quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Quem será contra nós?

"Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa." (Isaías 41:10)

Alguma vez já se esqueceram de você numa data importante? Talvez seu cônjuge tenha esquecido seu aniversário ou o aniversário de casamento. Ou quem sabe seus filhos se esqueceram de você no Natal. Mesmo que seus entes queridos se esqueçam de você, Deus jamais esquece. Você está sempre em Sua mente. Romanos 8:31 diz: "Que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?"

Deus está pensando em você agora mesmo. Ele não pensa em você apenas como um membro da humanidade ou como parte da Sua igreja. Ele pensa em você como indivíduo. O salmista escreveu: "[...] Não se pode relatar os planos que preparaste para nós! Eu queria proclamá-los e anunciá-los, mas são por demais numerosos!" (Salmo 40:5).

Os pensamentos de Deus acerca de você são contínuos e inumeráveis. O Deus Todo-Poderoso, Aquele que carrega os céus na palma de Sua mão, Aquele que falando fez a criação existir, está pensando em você agora.

Não somente o Deus Pai pensa em você, como o Filho intercede por você. Hebreus 7:25 diz: "Portanto, ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles".

O Deus Pai pensa em você, o Deus Filho ora e intercede por você, e o Deus Espírito Santo também auxilia: "E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus" (Romanos 8:27).

Deus é por você. Deus pensa em você. Deus está do seu lado!



Fonte: Devocionais Diários
-------------------------

Manual de auto-defesa gospel...



Fonte: Reforma que passa
-----------------------

Maior parte da receita gospel vem de doações, espontâneas ou estimuladas

Os templos são mantidos com doações de fiéis que reservam pelo menos 10% do salário para a igreja

Os projetos ousados de ampliação e construção de templos suntuosos, a propagação do nome do pastor e da igreja pelo país e no exterior, a compra de emissoras de rádios e de espaços na televisão: todo o avanço conquistado pelos evangélicos tem um alto preço. Para que os projetos deem certo, os líderes das congregações contam com as benções celestes e as ajudas terrenas. Como nas demais religiões, a maior parte da receita gospel vem das doações, espontâneas ou estimuladas.

Em Minas Gerais, assim como no Brasil, existem diversas igrejas com administração própria. Os cristãos protestantes se reúnem em grupos formados pelas igrejas Batista Histórica, Presbiteriana, Metodistas, Luterana, Pentencostais, Neopentecospais e as independentes. Com o surgimento de novas templos e aumento de fiéis nos últimos anos, eles ficaram conhecidos como evangélicos, mas segundo o presidente da Associação Batista Central de Belo Horizonte, Pastor Valquimar Soares Machado, a religião deve ser chamada de cristãos reformados. Mensurar o número de templos no estado é uma missão impossível, de acordo com o pastor, já que a lei brasileira permite que qualquer pessoa crie a sua própria igreja.

“Uma pessoa, até mesmo sem estudos, pode transformar um cômodo em igreja, sem estar ligado a qualquer entidade”, observa. Os templos são mantidos com doações de fiéis que reservam pelo menos 10% do salário para a igreja. Algumas delas já trabalham com carnês, que podem ser pagos mensalmente e em outras, como na Batista do Barro Preto, não são cobrados valores pré-determinados. “Faz parte da nossa cultura e está escrito na bíblia que devemos reservar parte do nosso salário para a obra do Senhor. Os membros da igreja contribuem livremente com 10% do salário, não é uma mensalidade, o que manda é a consciência do cristão”, afirma Valquimar. 

De acordo com o pastor, as despesas da Igreja Batista Histórica são pagas com as doações e a cada dois meses os membros da congregação se reúnem para discutir o que pode ser feito com os recursos. Do total, 10% são repassados à convenção Batista Mineira, que comanda as 137 igrejas Batistas Históricas de Belo Horizonte, as quais somam mais de 30 mil fiéis na capital, 140 mil no estado de mais de dois milhões no Brasil. A Igreja Batista da Lagoinha e a da Floresta são independentes.




Fonte: Estado de Minas
--------------------

Após relatos de família, Polícia confirma que casa mal assombrada estava possuída por demônios: “Portal do inferno”

Num mundo cada vez mais cético, a história de que uma casa seria assombrada por demônios não chamaria tanto a atenção. Mas o fato de a Polícia reconhecer a tal possessão demoníaca, sim.

Uma casa no estado norte-americano de Indiana seria um “portal do inferno”, segundo o capitão da Polícia de Gary, cidade no interior do estado.

As primeiras ocorrências que atraíram a atenção da Polícia para a casa foram relatadas por uma família que vivia no local. Os depoimentos incluíam cenas que poderiam ter saído de qualquer filme de terror, como crianças levitando, enxames de moscas durante o inverno, pegadas misteriosas, vozes, entre outros.

Uma imagem que mostra uma silhueta na janela da casa, após a Polícia ter vistoriado o local, correu o mundo essa semana. “As autoridades dizem que a casa estava desocupada no momento que a foto foi tirada”, noticiou o Indianapolis Star.

A última moradora da casa, Latoya Ammons, corroborou as histórias e afirmou que os demônios haviam possuído o local. “Os demônios possuíram a mim e as crianças muitas vezes. Cada vez que isso acontecia, as crianças tinham os olhos esbugalhados, um sorriso perverso em seus rostos e suas vozes se tornavam cavernosas”, disse a ex-moradora.

“Vinte anos, e eu nunca ouvi nada parecido na minha vida. Eu estava me assustou quando eu entrei no quarto”, afirmou o doutor Geoffrey Onyeukwu, médico que examinou a dona de casa e seus três filhos, e que classificou como “bizarras” as visitas que fez à família.

Aconselhada por lideres religiosos a realizar uma limpeza na casa e queimar enxofre em toda a casa, enquanto lia o Salmo 91, a moradora pôs em prática a estratégia, e mesmo com o ritual de exorcismo, a casa continuou assombrada.

Durante um atendimento médico residencial, um dos filhos de Latoya passou a rosnar e sussurrou para o irmão mais novo: “É hora de morrer. Eu vou te matar”. Depois disso, caminhou de costas até a parede, deu um salto mortal e caiu de pé.

“Ele caminhou até a parede, virou-se e ficou lá. Não há nenhuma maneira que ele poderia ter feito isso”, disse a enfermeira Willie Lee Walker. “Nós não sabíamos o que estava acontecendo. Isso foi uma loucura. Eu só conseguir pensar: ‘Precisamos ir embora daqui’”.

A família foi obrigada a se mudar e um padre que teria visitado o local afirmou que realmente as pessoas estavam amaldiçoadas: “Eu acho que houve uma maldição colocada sobre a mãe, e que ela era o foco”, afirmou o padre Maginot.



Fonte: Gospel+
------------

Bradesco recorre à igreja evangélica para oferecer cartão de crédito religioso

Segundo anúncio do banco, parte da anuidade vai para Igreja Internacional da Graça de Deus

Para atrair fiéis à cartela de clientes, o Bradesco oferece um cartão exclusivo da Igreja Internacional da Graça de Deus, fundada por Romildo Ribeiro Soares, conhecido como R. R. Soares.

Segundo anúncio no site do banco, parte da anuidade do cartão, de R$ 105,60, é destinada à igreja. A renda mínima exigida é o salário-mínimo vigente (R$ 724).

Para adquirir o cartão, é necessário apresentar cópia de CPF, RG, comprovante de renda e de residência.

Em nota, o Bradesco afirma que cartão foi criado há mais de cinco anos e tem como objetivo "oferecer ao cliente a opção de adquirir um cartão de uma entidade que ele se identifique”.

Como ele, há outras opções como o SOS Mata Atlântica, Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) e de diversos times. 




