreja Batista da Redenção
---------------------------------------------------------

Empresa cria picolé com absinto e 'água benta'!

O nome é Vice Lolly (Picolé do Vício) e custa o equivalente a 54 reais. Mas o que ele tem de especial além do nome inusitado e a forma de revólver? Bem, trata-se de um picolé feito com absinto e "água benta"!

Sim, uma parte da bebida alcoólica com propriedades tóxicas mais duas partes de água de uma fonte de Lourdes (França) que os católicos acreditam ter poderes curativos.

Claro, rendeu polêmica. O fabricante - Icecreamists - é o mesmo que criou ano passado aquele sorvete feito com leite materno. Lembra?

No século XIX, o absinto era conhecido como a "deusa verde". Acredita-se que o pintor Vincent van Gogh tenha decepado parte de uma orelha sob efeito da bebida, contou o "Sun".



Fonte: Page not found
----------------

Evangélicos que querem tchu, que querem tcha

As redes sociais quando utilizadas da forma certa são bênçãos de Deus. Através delas conhecemos pessoas, fazemos amigos, e interagimos uns com os ostros. No entanto, as redes sociais quando utilizadas de forma errada contribuem para o enburrecimento do individuo. Além disso as redes sociais nos fazem sair de guetos levando-nos a um mundo bem absolutamente diferente do nosso. Nessa perspectiva, jovens e adolecentes tem se deixado influenciar por conceitos extremamente antibíblicos onde o que importa não é a glória de Deus, mas sim a satisfação pessoal.

Há pouco testemunhei tanto no twitter como no Facebook, jovens cristãos afirmando: "Eu quero tchu

Veja abaixo por favor a letra dessa famigerada canção:
"Eu quero tchu, eu quero tcha
Eu quero tchu tcha tcha tchu tchu tcha
Tchu tcha tcha tchu tchu tcha (2x)

Cheguei na balada, doidinho pra biritar,
A galera tá no clima, todo mundo quer dançar,
O Neymar me chamou, e disse "faz um tchu tcha tcha",
Perguntei o que é isso, ele disse " vou te ensinar".
É uma dança sensual, em goiânia já pegou,
Em minas explodiu, em Santos já bombou,
No nordeste as mina faz, no verão vai pegar,
Então faz o tchu tcha tcha, o Brasil inteiro vai cantar.

Com João Lucas e Marcelo,

Eu quero tchu, eu quero tcha
Eu quero tchu tcha tcha tchu tchu tcha
Tchu tcha tcha tchu tchu tcha (2x)

Cheguei na balada, doidinho pra biritar,
A galera tá no clima, todo mundo quer dançar,
Uma mina me chamou, e disse "faz um tchu tcha tcha",
Perguntei o que é isso, ela disse " eu vou te ensinar".
É uma dança sensual, em Goiânia já pegou,
Em Minas explodiu, em Tocantins já bombou,
No nordeste as mina faz, no verão vai pegar,
Então faz o tchu tcha tcha, o Brasil inteiro vai cantar.

Com João Lucas e Marcelo,

Eu quero tchu, eu quero tcha
Eu quero tchu tcha tcha tchu tchu tcha
Tchu tcha tcha tchu tchu tcha (2x)

Eu quero tchu, eu quero tcha
Eu quero tchu tcha tcha tchu tchu tcha
Tchu tcha tcha tchu tchu tcha (2x)"

Caro leitor, será que foi isso mesmo que li? Cheguei na balada doidinho para biritar? É uma dança sensual? Eu quero tchu eu quero tcha?

Quando ouvi a canção acima fique profundamente preocupado com os rumos desta geração. Sou obrigado a confessar que tenho andado assustado com o incentivo à promiscuidade e sensualidade em nosso país. Compartilho também a minha aflição com o nível de devocionalidade e compromisso cristão de nossos jovens. Infelizmente, essa geração em nome de uma pseudoliberdade vem ao longo dos anos procurando compor no mesmo projeto de vida, Deus e imoralidade. E para piorar, em nome de uma espiritualidade barata, a graça de Deus tem sido relativizada em detrimento de uma vida promiscua e irresponsável.

Do jeito que a coisa anda daqui a pouco ouviremos a versão gospel do Quero tchu eu quero tcha!

Pois é, nossos jovens precisam URGENTEMENTE abrir os olhos. Isto porque, da mesma forma que não dá para misturar óleo e água no mesmo recipiente, não nos é possível, fazer parte da geração tchu, tchu, tcha tcha ou da geração dos comprometidos com Deus. Ou somos de Deus, e vivemos uma vida santa e separada por ele, ou não somos dele. Vale a pena dizer que na perspectiva do reino não existe possibilidade do meio termo.