Fonte: IG
---------

Sou um péssimo pastor

Desculpe-me, mas sou um péssimo pastor...
...porque eu não vou mudar a minha voz para que você sinta segurança, achando que tenho alguma autoridade, quando eu falar;
...porque eu não vou pensar por você para facilitar sua jornada espiritual;
...porque eu não vou falar mais alto do que você precisa para ouvir;
...porque eu não vou lhe ensinar a determinar ou dar ordens ao Pai, como um filho mimado o faz;
...porque eu não lhe dizer que você é um vencedor quando o a sua espiritualidade está falida;
...porque eu não vou lhe ensinar a temer a Deus mais do que a amá-lo;
...porque eu não lhe direi que você é especial simplesmente por estar frequentando uma Igreja;
...porque eu não alimentarei o seu ego pregando somente as coisas que você gosta de ouvir;
...porque eu não lhe ensinarei a ser próspero a qualquer custo enquanto o mundo morre de fome;
...porque eu não lhe ensinarei a mover as mãos de Deus através de uma oferta sacrificial;
...porque eu não lhe direi que Deus me revelou algo que não está no texto, somente para fazer a mensagem melhor para você;
...porque eu não lhe direi que você não pode beber, se tatuar, ouvir músicas que não tocam na Igreja somente para facilitar o meu pastoreio;
...porque eu não vou lhe ensinar que a igreja de quatro paredes é a casa de Deus;
...porque eu não vou lhe ensinar que se você entregar o dízimo sua responsabilidade com os necessitados estará cumprida;
...porque eu não vou transformar a reunião do culto numa rave para que você fique atraído pelo ambiente;
...porque eu não vou lhe ensinar a marchar por Jesus, enquanto Ele quer que marchemos pelo próximo;
...porque eu não lhe darei uma lista do que pode ou do que não pode para você farisaicamente siga um mandamento no lugar de um Deus;
...porque eu não lhe ensinarei que há um Diabo maior do que a Bíblia conta somente para você poder colocar em alguém a sua culpa;
...porque eu não lhe ocultarei os meus erros para você pensar que é liderado por alguém melhor que você;
...porque eu não vou falar em nenhuma outra língua além da que você consegue compreender;
...porque eu não lhe tratarei melhor por causa do carro que você anda, da roupa que você veste ou do dinheiro que você põe no gazofilácio.

Dentre muitas outras coisas que poderia dizer: fique certo: sou um péssimo pastor.




Fonte: Mero Cristianismo
------------------------

Jogador evangélico Lúcio, diz que existe preconceito com a religião dentro do futebol

Bastante religioso, jogador diz que há esse problema no esporte e que já chegou a ouvir piadas por conta disso

 O zagueiro Lúcio, hoje no Palmeiras, é sabidamente um jogador bastante religioso e costuma mostrar isso em suas entrevistas. Após os jogos também é possível perceber por conta das camisetas que o atleta costuma usar com mensagens desse tipo.

Aos 35 anos e com longa experiência no futebol europeu e na Seleção Brasileira, ele acredita que existe um certo preconceito sobre esse assunto dentro do futebol.

- Preconceito existe. Tanto para quem é ou como para quem não é, mas para mim não mudou muita coisa. É uma oportunidade excelente quando se joga, usar uma camisa para proclamar sua fé. Até chegou a ser banido, pode tomar cartão... Se é regra, que seja cumprida. Somos profissionais. Isso nunca me atrapalhou. É claro que se ouve piadas e comentários que não são agradáveis, mas faz parte da caminhada - falou ele, ao LANCE!Net.

No Palmeiras, um dos melhores amigos do zagueiro nos primeiros dias é o atacante Leandro, que também é bastante religioso. Recentemente ele deu entrevista e citou que os dois se deram bem também por conta das semelhanças relacionadas à fé.



Fonte: Lancenet
---------------

Bispo evangélico Átila Brandão processa jornalistas por publicarem reportagem sobre torturas

Dois jornalistas baianos foram intimados pela 29ª Vara dos Feitos Cíveis e Comerciais de Salvador. Eles estão sendo processados pelo ex-oficial da PM, atual bispo da Igreja Batista Caminho das Árvores, Átila Brandão, por danos morais. A audiência de conciliação será realizada na próxima terça-feira (28), no Fórum Ruy Barbosa.

O bispo evangélico pede R$ 2 milhões de indenização a Emiliano José, pela publicação no jornal A Tarde do artigo intitulado “A premonição de Iaiá”, sobre torturas contra o professor Renato da Silveira Carvalho, em 1971, nas dependências do Quartel dos Dendezeiros. Oldack de Miranda está sendo processado por ter divulgado as notícias na internet.

Em junho do ano passado, a desembargadora Telma Britto já havia suspendido a decisão da juíza Marielza Brandão que ordenou a retirada do artigo “A premonição de Iaiá” do site de Emiliano José, o que caracterizara a censura. A desembargadora atendeu ao Agravo de Instrumento apresentado pelos advogados Luiz Viana Queiróz (presidente da OAB/Bahia) e Jerônimo Mesquita contra a censura. A segunda decisão desfavorável ao bispo Átila Brandão ocorreu quando a juíza Sílvia Bonifácio concedeu habeas corpus (outubro de 2013) mandando trancar inquérito policial na 16ª Delegacia de Polícia, instaurado em decorrência da queixa-crime do ex-oficial da PM.

Os advogados do jornalista Emiliano José argumentaram no Agravo de Instrumento, com pedido de liminar, que a decisão da juíza da 29ª Vara Cível entrou em confronto com a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça. “O Átila Brandão se sentiu ofendido pela narração de um fato histórico, ocorrido no período da ditadura militar, quando Renato Afonso de Carvalho foi preso e torturado no Quartel dos Dendezeiros”.

O processo contra os jornalistas recebeu protestos do Sindicato dos Jornalistas (Sinjorba), da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), da Associação dos Professores (APUB) e um abaixo-assinado com 200 assinaturas foi publicado na Tribuna da Bahia. Sobre o assunto, o jornalista Emiliano José gravou depoimentos à Comissão da Verdade da Bahia e ao Grupo Tortura Nunca Mais.




Fonte: Tribuna da Bahia
--------------------

Líder de seita que defende uso religioso da maconha é mantido preso por tráfico

Em São Paulo, o Tribunal de Justiça manteve a condenação do líder da seita religiosa que defende o uso religioso da maconha, Geraldo Antônio Baptista, de 54 anos, o Geraldinho Rastafári, em decisão publicada nesta quarta-feira, 29. Preso em agosto de 2012 na sede da Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião do Brasil, em Americana, com 37 pés de maconha, ele recorreu ao tribunal para escapar da acusação de tráfico de drogas.

O advogado Alexandre Khuri Miguel alega que o uso da maconha é religioso e deve ser permitido como o chá de ayahuasca, usado pelos seguidores do Santo Daime. "A Constituição garante a liberdade ao culto religioso", afirmou o advogado, que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em decisão de maio de 2013, o juiz Eugênio Augusto Clementi Júnior citou decisão do TJ do Rio Grande do Sul que afirma que a liberdade de culto religioso só pode ser invocada se a prática ritualística não entrar em conflito com a lei penal. "Se alguém quiser sacrificar virgens, como faziam os astecas, a lei brasileira não irá permitir. É o mesmo caso", sustentou o magistrado.

Para o juiz, ficou provado que Ras Geraldinho "fornecia maconha para terceiros", fora dos cultos de sua igreja, incluindo menores de idade.

Erva sagrada. Fundada em 2011, a "igreja da maconha" usa a filosofia rastafári para defender a maconha como erva sagrada e conseguir sua liberação para fins religiosos.

Em um sítio, que foi confiscado pela decisão judicial, além dos pés de maconha, era feito o uso da droga abertamente. Para os integrantes da seita, o uso ritualístico é chamado de "reasoning". Na sentença, o juiz anexou um vídeo onde mostra pessoas fumando maconha na chácara e conclui "o ambiente não é nem um pouco litúrgico".

O juiz apontou ainda que a cobrança de R$ 10 para frequentadores da igreja caracterizava que no local funcionava um "self-service" da droga, como sustentou o promotor de Justiça Clóvis Siqueira. Ele também cita a apreensão dos 37 pés da maconha, que pesaram 7 quilos.

"Foi um erro jurídico interpretar que havia grande quantidade. Desse total da planta, isso viraria 150 gramas, no máximo, que é uma quantia que pode ser usada em um mês", defendeu o advogado.

No entanto, pela sentença do juiz, o líder da seita agiu como traficante de maconha e tinha expressiva quantidade da droga. A pena fixada em primeira instância e mantida pelo TJ foi de 14 anos, dois meses e 20 dias de prisão, multa equivalente a R$ 51,1 mil, além de ter o imóvel apreendido.

O desembargador Ruy Leme Cavalheiro, da 3ª Câmara do Direito Criminal, manteve a condenação e negou todos os argumentos da defesa. Geraldinho está no presídio de Iperó sem poder dar entrevistas, sob alegação de risco de apologia ao uso de drogas.



Fonte: Estadão
-------------

O que a Bíblia diz sobre os bens materiais?

Os bens materiais são só temporários. A Bíblia diz em Levítico 25:23 “Também não se venderá a terra em perpetuidade, porque a terra é minha; pois vós estais comigo como estrangeiros e peregrinos:” 

Não devemos deixar que os nossos bens materiais nos dominem. A Bíblia diz em Mateus 6:24 “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” A Bíblia diz em Lucas 12:15 “E disse ao povo: Acautelai-vos e guardai-vos de toda espécie de cobiça; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui.” 

Não é necessário ter muitos bens materiais para estar felizes e contentes. A Bíblia diz em Filipenses 4:12-13 “Sei passar falta, e sei também ter abundância; em toda maneira e em todas as coisas estou experimentado, tanto em ter fartura, como em passar fome; tanto em ter abundância, como em padecer necessidade. Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” 

Não é bom que nos preocupemos mais pelos nossos bens materiais que pela casa de Deus. A Bíblia diz em Ageu 1:9 “Esperastes o muito, mas eis que veio a ser pouco; e esse pouco, quando o trouxestes para casa, eu o dissipei com um assopro. Por que causa? diz o Senhor dos exércitos. Por causa da minha casa, que está em ruínas, enquanto correis, cada um de vós, à sua própria casa.” 

Devemos compartilhar os nossos bens materiais com aqueles que são necessitados. A Bíblia diz em Atos 2:44-46 “Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração.” 



Fonte: Bíblia Online
----------------

Mórmons fazem congresso para ensinar jovem a se vestir e evitar problema no Carnaval

Eles pregam que a aparência deve ser a mais próxima de um representante de Cristo e, portanto, pedem aos jovens que evitem os modismos. Na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mais conhecida com a dos Mórmons, esse cuidado é tanto que existe até congresso de normas de vestuário.

Em Campo Grande, o último, focado no retiro de Carnaval, aconteceu na semana passada. Foi uma preparação para o FSY (For The Strength of Youth) ou, em português, “Para o Vigor da Juventude”, evento que deve reunir pelo menos 500 jovens de 1 a 5 de março, no Eco Hotel do Lago.

O FSY é um programa da própria igreja, organizado pela BYU (Universidade de Brigham Youg). Nos Estados Unidos é realizado há mais de 30, mas no Brasil chegou apenas em 2011. Trata-se de uma conferência que, segundo o material de divulgação, “proporcionará à juventude a oportunidade de aprender e crescer em conjunto, através da participação em cursos, oficinas e reuniões espirituais”.

Panfleto com orientações para o evento

Regras - É mais um encontro, uma espécie de retiro religioso que vai acontecer no período de Carnaval, mas o que chama a atenção, neste caso, são as regras, bastante rígidas. Os interessados receberam um livreto com todas elas.

Elas - As moças são orientadas a usarem um corte de cabelo conservador, “simples e de bom gosto”. Extravagâncias, como as cores não naturais (verde azul e roxo, por exemplo), não são permitidas.
Brincos? Só um par nas orelhas. É vetado o uso de piercing no corpo ou alargadores. Saias, vestidos e bermudas são autorizados, desde que estejam na altura do joelho.

As roupas, aliás, “não devem revelar partes do corpo, serem justas ou deixar os ombros descobertos”. Mesma regra se aplica às costas e barrigas. “Não se vista de modo relaxado ou inadequadamente informal”, diz o texto.
Calçados devem ser usados o tempo todo, mas o jovem deve se atentar às situações. “Sapato ou sapatilha não deve ser usado em uma atividade recreativa”.

Eles – Para os rapazes as orientações seguem a mesma linha. Eles não podem, de jeito nenhum, usar brincos, piercings ou alargadores, muito menos barba. Nenhum tipo será aceito. “As costeletas não podem passar do lóbulo da orelha, nem crescer em direção às bochechas”.

O corte de cabelo, para os garotos, também deve ser conservador e sem pintura com cores não naturais. Os fios precisam estar, obrigatoriamente, acima do colarinho. Orelhas e olhos devem estar visíveis. “Não são permitidos rabos de cavalos, tranças, trancinhas, desenhos, esculturas (inclusive o estilo moicano) ou a cabeça completamente raspada”.

Na parte do vestuário, a mesma orientação para não parecer relaxado e um adendo: As calças devem ser usadas no nível da cintura; a roupa de baixo não devem aparecer. No item calçados, a mesma norma aplicada às garotas, mas com uma observação: sapato social para o domingo não é o mesmo usado em uma atividade recreativa.

Para os dois - As regras não param por aí. Há outros seis tópicos, destinados para os rapazes e as moças: Não será aceito o uso de chapéus, bonés ou óculos escuros em lugares fechados; camisetas sem manda; vestuário que contenha desenhos e/ou palavras ofensivas e sugestivas; roupas justas; trajes que exponham ou revele o corpo e “modismo” (gótico ou emo, por exemplo).

Todas essas orientações devem ser seguidas à risca ou o participante será proibido de entrar no evento. É uma exigência. Os que não estão de acordo serão barrados.

Vida dentro da igreja - Embora as normas façam parte dos ensinamentos da igreja, elas não são usadas como critérios para aceitação de novos membros. Pelo menos é isso o que garante o diretor de assuntos públicos e administrador do programa FSY em Campo Grande, Daniel Patelli, de 34 anos.

Grupo vai participar do retiro em março

Segundo ele, se alguém de cabelo roxo ou rosa, por exemplo, adentrar ao templo, será bem recebido, como qualquer fiel. Poderá frequentar os cultos, mas será apresentando às regras, claro. O ideal é que se siga. Se não seguir, não será barrado. “Todas as pessoas são bem-vindas. Todos podem entrar e assistir”, disse.

Segundo informações divulgadas em seu site oficial, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tem mais de 15 milhões de membros em todo o mundo, a maioria deles fora dos Estados Unidos. Existem congregações em mais de 150 países e territórios. Em Campo Grande, segundo Daniel, são 11 unidades para 7 mil membros.

Andressa enfrenta críticas, mas tem certeza que quer continuar na igreja

Andressa Borba, de 17 anos e Igor Palhano, de 14, fazem parte desse “time”. Batizaram aos 8 anos. Os dois foram criados na igreja porque, quando nasceram, os pais já eram seguidores, por isso, aprenderam, desde cedo, os ensinamentos.

Apesar de novos, de nem terem saído da adolescência, eles tem a plena certeza de querem seguir a doutrina para o resto da vida. Andressa confessa que teve algumas “crises” internas. “Chega uma hora que bate a duvida”, comentou.

Hoje a garota se diz resolvida. Fala da decisão sem medo de errar: “No decorrer do tempo você vai aprendendo, sabendo que aquilo e verdade. Você consegue sentir no coração que quer aquilo para você. Os padrões que o mundo vive, que as outras pessoas seguem, não vai te fazer feliz. Eu tenho certeza que todas as coisas que sigo vão me fazer e feliz”

Batizado desde 8 anos, Igor diz que, aos olhos do mundo, é um garoto diferente

Igor Palhano vai além. Com discurso de gente grande, o garoto começa dizendo que a igreja sempre quer o melhor. “Nosso melhor com a família, com a gente mesmo. Não buscamos a felicidade momentânea, mas a futura, a duradoura. O que a gente escolhe hoje reflete amanhã e, com certeza, vamos colher a felicidade a coisas boas. Hoje a gente priva o nosso corpo das coisas ruins porque no futuro isso vai ser revertido em atos bons”, disse.

Eles enfrentam críticas, mas já aprenderam a lidar com elas. Andressa diz que, às vezes, pelo estilo de vida, se mostra incompreensível, mas os amigos verdadeiros aceitam e respeitam. Igor comenta a mesma coisa, mas diz que, querendo ou não, “tem certa diferença do mundo”, por isso, diante de tantas influências, o jeito é se manter firme.

Para eles, as regras, mesmo as que parecem absurdas na visão de muita gente, tem fundamento e são perfeitamente aceitáveis. Daniel Patelli, o diretor de assuntos públicos, pensa da mesma forma.

Diretor do programa em Campo Grande, Daniel considera as regras perfeitamente aceitáveis

“Nós consideramos que o corpo é um templo de Deus e nós queremos preservar isso da melhor forma possível”, disse, ao comentar que a mudança às vezes não vem de imediato, mas “à medida que a pessoa vai conhecendo, aprendendo, incorporando e tendo novas amizades com gente que também é da igreja, ela vai mudando seu comportamento e vestuário”.

Apesar da declaração, ele não parece querer influenciar. Finalizou a entrevista dizendo que a igreja não tem preconceitos com nenhuma religião ou pessoa e citando, de uma lista de 13 tópicos, a 11ª Regra de Fé:

“Pretendemos o privilégio de adorar a Deus Todo-Poderoso de acordo com os ditames de nossa própria consciência; e concedemos a todos os homens o mesmo privilégio, deixando-os adorar como, onde ou o que desejarem”.