Amados, seguir a Jesus é o melhor e mais fascinante projeto de vida. Fazer parte da Santa geração é tudo de bom. Deixe pra lá os valores da geração adoecida espiritualmente e desfrute de momentos harmônicos, plenos e saudáveis na presença do Senhor.


Soli Deo Gloria!


Fonte: Pr. Renato Vargens em seu blog
--------------------------------------

Igreja nos tempos da prosperidade...



Autor: Cláudio Pinto
--------------------

Passeata gay na Rússia acaba em briga com cristãos e detenção

Ortodoxos tomaram bandeiras dos ativistas e as pisotearam, enquanto oravam

Dezenas de pessoas foram presas em Moscou neste domingo depois que ativistas da Igreja Cristã Ortodoxa Russa atacaram duas manifestações em defesa de diretos dos gays, jogando água contra os participantes e gritando orações.

Alguns ativistas ortodoxos deram socos em manifestantes, tomaram suas bandeiras da cor do arco-íris - símbolo do movimento gay - e as pisotearam diante das câmeras de televisão.

O confronto ocorreu durante os dois protestos, realizados diante da prefeitura e do Parlamento. Nenhuma das manifestações tinha sido autorizada pelas autoridades de Moscou.

Quase todos os cerca de 30 participantes gays foram detidos e muito poucos dos quase 50 ativistas cristãos ortodoxos envolvidos.

O líder do protesto pelos direitos dos gays, Nikolai Alexeyev, afirmou que estava sendo preso por falar com os jornalistas. "Fui detido no protesto do Orgulho na prefeitura de Moscou", escreveu ele no Twitter. "Não tenho palavras."

A polícia disse à agência estatal de notícias Itar-Tass que cerca de 40 pessoas tinham sido detidas nos protestos.

"Todos os nossos direitos estão sendo pisoteados aqui na Rússua", disse o manifestante Igor Yasin. "Os nossos direitos não são assegurados e não temos nossa segurança física garantida."



Fonte: Terra com informações de Reuters
-----------------------------------

Crente não combina com balada

Entendo que crente não combina com balada. Para quem pensam que é radicalismo, deixo a definição de um site jovem que encontrei: “ba.la.da sf. 1.Música dançante tocando altamente, para turbinar o sangue. 2. Beijo na boca estilo filme (Pulp Fiction – Tempo de Violência). 3. Pop. Diversão garantida e prazeres vividos. 4. Adrenalina, corpo pegando fogo. 5. O básico, essencial”.

Mais do que uma simples diversão, a balada é uma filosofia de vida. Leia atentamente o relato de Onna Roxane, em Spiner - site para jovens: “Balada dá a esperteza que precisamos para estarmos mergulhados neste mundo às avessas. O que seria de nós sem os beijos noturnos, sem os abraços quentes, sem as músicas estourando os tímpanos? É na balada que descarregamos nossos cansaços, nossos desgostos, nossa falta de bom senso. Na madrugada fria nos aquecemos e na quente pegamos fogo. É o nosso momento mais jovem. Como o mundo está em constante transformação, estamos ganhando responsabilidades cada vez mais cedo, temos uma vida de pseudo adultos e não de jovens”.

E então, o cristão pode participar de balada? A resposta parece óbvia. Não (Rm 12.1-2)! Mas há crentes que gostam de baladas. Eles viram as noites dos sábados para os domingos nas noitadas, às vezes em shows e bailes, muitas vezes sentados numa roda de cerveja (e outras coisas mais!) com amigos, jogando conversa fora. Alguns argumentam dizendo: “Mas eu não bebo, não fumo e nem uso drogas... Só gosto de dançar, de curtir... Mas é só uma festa de aniversário... Mas os pais do aniversariante estarão lá... Mas eu não faço nada de errado... Mas fulano(a) vai... Mas...”

No fundo todos sabem o que vai rolar, sabem como será a festa, sabem que nada ali glorificará a Deus (1Co 10.31). Então, por que participar? Por que ir a um lugar destes? A resposta mais comum é: “Porque eu gosto!”. E este é o nosso maior problema. Amamos as obras da carne (Gl 5.17), nosso desejo é quase sempre para o mau (Tg 1.14). Portanto, cuidado com suas vontades e escolhas. Não chame ao mal bem e nem faça das trevas luz (Is 5.20). Deus fala claramente que antes nós seguíamos o mundo e os nossos próprios desejos (Ef 2.1- 3). Agora, no entanto, somos filhos da luz, e devemos viver da forma certa, como sal e luz (Mt 5.13-16), mostrando que somos novas criaturas (Gl 2.22; Ef 2.4-7).