Fonte: Campo Grande News
----------------------

Frei pivô de confusão entre fiéis em igreja quebra o silêncio

Frei Cláudio van Balen afirma que suspensão das missas foi atitude autoritária e que não houve diálogo

Os olhos azuis estão sem brilho e o semblante cansado denota longas horas de reflexão. Três dias depois da confusão entre fiéis na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em Belo Horizonte, que levou à suspensão da missa dominical das 11h, tradicionalmente celebrada por frei Cláudio van Balen, o principal personagem do episódio quebra o silêncio e se declara inocente nesse “crime”. No início da tarde dessa quarta-feira, após o almoço, o carmelita conversou com o Estado de Minas e se defendeu da acusação de que, no sábado, teria incitado um grupo de paroquianos, já conhecidos como “claudianos”, para impedir a missa de ação de graças, no mesmo horário, celebrada, em caráter especial, pelo pároco frei Evaldo Xavier Gomes, recém-eleito prior provincial (superior) da Ordem dos Carmelitas no Brasil para as regiões Sul e Sudeste, responsável pela paróquia no Bairro do Carmo, na Região Centro-Sul da capital. 

“Meu sentimento é de preocupação com uma dose de tristeza, por ver que, nestes tempos, ainda se briga por bobagens, pelo que não é essencial, por leis que nem são leis”, afirmou o frei de 80 anos, numa pequena sala da igreja que iniciou, em 8 de dezembro, a comemoração do seu cinquentenário. “Agora estou sem missa. Fiquei sem a das 11h, no domingo, e sem a das 19h30, na sexta-feira. Ofereceram-me a das 8h, aos domingos, mas não é minha assembleia. Gosto das pessoas idosas que iam, das famílias”, disse frei Cláudio. Na segunda-feira, ele foi informado sobre a determinação da Arquidiocese de Belo Horizonte e da Ordem dos Carmelitas de suspender a celebração eucarística das 11h, que chega a reunir mais de 1 mil católicos; é famosa pelas homilias do frei holandês, que atua no Carmo há mais de quatro décadas e é partidário da teologia da libertação. “Foi uma atitude autoritária, não houve diálogo, tinham que respeitar.” 

Durante toda a manhã de ontem, o religioso trabalhou num texto –“Um esclarecimento necessário” –, escrito na primeira pessoa e com relatos do caso, que ganhou repercussão internacional entre a comunidade católica. Destacando que “as manifestações imprevistas” o prejudicaram, ele registrou que no domingo estava ausente de BH, “acompanhando um casal amigo à sua residência na vizinhança da capital”. O texto informa que “nada disso foi planejado. O que houve foi uma explosão emocional por parte de fiéis, que estranharam a presença, previamente não anunciada, do pároco frei Evaldo. Fui informado por terceiros de que estaria liberado da celebração”. 

Sem querer tocar em temas espinhosos, como a pressão sofrida em 2010, quando um grupo de fiéis, temendo a expulsão dele, fez até abaixo-assinado para que fosse mantido na paróquia, frei Cláudio não esconde a surpresa com as mudanças na Paróquia de Nossa Senhora do Carmo. “São características e estilos diferentes, atualmente não se priorizam os serviços”, resumiu. No texto, o carmelita destaca que, “desde longa data, nota-se, em boa parte da comunidade, alguma insatisfação. Se antes, durante décadas, os fiéis se acostumaram com uma participação ativa nos trabalhos paroquiais, sempre de comum acordo, hoje se observa certo distanciamento dessa prática”. E mais: “Esse pano de fundo não justifica, mas pode explicar a espontaneidade de uma reação um tanto estranha e, quem sabe, inoportuna, durante a missa”. A Igreja do Carmo tem um trabalho social de grande amplitude, com uma série de serviços nas áreas de educação, saúde, assistência aos carentes, fisioterapia, biblioteca, alimentação e outros, muito disso graças, segundo paroquianos, ao trabalho de frei Cláudio.

SERVIÇOS E PODER Lembrando que o povo não aceita mais determinadas situações, o holandês, que chegou ao Brasil aos 17 anos e, em 1967, a BH, frisa que, “fiéis à mensagem de Jesus, nossa convivência na Igreja tem de se afinar com o papa Francisco. Afinal, ela é o rebanho de ovelhas com um pastor, que visa a uma confraternização libertadora e participativa. A característica de nossa assembleia – ‘convocação’ de todos – há de ser não o ‘poder’, mas o serviço que Jesus sintetizou no gesto do lava-pés. Bem diferente, pois, da Igreja tradicional, que se contentava com um rebanho passivo, obediente e, não raro, alienado”. 

No fim do texto, o frei diz que respeita as ordens superiores e reafirma o compromisso com a sociedade: “Declaro-me, também em nome dos que estiveram presentes nesse evento, respeitador das hierarquias e disposto a prosseguir no caminho da fé inserida na realidade atual. Nosso objetivo é construir uma comunidade em torno de serviços religiosos – em benefício de uma vida de qualidade para todos – visando à formação de uma parcela do povo de Deus, comprometida com a esperança e com os clamores de nossos dias”. 

Cordialidade em encontro

Na tarde de ontem, o titular da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, frei Evaldo Xavier Gomes, teve uma reunião com frei Cláudio van Balen e considerou o encontro “fraterno”. Mas explicou que não há autoritarismo. “Há sucessão em qualquer organização humana, podendo ser o Exército, empresa e até na família, que passa de pai para filho. Na Igreja não é diferente. O que não é normal é não aceitar que as gerações se sucedam”, disse pároco. Ele admitiu que foi oferecido ao frei holandês o horário de missa dominical das 8h, o qual não foi aceito, e, sobre a missa das 19h30 de sexta-feira, lembrou que “é preciso dar lugar a outros”. 

Frei Evaldo disse que o ocorrido domingo, na Igreja, que contou até com a presença da Polícia Militar no altar e ânimos exaltados dos devotos, teve repercussão mundo afora. “Recebi muitos e-mails, alguns de países europeus. O vídeo postado na internet por um anônimo tinha, até a tarde de ontem, mais de 9 mil visualizações.” As cenas mostram gritos, vaias nos padres, bate-boca entre devotos, rostos amedrontados de mulheres, lágrimas e religiosos tentando rezar o terço de joelhos sob grande tensão. Para o superior dos carmelitas, a suspensão da missa das 11h foi uma “resposta normal” a uma situação grave numa celebração eucarística. 

Conforme a paróquia, frei Cláudio não celebraria a missa das 11h apenas no domingo passado. A missa especial, presidida por frei Evaldo e concelebrada por outros carmelitas, inclusive frei Tinus van Balen, irmão de Cláudio, seria para comunicar o nome do novo pároco do Carmo, padre Wilson da Mota Fernandes, de 31 anos, e a eleição de Evaldo para prior provincial (superior) da Ordem dos Carmelitas no Brasil para as regiões Sul e Sudeste. Ontem, num raro momento de descontração, frei Cláudio afirmou: “Como estou sem missa, agora vou escrever meus livros e atuar como psicólogo, pois tenho formação para isso. Moro aqui e ficarei até o dia que permitirem”. E fez um pedido ao rebanho que acompanha suas missas, para que não faça novas manifestações.




Fonte: Estado de Minas
--------------------

Juiz discute assistência religiosa em cadeia

A diretoria do Fórum da Comarca de Colniza (1.065 km a noroeste de Cuiabá) realizou, na segunda-feira (27 de janeiro), uma reunião com líderes religiosos e o diretor da Cadeia Pública local, com o objetivo de ampliar as ações das igrejas dentro da unidade prisional para assegurar a liberdade de crença e o livre exercício dos cultos religiosos.

Participaram da reunião representantes da Associação Espírita Francisco Cândido Xavier e igrejas Assembleia de Deus, Assembleia Madureira, Batista Emanuel, Cristã do Brasil, Quadrangular e Católica.

O juiz Renato José de Almeida Costa Filho, diretor do Fórum da Comarca, esclareceu aos presentes que é permitido aos presos participarem de atividades religiosas dentro da unidade e que a participação das igrejas é importante no processo de ressocialização.

“É necessária a participação ampla das diversas igrejas como forma de garantir o direito constitucional fundamental, que prevê a liberdade de crença e o livre exercício dos cultos religiosos”, disse o magistrado.

O diretor da Cadeia Pública, Luiz Conceição Santos, elogiou a iniciativa da diretoria do Fórum e informou que, atualmente, apenas uma igreja desenvolve regularmente atividades no estabelecimento prisional. Na reunião, representantes de outras instituições religiosas se mostraram interessados em realizar ações na Cadeia Pública, para atender os reeducandos.



Fonte: O Documento
-----------------

Como lidar com os que discordam?

Quando o assunto é lidar com os que discordam ou se opõem à Verdade, existem dois extremos contra os quais devemos vigiar. Um é o de nos ensoberbecermos pelo conhecimento que nos foi gratuitamente dado pelo Senhor e sairmos por aí ofendendo a todos os que não pensam de igual modo. Os Coríntios eram assim, pois eram tão conhecedores (intelectualmente) que desprezavam o apóstolo Paulo que anos antes lhes havia conduzido ao Senhor. Boa parte das duas epístolas é usada por Paulo para apresentar suas credenciais de apóstolo e repreender os coríntios por sua soberba.

Paulo diz: "Pois, quem torna você diferente de qualquer outra pessoa? O que você tem que não tenha recebido? E se o recebeu, por que se orgulha, como se assim não fosse?" (1 Co 4:7 NVI). Eles se esqueciam de que tudo o que sabiam tinham recebido de Deus por graça e não por mérito ou esforço. Em outra parte Paulo escreve: "O conhecimento traz orgulho, mas o amor edifica" (1Co 8:1 NVI).

O outro extremo é querermos ser brandos e pacientes demais com os que se opõem à verdade. Recentemente bloqueei do Facebook e do Youtube um sujeito (incrédulo) que fez um comentário no Youtube insultando de maneira execrável a Pessoa e obra de Cristo. Se ele falasse mal de mim eu talvez deixasse para lá, mas quando alguém é inimigo da verdade não devo tratá-lo do mesmo modo como trataria alguém que ignora a verdade. Vamos encontrar esses inimigos da cruz entre incrédulos e cristãos professos, pois Paulo nos avisou que depois de sua partida entrariam lobos querendo destruir o rebanho e também homens (dentre os cristãos) buscando seguidores (Atos 20). Por isso hoje fica mais difícil hoje filtrar, mas devemos filtrar.

Quando ao homem que "expulsei" de minhas redes sociais, vi que em seu perfil que ele se dedica a combater sistematicamente o Senhor Jesus, a Palavra, a Verdade e tudo o que diz respeito a Deus. Do mesmo modo como alguns criam perfis e canais para propagar a verdade, os perfis e canais dele são para combater a verdade. É certamente um louco em sua fúria demoníaca tentando destruir algo que o incomoda.

"Estes, porém, dizem mal do que não sabem; e, naquilo que naturalmente conhecem, como animais irracionais se corrompem" (Jd 1:10).

Quando alguém diz algo por ignorar a verdade, procuro ajudá-lo. Quando se opõe, mas vejo que é uma oposição sincera apenas por falta de conhecimento, persisto em tentar encaminhá-lo à verdade. Nem sempre iremos encontrar crentes ou incrédulos que concordem com o que pensamos, mas o fato de alguém discordar não é motivo para ser tratado como inimigo. O amor irá procurar conduzi-lo à verdade. Eu mesmo já discordei de muitas coisas que hoje acredito.

"Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade" (Cl 3:12); 

"Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina" (2 Tm 4:2). 

"...disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade" (2 Tm 2:25).

"Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe" (2 Ts 3:14). 

"Se alguém vir pecar seu irmão, pecado que não é para morte, orará, e Deus dará a vida àqueles que não pecarem para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore" (1 Jo 5:16). 

Mas quando alguém deliberadamente ofende a Pessoa do Senhor, tenta anular a obra da cruz ou é petulante ou zombador em seu modo de tratar as "pérolas" e "coisas santas" o melhor mesmo é nos afastarmos dos tais. É prudente também não ficarmos discutindo com pessoas assim nas redes sociais pois estaremos apenas dando a elas oportunidade de destilar seu veneno contra o Senhor. Estou me referindo, mais uma vez, não aos que discordam de boa consciência, mas aos que estão deliberadamente empenhados a difamar o nome de Cristo.

"Como o soltar das águas é o início da contenda, assim, antes que sejas envolvido afasta-te da questão" (Pv 17:14).

"Traze estas coisas à memória, ordenando-lhes diante do Senhor que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam e são para perversão dos ouvintes" (2 Tm 2:14).

É a diferença, por exemplo, de um que não acredita em Deus mas vive sua própria vida sem "pregar" seu ateísmo e nem ficar procurando seguidores, e de um Richard Dawkins, por exemplo, que é um "evangelista do ateísmo" e tem até uma loja virtual para vender badulaques para promover sua aversão a Deus. Enquanto alguns dizendo-se cristãos exploram comercialmente a fé, há também ateus que exploram comercialmente a negação da fé.

Felizmente nas redes sociais (Facebook, Youtube, Twitter...) existem mecanismos para deletar algum comentário impróprio ou chegar ao extremo de bloquear a pessoa para que nem mesmo tenha mais acesso ao nosso perfil nessas redes. É importante entender que o perfil na rede é "a casa" ou "a sala de estar" de alguém, não um lugar público. Se alguém deseja visitar "minha casa", é bem vindo, podemos conversar e até discordar. 

Porém se alguém entra em "minha casa" e passa a se comportar de forma inconveniente, desrespeitosa, ou ofendendo o Senhor, que tanto prezo, sou obrigado a expulsá-lo "de minha casa virtual" como faria na casa de tijolos. Alguém poderá discordar argumentando que isso não é agir de forma democrática, mas quando se trata de um lugar privativo (como é "nossa casa") não se pode querer que cada um faça o que bem entender apelando para uma suposta democracia.

Gosto da história que um irmão norte-americano me contou e que aconteceu na década de 50, quando os homens usavam chapéu. Dois cidadãos bateram à porta da casa de um irmão e disseram que queriam conversar com ele. Ele os convidou a entrar, pegou os chapéus, pendurou-os nos cabides e os três sentaram-se na sala. Quando um deles disse que estavam ali como representantes da "Torre de Vigia" (eram Testemunhas de Jeová) o irmão pediu licença, levantou-se, foi até o cabide, pegou os chapéus, saiu e os colocou no meio da rua. Imediatamente os dois TJ saíram correndo para salvar seus chapéus e o irmão fechou a porta. :)

"Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras" (2 Jo 1:10-11).

"Dize estas coisas; exorta e repreende também com toda a autoridade. Ninguém te despreze" (Tt 2:15).

"Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o" (Tt 3:10)

"Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais" (1 Co 5:11). 

"Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, não aconteça que as pisem com os pés e, voltando-se, vos despedacem" (Mt 7:6). 




Fonte: Mario Persona em O que Respondi
-----------------------------------

Igrejas de Ouro Preto são alvo de vandalismo com referência satânica

Duas igrejas do centro histórico de Ouro Preto, na região Central de Minas Gerais, ambas tombadas pelo patrimônio histórico nacional, tiveram suas paredes pichadas com frases de referência ao satanismo. O vandalismo foi registrado nessa segunda-feira (27), tendo como alvo construções do século XVIII.

A igreja São José, que foi restaurada recentemente depois de ficar 20 anos fechada, teve a parte da frente de sua estrutura rabiscada com tinta vermelha. Foram escritas frases como “satan é rei” e “cristãos ignorantes”, além de desenhos de crucifixos de cabeça para baixo e de estrelas de cinco pontas, que simbolizam o culto ao demônio. A cerca de 100 metros de distância, a igreja São Francisco de Paula, que fica próximo à rodoviária da cidade, teve inscrições parecidas deixadas em suas paredes.

De acordo com o diretor do Museu de Arte Sacra de Ouro Preto e membro da Comissão de Bens Culturais da Arquidiocese de Mariana, Carlos José Aparecido de Oliveira, o crime assusta e chama a atenção também pelo fato de não ser recorrente. Esta é a segunda vez que Oliveira vê ação do tipo em 20 anos. “Não é uma prática comum em Ouro Preto, mas a gente fica entristecido. Foram pichadas inscrições contra a igreja, e, por mais que queiram se manifestar, as pessoas têm que entender o valor do patrimônio, que pertence à cidade”, afirmou.

Foi registrado um boletim de ocorrência, que deve ser encaminhado para o Ministério Público de Minas Gerais e para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O próximo passo, segundo Oliveira, será pedir autorização para contratar um profissional especializado para realizar a limpeza.

Câmeras de segurança

A Polícia Militar (PM) não tem pistas de suspeitos, e, como os monumentos da cidade não possuem monitoramento por câmeras de segurança, a identificação dos criminosos será mais difícil, já que também não foram localizadas testemunhas. A Polícia Civil informou que as investigações ainda estão no início e que as imagens das câmeras do sistema de monitoramento do trânsito de Ouro Preto já foram solicitadas para a Guarda Municipal.