Participar de baladas é, no mínimo, concordar com elas, dizer que não há nada de errado ali, que aquelas pessoas podem continuar na mesma. Como crentes, porém, faríamos muito bem se seguíssemos o conselho de Paulo: “Fuja dos desejos malignos da juventude e siga a justiça, a fé, o amor e a paz, com aqueles que, de coração puro, invocam o Senhor” (2Tm 2.22). Não devemos nos associar com pessoas imorais (1Co 5.9), mas viver pelo Espírito de modo a não satisfazer os desejos da carne (Gl 5.16), e ter o nosso prazer na lei do Senhor (Sl 1.1-2).

Além de testemunho, ficar longe de baladas evita a tentação e traz proteção, pois mesmo que o crente esteja sóbrio, alguém ao redor pode não estar. Todos sabem que baladas e barzinhos têm por ênfase estimular o consumo de álcool, de forma que é comum vermos pessoas embriagadas em lugares assim (Pv 20.1; 23.29-35). A Bíblia é clara, a vontade de Deus é que sejamos santos em práticas, pensamentos e posturas (1Ts 4.3-8). É por isso (e muito mais!) que digo: “Crente não combina com balada (2Tm 2.22)”.


Fonte: Igreja Batista Central de Campinas
----------------------------------------

Senador Demóstenes recorre a Deus para se defender de processo de cassação

Um personagem diferente, humilde e que fez referências à família e a Deus, foi apresentado ontem pelo senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) ao se defender do processo de cassação no Conselho de Ética do Senado. O estilo duro do oposicionista — que teve trajetória marcada pelo rigor no combate à corrupção — desapareceu no depoimento de cinco horas, período que ele usou para se defender.

O senador negou que tenha usado seu mandato para favorecer o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, acusado de comandar esquema de corrupção e de tráfico de influência. Em discurso e no interrogatório, Demóstenes disse viver o pior momento de sua vida e que se sente traído pelo bicheiro. Admitiu ser amigo de Cachoeira, confessou que o contraventor pagava a conta de seu celular, mas afirmou ser “vítima do maior massacre da história”.

Ele disse que não sabia que Cachoeira estava envolvido com o jogo do bicho. “Eu não tenho nada a ver com o jogo. Devo essa explicação principalmente à minha mulher, aos meus filhos, às senhoras e aos senhores”, disse. Demóstenes disse que é inocente quanto às acusações de ter usado o mandato para favorecer o bicheiro. “Eu sou um homem que tem vergonha na cara... Eu sou um carola”. No início da fala, o senador falou em Deus. “Redescobri Deus. Se cheguei até aqui, é porque eu readquiri a fé”, afirmou.

Demóstenes questionou a legalidade das gravações feitas pela Polícia Federal. Como é senador e tem foro privilegiado, ele argumentou que a Polícia Federal não poderia ter registrado conversas sem a permissão do Supremo Tribunal Federal (STF). O senador disse que pensou em renunciar: “Confesso que pensei nas piores coisas. Pensei em renunciar ao meu mandato”.

Relatório do Conselho de Ética deve sair em três semanas

Relator do Conselho de Ética, o senador Humberto Costa disse que em três semanas vai apresentar o relatório com o pedido de cassação ou de absolvição de Demóstenes. A votação do Conselho é aberta, com votos declarados. Depois, a medida será apreciada pelo plenário do Senado, o que deve acontecer em julho, com voto secreto. Demóstenes também depõe amanhã, na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), que investiga a ligação de Cachoeira com políticos e empresários.

CPMI quebra sigilo da Delta

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga a ligação de Carlinhos Cachoeira com empresários decidiu ontem pela quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico em nível nacional da construtora Delta. De acordo com a Polícia Federal, a Delta teria repassado dinheiro para empresas fantasmas que abasteciam o grupo de Carlinhos Cachoeira.

A CPMI também decidiu adiar para o dia 5 de junho a votação do requerimento de convocação dos governadores Agnelo Queiroz (PT), do Distrito Federal, Sérgio Cabral (PMDB), do Rio de Janeiro, e Marconi Perillo (PSDB), de Goiás.