O videomonitoramento dos patrimônios, contudo, faz parte do planejamento da prefeitura. “Como já existe uma verba federal para fazer a segurança dos monumentos, vamos ver se adicionamos as câmeras. Estamos em fase de projeto”, explicou o secretário municipal de Cultura e Patrimônio, José Alberto Pinheiro. Devem ser implantados, ainda, sensores de presença, alarmes de calor e sprinks (que detectam a existência de fogo). De acordo com o Iphan, a verba para a implantação de um sistema de vigilância nos bens tombados é de R$ 2,8 milhões. A licitação para a contratação desse serviço deve ser publicada ainda neste semestre.

Vandalismo motiva retirada de peças originais

Segundo o secretário, a igreja São Francisco de Paula também já teve imagens de santos destruídas. Agora, as originais de são Pedro, são Paulo e são João foram substituídas por cópias. As imagens restauradas não são mais expostas na igreja.

A superintendência do Iphan em Minas Gerais informou, ainda, que já foi feita uma vistoria nas igrejas e que uma reunião com os párocos deve acontecer nos próximos dias para resolver se será feita a remoção da tinta ou se será realizada uma pintura por cima.

Muitos moradores da cidade se revoltaram com o ato de vandalismo e utilizaram as redes sociais para expressar indignação. “Os turistas querem ver nossos monumentos, os filhos da terra querem a preservação. Os que aqui chegam para estudar também têm orgulho. Infelizmente, não tenho esperanças pela punição. Tomara que eu esteja errada”, dizia uma mulher.

“Me sinto indignado...sem palavras! Não respeitar um templo histórico não é somente desrespeitar a fé do próximo mas desrespeitar e não ter amor à história, ao seu país! Até quando teremos esse tipo de depredação sem punição em nossas igrejas?”, questionou um homem.

A pena para quem for pego pichando ou sujando edificações ou monumentos urbanos é de três meses a um ano de detenção e multa. Se o bem for tombado, em virtude do seu valor artístico, arqueológico ou histórico, a pena é de seis meses a um ano de detenção, mais multa.

Tiradentes

Na também histórica Tiradentes, a igreja São Francisco de Paula, no centro da cidade, foi alvo de pichações, nesse domingo (26). Até o momento, não há suspeitos. Uma estação de trem e a delegacia local também foram alvos do vandalismo. A Polícia Civil investiga se os crimes têm relação e vai verificar se câmeras de estabelecimentos próximos filmaram alguma das ações. As pichações ocorreram durante a 17ª Mostra de Cinema de Tiradentes, quando a cidade recebe muitos turistas.




Fonte: O Tempo
---------

Bispo da Universal impõe estratégia de igreja e tumultua Record

Marcelo Silva vice-presidente artístico da Record, recebe título na Câmara Municipal do Rio

A Record nunca teve um começo de ano tão tumultuado como este. Há pouco mais de seis meses no comando da emissora, o bispo da Igreja Universal do Reino de Deus Marcelo Silva parou de observar e começou a agir.

Na segunda-feira, Silva entregou o Domingo da Gente, um programa de entretenimento, para a área de jornalismo. E devolveu o diretor Vildomar Batista para o Hoje Em Dia, numa medida que afetou também o Programa da Tarde. Na quarta, informou a Rodrigo Faro que O Melhor do Brasil vai mudar de nome e passará a ser gravado no Rio de Janeiro, o que obrigará a troca de quase todos os diretores e produtores. Faro se rebelou. À sua equipe, disse que não vai aceitar a mudança e que prefere deixar a emissora.

A próxima vítima de Marcelo Silva deverá ser Marcos Mion. O apresentador do Legendários está preocupado com a possibilidade de perder seu diretor para a recém-contratada Sabrina Sato.

O clima nos bastidores da Record é péssimo. Os profissionais das produções de São Paulo estão inseguros, porque mudanças de diretores acarretam em cortes e novas rotinas. Depois das centenas de demissões de 2013 e de um fim de ano sem nem mesmo um panetone, a insatisfação é geral.

Pode-se argumentar que Rodrigo Faro está blefando, que vai pensar melhor, acatar as ordens e cumprir seu contrato até 2017. Sim, mas a Record conseguiu desestabilizar aquele que até outro dia era sua galinha dos ovos de ouro, que de uma semana para a outra teve de trocar o sábado pelo domingo e conquistar a audiência do domingo com um programa feito para o sábado.

O bispo Marcelo Silva adotou uma estratégia que pode funcionar muito bem em igrejas, mas que não dá certo em ambientes que dependem da criatividade de seus profissionais. Ao trocar diretores de programas, ele age como se deslocasse um bispo de Goiânia para Belém. Quer ganhar o jogo mudando as peças de lugar, atirando para todos os lados, desestabilizando o que já não funciona muito bem.

O resultado pode ser a queda da audiência e mais alguns passos atrás no interminável caminho da liderança.




Fonte: A Crítica
---------------

Pensamento sobre humanismo



“O humanismo não foi inventado pelo homem, mas por uma serpente que sugeriu que a busca por autonomia poderia ser uma boa ideia.”

(R. C. Sproul)

Pastor de 64 anos dorme na rua por uma semana para sensibilizar igreja sobre situação dos desabrigados

Na última semana, o pastor Steve Gehlert da Igreja Congregacional em Lyme, no estado norte americano de New Hampshire, tomou uma iniciativa inusitada para chamar atenção dos membros de sua comunidade para a situação dos desabrigados.

Durante uma semana, o pastor dormiu na rua, se alojando em uma pequena barraca na frente de sua igreja. Apesar da neve e do frio, que chegou a 9 graus negativos, o pastor abriu mão de dormir em sua própria casa para se abrigar em uma pequena tenda e passar a noite em um saco de dormir. Tudo isso em uma tentativa de incentivar sua congregação a ser mais compassiva em relação aos desabrigados da região.

- É para ajudar as outras pessoas a pensarem sobre o que as pessoas desalojadas estão passando – afirmou Gehlert, de 64 anos.

Lynn Kenton, que frequenta a igreja, conta que quando Gehlert anunciou seus planos durante o culto “houve um silêncio mortal” entre a congregação.

Segundo o pastor, apesar de estar bem equipado, a experiência foi um desafio para ele. Refletindo sobre a situação daqueles que não tem a mesma sorte que ele, o pastor afirma que cada momento foi uma luta, mas que ele se considerava com sorte, pois tinha acesso a um banho quente todos os dias, diferente daqueles que realmente moram nas ruas.



Fonte: Gospel+
------------

Rua tem 11 igrejas e uma concorrência onde só não se converte quem não quer

São 11 igrejas na mesma rua, é praticamente uma por quadra. Na Anselmo Selingardi, entre os bairros Parque do Lageado e Dom Antônio Barbosa, só não se converte quem não quer. É mais templo sagrado do que boteco, farmácia, padaria ou mercado. Um contraste, em meio a uma região violenta e sob forte influência do tráfico de drogas.

O Lado B contou: Das 11, seis são da igreja Assembleia de Deus e levam a denominação das vertentes “Gideão de Cristo” e “Missões”. Do restante, três são da Pentecostal, uma é católica, mas sem nome, pelo menos visível e a outra se chama “Igreja Internacional Cristo Reina”.

Perguntando de casa em casa, parece que ninguém se surpreende em ver tanto salão anunciando ser igreja. “Acho que é para proteger o bairro, aqui é bem pesado”, comenta a comerciante Vanda Regina Rodrigues, de 52 anos. Ela, apesar de tanto lugar ali perto, sai de casa até o bairro Guanandi para congregar.

Os horários de cultos são variáveis, a partir das 19h, às terças, quartas, quintas e sextas e pela manhã aos sábados e domingos, com escolas de ensinamento bíblico. O comerciante Valdir Jesus do Bonfim, de 45 anos, resume “se quiser, todo dia tem igreja de portas abertas. Mas rapaz, não sei quantas tem não, só sei que é bastante”.

Das que a gente contou, 11 tem fachada, fora os espaços que abriram meio às escondidas. Segundo o técnico em refrigeração, Arildo Rodrigues Garcia, de 59 anos, tudo quanto é salão, virou igreja. “Começou há muitos anos, abrir uma igreja aqui, outra ali. Aqui nessa rua tem muita, tem quadra que tem até duas, mas é que não está escrito”.

A jovem dona de casa Priscila Gonçalves Brittes, de 20 anos, brinca que por ali, se sente a única “perdida”, por não pertencer e nem tampouco frequentar nenhuma das igrejas. “Tem pra tudo quanto é lado. Meus irmãos vão. Aqui só não converte porque não quer, porque tem um monte”, descreve.

Caseiros de uma das igrejas Assembleia de Deus, Andreia Rodrigues Tobias e o marido Paulo César Tobias sabem de cor onde está cada uma. Vindos de Minas Gerais, o que causou estranheza foi a desigualdade em número. “Tem lugar por Campo Grande que não tem e outros têm muito. O pastor daqui tinha intenção de levar a igreja para avenida porque acha que é muito escondido”, comenta.

A igreja fica na esquina, mas acaba camuflada pela quantidade de cópias espalhadas pela rua. “Igreja tem muita, mas tem muita gente que precisa frequentar”, diz Andreia. Ou seja, no fim das contas, o número parece pequeno em comparação a quantidade de fieis em potencial.

O marido resume “melhor igreja do que boteco, não é”. Pode ser. Segundo o casal, a realização dos cultos não atrapalha ninguém. Cada um à sua quadra e à sua maneira.




Fonte: Campo Grande News
----------------------

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

'Há um abismo entre o Cristo da fé e o Jesus histórico', afirma historiador

Reza Aslan escreveu um livro sobre o Jesus histórico, que virou best-seller.
A vida de Jesus é alvo de pesquisas desde o século XIX.

O novo testamento conta a história de Jesus Cristo, mas o que dizem outras fontes sobre quem realmente foi Jesus? O Jesus histórico. Esse tema é alvo de pesquisas desde o século XIX. O historiador Reza Aslan reuniu as principais conclusões no livro ‘Zelota – A vida e o tempo de Jesus de Nazaré’, que virou best-seller nos Estados Unidos.

O livro de Aslan provocou a ira de fundamentalistas cristãos, que atacaram o historiador. Como é possível que um muçulmano fale sobre Jesus? Jovem americano de origem iraniana, Aslan vive na Califórnia. Ele só teve contato com o evangelho aos 15 anos, e ficou fascinado. "Eu nunca tinha ouvido nada parecido na vida. Foi uma experiência transformadora", conta.

O contato com a história de Jesus Cristo foi tão marcante para Aslan que ele decidiu se converter e pregar a mensagem de Deus a todos que conhecia. A religião também influenciou a vida acadêmica do historiador, que decidiu estudar o Novo Testamento. Foi quando ele se surpreendeu. "Foi nesse momento que tive a percepção de que muita coisa que eu julgava saber sobre Jesus era incompleta, se não incorreta, e que há um abismo entre o Cristo da fé, ao qual fui apresentado na igreja, e o Jesus histórico", explica.

Descobrir que suas percepções não eram tão exatas fez com que Aslan passasse a estudar mais sobre o Jesus histórico. Essa pesquisa originou o best-seller ‘Zelota – A vida e o tempo de Jesus de Nazaré’. "Jesus se tornou mais real para mim, mais acessível e até mais simpático. E o livro surgiu disso; eu quis escrever sobre esse homem”, conclui o historiador.



Fonte: G1
---------

Aguardando com paciência

"Portanto, irmãos, sejam pacientes até a vinda do Senhor. Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera." (Tiago 5:7)

As primeiras chuvas em Israel geralmente vêm no final de outubro ou início de novembro. Eram ansiosamente aguardadas pelos agricultores, porque iriam amolecer o solo árido para o arado. As últimas chuvas chegam no final de abril ou maio. Estas são essenciais para o amadurecimento dos frutos. Se o agricultor saísse apressado e colhesse os frutos antes de seu tempo, iria destruí-los. Por isso, ele tinha que esperar.

Tiago sabia que a paciência também é um fator importante na espera da volta do Senhor. Ele escreveu: "Portanto, irmãos, sejam pacientes até a vinda do Senhor. Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera." (Tiago 5:7).

Nenhuma colheita surge da noite para o dia. Assim como um agricultor, precisamos ter também paciência e saber que leva tempo para que o crescimento apareça em nossas vidas. No entanto, a palavra "paciência" não traduz uma resignação passiva; mas sim, uma espera ansiosa pelo Senhor. Essa não é uma abordagem indiferente. Ao contrário: é uma animada expectativa, uma prontidão.

Alguns crentes não vivem dessa maneira. Apenas esperam passivamente o seu tempo. Mas a Bíblia nos diz que devemos estar ativamente preparados enquanto aguardamos a volta de Cristo: "Façam isso, compreendendo o tempo em que vivemos. Chegou a hora de vocês despertarem do sono, porque agora a nossa salvação está mais próxima do que quando cremos. A noite está quase acabando; o dia logo vem. Portanto, deixemos de lado as obras das trevas e vistamo-nos a armadura da luz." (Romanos 13:11-12).

Certifiquemo-nos que estamos vivendo de maneira santa, aguardando pacientemente a volta de Cristo.



Fonte: Devocionais Diários
-----------------------

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

David Miranda, líder da Igreja Deus é Amor, afirma que fiéis que deixaram a denominação “vão morrer”

O missionário David Miranda, fundador da Igreja Pentecostal Deus é Amor, afirmou que os fiéis da denominação que deixaram de frequentá-la morrerão.

A fala, com tom de ameaça, aconteceu durante uma pregação do missionário, que alegou ter recebido o alerta do Espírito Santo.

“Eu quero falar, para aqueles irmãos e irmãs que eram da Igreja Deus é Amor, e aceitaram Jesus, o divino Espírito Santo está me revelando: vocês que foram para outra igreja, estão doentes, enfermos… Vocês vão morrer. Prepara para encontrar com a morte. Quem está dizendo é o Espírito Santo, porque você prometeu que nunca deixaria a Igreja Deus é Amor. A Bíblia diz que é melhor não prometer, do que prometermos e não cumprirmos”, disse o líder pentecostal.

A Deus é Amor é uma denominação com décadas de tradição pentecostal ultraconservadora, e conhecida por algumas determinações controversas em relação à higiene feminina e à vida sexual de casais que são membros da igreja. David Miranda também é conhecido por pregar que evangélicos não devam ter televisores em casa, por estes serem a “imagem da besta” mencionada no Apocalipse.

Há quase dois anos, David Miranda chamou a atenção dos evangélicos em geral por dizer que as redes sociais “são instrumentos do diabo e muitos crentes caíram no laço”.

“Muitos crentes estão escrevendo o diário de sua vida ali. Isso é de satanás, isso não é de Deus. O inferno se levantou contra você para te ganhar nesses aparelhos diabólicos”, disse o líder religioso à época.

Confira a fala do missionário David Miranda sobre a morte dos fiéis que abandonaram a Deus é Amor:



Fonte: Gospel+
-------------

História de menino com Síndrome de Down que toca violino e fala quatro línguas inspira o mundo

A história de um jovem de 16 anos está percorrendo o mundo e impressionando milhares de pessoas nas redes sociais. Trata-se de Emmanuel Joseph Bishop, que, apesar de viver com Síndrome de Down, revela um talento invejável ao tocar violino e no domínio de línguas como o inglês, o espanhol, o francês e o latim.

Educado em casa dos pais, que nunca duvidaram das suas capacidades físicas e cognitivas, Emmanuel aprendeu muito cedo a ler e descobriu a sonoridade do violino com apenas 6 anos. Contra muitos preconceitos e estigmas, o jovem acabou por mostrar ao mundo que se encontra ao nível de tantos outros da sua idade.

Para provar precisamente que a síndrome que o acompanha desde que nasceu não o impede de ser tão bom ou melhor que os restantes, Emmanuel tem vindo a oferecer conferências pelos quatro cantos do mundo. Nelas partilha a sua experiência de vida e os seus interesses (como o desporto e a música) e inspira crianças com o mesmo tipo de problema. 

Atualmente, são vários os países em que a lei permite o aborto no caso de os bebés sofrerem de Síndrome de Down.

Veja abaixo um vídeo onde o jovem Emmanuel toca violino com a Antalya State Symphony Orchestra.




Fonte: Boas Notícias
------------------

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Não sabemos o que é igreja

Igreja não é templo, não é sinagoga, não é mesquita. Não é o santuário onde os fiéis se reúnem para cultuar a Deus. Igreja é gente, e não lugar. É a assembléia de pecadores perdoados; de incrédulos que se tornam crentes; de pessoas espiritualmente mortas que são espiritualmente ressuscitadas; de apáticos que passam a ter sede do Deus vivo; de soberbos que se fazem humildes; de desgarrados que voltam ao aprisco.

Igreja é mistura de raças diferentes, distâncias diferentes, línguas diferentes, cores diferentes, nacionalidades diferentes, culturas diferentes, níveis diferentes, temperamentos diferentes. A única coisa não diferente na Igreja é a fé em Jesus Cristo.