Juiz se diz vítima de boatos

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse que está sendo vítima de “gângsters e bandidos” que plantam boatos. Segundo ele, o ex-presidente Lula seria uma “central de divulgação” das informações.

Mendes afirmou também que foi duas vezes a Goiânia a convite do senador Demóstenes Torres — os voos foram em jatinhos obtidos pelo senador. Segundo ele, uma das viagens foi na companhia do então ministro Nelson Jobim e do ministro do STF Antônio Dias Toffoli. Na ocasião, em 2010, os três teriam participado de um jantar.


Fonte: O Dia Online
-------------------

Tá na Bíblia: A palavra de Deus é luz que revela por onde andar

"A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho".

(Salmo 119.105)

Dia da Igreja abriga mostra de produtos solidários

Produtos elaborados por comunidades da economia solidária envolvidas na geração de trabalho e renda estarão em exposição no Dia da Igreja que o Sínodo Nordeste Gaúcho reunirá em Igrejinha (a 83 Km da capital), no dia 3 de junho, sob o tema “Histórias de Vida e Fé”.

O projeto de economia solidária apoiado pela Fundação Luterana de Diaconia (FLD) procura “juntar”, de um lado, grupos de trabalho e renda e, de outro, comunidades luteranas para a compra de produtos. São parceiros nesse movimento a Igreja Evangélica Luterana na América, dos Estados Unidos, e o Sínodo Nordeste Gaúcho.

A Mostra Luterana integra a programação do Dia da Igreja desde 2008, e terá, este ano, duas ênfases: a divulgação de projetos vinculados à Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), e a divulgação da Rede de Comércio Justo Solidário.

Nos projetos de economia solidária a FLD mantém parceria com o Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor (CAPA), o Conselho de Missão entre Indígenas (COMIN), a Associação Diacônica Luterana (ADL), a Editora Sinodal, a Faculdades EST e outras organizações fora do âmbito da igreja.

A maior dificuldade dos grupos envolvidos na produção solidária é a comercialização dos seus produtos, disse a assessora do projeto, Marilu Menezes.



Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)
----------------------------------------------------------------

Funkeira Tati Quebra Barraco desmente boatos que teria se tornado evangélica

"Que história é essa de que virei evangélica? De c* é rola! Na verdade tem umas pessoas da minha família que são crentes e em 2009 comecei a fazer culto evangélico na minha casa e as pessoas acham que eu virei cristã. Não vou na igreja, não virei crente, só faço culto. O que passa no meu coração, só Deus sabe.

Meu culto é com muita comida. E quando eles vão embora, aí começa a festança. Sempre fiz e gosto muito de festas, com funk e cerveja, na humildade, com mais de seiscentas caixas de Skol.

A Tati Quebra Barraco é uma coisa e a Tatiana é outra. A diferença é que no palco eu quebro tudo e na vida pessoal eu cozinho, tenho responsabilidade com filhos, acordo às seis horas da manhã, levo as crianças pra escola. Sou casada há nove anos com meu marido que é segurança. Sou fiel... a Jesus Cristo.

Sou a rainha da putaria e do funk. Fui mulher de muitos homens, mas de amor, só do meu marido. Não é à toa que cada filho tem um pai diferente. Minha filha vai fazer 19 anos, e já tem a neném, tenho um filho de 15 anos, que fica com minha mãe, Sônia, e a pequena de 8 anos, a Mila, vai pra outra mãe de criação, que cuidava dela porque eu trabalhava muito. Eu sou isso aí."



Fonte: Tati Quebra Barraco em entrevista ao IG
----------------------------------------------

O mito do "ardor no peito"

Orar ou não orar, eis a questão!

Em vez de apontarem evidências que autentiquem a suposta inspiração divina do Livro de Mórmon, os seguidores de Joseph Smith pedem que as pessoas o leiam e orem para saber se o livro é inspirado ou não por Deus. O Livro de Mórmon diz: “E, quando receberdes estas coisas, eu vos exorto a perguntardes a Deus, o Pai Eterno, em nome de Cristo, se estas coisas não são verdadeiras; e, se perguntardes com um coração sincero e com real intenção, tendo fé em Cristo, ele vos manifestará sua verdade disso pelo poder do Espírito Santo” (Moroni 10:4). Citam ainda o texto de Tiago 1.5 para apoiar esta prática: “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada”.

Baseados na prática desse conselho, a grande maioria dos mórmons reivindica ter sentido um “ardor no peito” como um testemunho do Espírito Santo de que o Livro de Mórmon é inspirado.