A Igreja não é igreja ocidental nem igreja oriental. Não é Igreja Católica Romana nem igreja protestante. Não é igreja tradicional nem igreja pentecostal. Não é igreja liberal nem igreja conservadora. Não é igreja fundamentalista nem igreja evangelical. A Igreja não é Igreja Adventista, Igreja Anglicana, Igreja Assembléia de Deus, Igreja Batista, Igreja Congregacional, Igreja Deus é Amor, Igreja Episcopal, Igreja Holiness, Igreja Luterana, Igreja Maranata, Igreja Menonita, Igreja Metodista, Igreja Morávia, Igreja Nazarena, Igreja Presbiteriana, Igreja Quadrangular, Igreja Reformada, Igreja Renascer em Cristo nem igrejas sem nome.

A Igreja é católica (universal), mas não é romana. É universal (católica) mas não é a Universal do Reino de Deus. É de Jesus Cristo, mas não dos Santos dos Últimos Dias. Porque é universal, não é igreja armênia, igreja búlgara, igreja copta, igreja etíope, igreja grega, igreja russa nem igreja sérvia. Porque é de Jesus Cristo, não é de Simão Pedro, não é de Miguel Cerulário, não é de Martinho Lutero, não é de Simão Kimbangu, não é de Sun Myung Moon, não é de João Paulo II.

Em todo o mundo e em toda a história, a única pessoa que pode chamar de minha a Igreja é o Senhor Jesus Cristo. Ele declarou a Cefas: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mt 16.18).

Não há nada mais inescrutável e fantástico do que a Igreja de Jesus Cristo. Ela é o mais antigo, o mais universal, o mais antidiscriminatório, o mais inexpugnável e o mais misterioso de todos os agrupamentos. Dela fazem parte os que ainda vivem (igreja militante) e os que já se foram (igreja triunfante). Seus membros estão entrelaçados, mesmo que, por enquanto, não se conheçam plenamente. Todos igualmente são “concidadãos dos santos” (Ef 2.19), “co-herdeiros com Cristo” (Ef 3.6; Rm 8.17) e “co-participantes das promessas” (Ef 3.6). Eles são nada menos e nada mais do que a Família de Deus (Ef 2.19; 3.15). Ali, ninguém é corpo estranho, ninguém é estrangeiro, ninguém é de fora. É por isso que, na consumação do século, “eles serão povos de Deus e Deus mesmo estará com eles” (Ap 21.3).

A Igreja de Jesus, também chamada Igreja de Deus (1 Co 1.2; 10.22; 11.22; 15.9; 1 Tm 3.5 e 15), Rebanho de Deus (1 Pe 5.2), Corpo de Cristo (1 Co 12.27) e Noiva de Cristo (Ap 21.2), tem como Esposo (Ap 21.9), Cabeça (Cl 1.18) e Pastor (Hb 13.20) o próprio Jesus.

A tradicional diferença entre igreja visível e igreja invisível não significa a existência de duas igrejas. A Igreja é uma só (Ef 4.4). A igreja invisível é aquela que reúne o número total de redimidos, incluindo os mortos, os vivos e os que ainda hão de nascer e se converter. Eventualmente pode incluir pecadores arrependidos que nunca freqüentaram um templo cristão nem foram batizados. Somente Deus sabe quantos e quais são: “O Senhor conhece os que lhe pertencem” (2 Tm 2.19). A igreja visível é aquela que reúne não só os redimidos, mas também os não redimidos, muito embora passem pelo batismo cristão, se declarem cristãos e possam galgar posições de liderança. É a igreja composta de trigo e joio, de verdadeiros crentes e de pseudocrentes. Dentro da igreja visível está a igreja invisível, mas dentro da igreja invisível nunca está toda a igreja visível. A Igreja de Jesus é uma só, porém é conhecida imperfeitamente na terra e perfeitamente no céu.





Fonte: Revista Ultimato
-------------------

Ampola com sangue do papa João Paulo II é roubada na Itália. Polícia suspeita de ritual satânico.

A polícia da Itália informou nesta segunda-feira que uma ampola com o sangue do papa João Paulo II foi roubada na noite de domingo da igreja de San Pietro della Iencca, em Abruzzo, na região central do país. O local era muito visitado pelo pontífice, que morreu em 2005 e será canonizado em abril.

Segundo as autoridades, a ampola foi retirada de um relicário que também continha um crucifixo. Cerca de 50 agentes fazem buscas na região com cães farejadores, mas ainda não encontraram os criminosos. A polícia suspeita que o sangue seja usado para um ritual satânico.

A igreja fica perto da montanha do Gran Sasso, na cordilheira dos Apeninos, uma região muito querida por João Paulo II que a visitou várias vezes para meditar, passear e até esquiar nos primeiros anos de seu pontificado, iniciado em 1978.

Só existem três frascos com sangue do papa João Paulo II no mundo. Em agosto de 2012, três ladrões a bordo de um trem roubaram uma mochila de um padre que continha um relicário em forma de livro onde estava a ampola de sangue do pontífice.

O material, no entanto, foi encontrado horas depois perto da estação de ferrovia de Marina di Cerveteri, no litoral de Roma. João Paulo II será canonizado pelo papa Francisco em 27 de abril, junto com João 23, em uma celebração no Vaticano.



Fonte: Folha
----------

Pela fé, eles recolhem lixo pela cidade e oferecem orações. Que religião é essa?

Em uma manhã de quinta-feira na praça Ary Coelho, um grupo se destaca por recolher o lixo que deixa o lugar com aspecto de abandono. Com luvas de plástico e disposição aparente, 4 pessoas vão retirando o que foi jogado no chão e colocando em sacolas.

Enquanto o serviço de limpeza é feito por uns, outro homem sai pelo lugar oferecendo orações. “Posso oferecer uma oração para a senhora?”, diz o rapaz de quimono preto. A mulher aceita, ele se ajoelha e com as mãos vai fazendo movimentos enquanto pede por ela a limpeza da alma.

Carlos Eduardo, de 34 anos, é um dos seguidores da igreja Tenrikyo, criada no Japão em 1838. Na praça, ele explica que a base do que acredita reúne “céu, razão e ensinamento”.

Pelas cidades por onde passam para divulgar a religião, os fiéis limpam pontos específicos, sujos, como uma forma de ajudar o próximo. “Quando limpamos, também estamos limpando o espírito”, diz.

Em Campo Grande, não há sede da igreja, que no Brasil só existe fisicamente em Bauru (SP). Ao chegar por aqui, a impressão não foi boa. “A praça é bastante suja”, comenta Carlos.

Fiéis recolhem lixo na praça de Campo Grande

O grupo está na cidade desde terça-feira e ontem se reuniu com grupo Alcoólicos Anônimos. Um dia depois, já tinha gente do AA ajudando na coleta de lixo.

Essa relação com a sujeira começa pelos ensinamentos de Oyassama, uma japonesa nascida em 1798, que seria a porta-voz de Deus na terra. A igreja acredita que “poeiras”, como a mentira e a avareza, provocam doenças físicas e da alma.

Os fiéis têm como objetivo em vida praticar o “Serviço Alegre’ e como merecimento terão o “alimento celeste”. “É ensinado que todos os seres humanos que tomarem este alimento terão a vida conservada sem doença, morte ou enfraquecimento até atingirem a idade de 115 desfrutando uma Vida Plena de Alegria”, reforça a Tenrikyo em sua página na internet.



Fonte: Campo Grande News
---------------------

domingo, 26 de janeiro de 2014

A música evangélica chegou ao fundo do poço

O vídeo abaixo aponta de forma clara e efetiva de que parte da igreja brasileira está completamente perdida. Os louvores entoados em nossas congregações apontam não somente para o despreparo doutrinário dos pastores como também da incapacidade dos compositores escreverem músicas que glorificam a Deus.

Lamentavelmente boa parte das músicas evangélicas tem pecado pela propagação de heresias e mensagens totalmente contrárias aos ensinamentos bíblicos. Infelizmente muitos hinos e cânticos populares têm ensinado aos cristãos valores e conceitos absolutamente antagônicos as Sagradas Escrituras. Na verdade, nosso cancioneiro está cheio de graves erros teológicos como podemos testemunhar no vídeo abaixo.  Se não bastasse isso, algumas destas canções fazem apologia a teologia da prosperidade, confissão positiva ou  vingança pessoal.

Pois é, como já escrevi anteriormente parece que nos últimos anos, a igreja se perdeu no caminho em direção ao trono do Altíssimo, Isto porque, as letras de canções como estas, são empobrecidas teologicamente, simplistas e sem graça. Além disso, ouso afirmar que aos compositores falta oração, busca de Deus, consagração e compromisso com a Palavra.

Definitivamente a coisa está feia! Minha oração é que o Senhor nosso Deus nos reconduza a sala do trono e que lá possamos adorá-lo integralmente entendendo assim, que a glória, o louvor, a soberania pertence exclusivamente a Ele.





Fonte: Pr. Renato Vargens em seu blog
---------------------------------