Mas seria esse espírito o Espírito Santo? Como podemos testar os espíritos? É de vital importância aplicar os testes apropriados para avaliar esses tipos de reivindicações espirituais. Pois a Bíblia alerta que: “Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele conduz à morte” (Pv 14.12).

Embora sejamos exortados a orar sem cessar (1Ts 5.17), a Bíblia não ensina em nenhum lugar que a oração seja um teste para avaliar a verdade. Mas alguém pode indagar: “Então, o que o texto de Tiago 1.5 quer dizer?”. No contexto do primeiro capítulo vemos que Tiago se refere à prova da fé por meio das tentações (Veja Tg 1.2,3,12,13). Se nos falta sabedoria, somos exortados a pedi-la ao Senhor para que possamos enfrentar as provas e tentações com um comportamento aprazível a Deus.

O apóstolo Paulo foi claro ao advertir os crentes da Galácia a não escutarem ninguém que ensinasse outro evangelho (Gl 1.6-8). Sabemos que há muitos falsos mestres pregando falsos evangelhos, falsos Jesus, e, obviamente, todas essas heresias são propagadas por intermédio de espíritos profanos (2Co 11.3,4,13,14). A oração seria o único método para identificarmos o que é o verdadeiro? Como poderíamos saber?

O perigo em orar para identificar a verdade é que é difícil distinguir a veracidade dos testemunhos espirituais, bem como sua procedência. Não podemos confiar nos sentimentos dos nossos corações (Pv 28.26; Jr 17.9), nem podemos confiar em qualquer testemunho espiritual. Atentemos para o que diz a Bíblia: “Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo” (1Jo 4.1; grifo do autor).

Não queremos aqui desestimular a oração, muito pelo contrário. Contudo, devemos aliar a oração ao exame diário das Escrituras, assim como os crentes de Beréia: “...examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim” (At 17.11). Este é o método mais preciso para avaliar se o que o mormonismo ensina é a verdade. O teste bíblico deve estar focado na Palavra de Deus (2Tm 3.15-17). E o testemunho do Espírito Santo jamais contradirá a si próprio, pois a Bíblia afirma que “os escritores bíblicos falaram inspirados pelo Espírito Santo” (2Pe 1.21; grifo do autor).

Diante de tudo isso, perguntamos: orar ou não orar?

Finalizamos conscientes de que devemos orar sim, mas para que o nosso poderoso Deus nos abençoe ricamente e nos ajude a destruir os conselhos e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo (2Co 10.5).



Tradução: Elvis Brassaroto Aleixo no CACP
Fonte: Kevin James Bywater
--------------------------------

Pastor evangélico liderava sequestros em Rondônia

A Polícia Civil apresentou na manhã de segunda-feira na Delegacia de Crimes Contra o Parimônio , o trio formado pelo pintor de parede Cláudio Sérgio, de 25 anos; o motorista Alex Moreira Viana, também de 25 anos, e o pastor evangélico Manoel Nazareno, que mantinha, em Porto Velho, uma casa de recuperação de dependentes químicos.

Nazareno, segundo a polícia, além de já ter sido assaltante de banco, liderou pelo menos dois sequestros na capital neste mês. Ele e seu bando sequestraram duas mulheres em Porto Velho, mas a polícia suspeita que a quadrilha tenha cometido outros crimes semelhantes.

Junto com o bando também foi preso um menor de idade, que participou do sequestro das duas mulheres. Uma delas ficou mais de cinco horas em poder da quadrilha. Os resgates foram pagos, totalizando R$ 8 mil e 300, mas a polícia só conseguiu reaver R$ 1.460,00.

Também foram apreendidos aparelhos celulares, capuz, corda usada para amarrar as vítimas, dinheiro e facas.

De acordo com a polícia, Manoel, que é pastor evangélico, usava como fachada uma casa denominada Centro de Recuperação de Dependentes Químicos na rua Emídio Feitosa, 3570, no bairro Cidade do Lobo.

Ao ser preso na tarde do último sábado, Manoel Nazareno delatou o restante do bando e confessou os sequestros. A polícia apreendeu com ele cartões de visita nos quais consta sua função e pastor. Nos cartões, chama a atenção a frase “Sereis Livre” – Jó 8:36.

Uma das vítimas do bando foi monitorada por quase um mês. A outra chamou a atenção da quadrilha pelo carro de luxo em que trafegava na capital. A polícia suspeita que possa ter havido abuso sexual conta as vítimas.



Fonte: Tudo Rondônia
-------------------