quinta-feira, 17 de abril de 2014

Atravessando tempestades

"Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito." (Atos 27:25)

Às vezes podemos pensar que, se estamos sob a vontade de Deus, navegaremos sempre por águas tranquilas. Mas muitas vezes é exatamente o oposto. Portas batem na nossa cara, obstáculos aparecem em nossos caminhos e tempestades surgem para nos colocar fora de rumo.

É por isso que precisamos nos lembrar que há um inimigo que quer que paremos de fazer as coisas que Deus quer que façamos.

Mesmo quando o apóstolo Paulo percorria o seu caminho fazendo a vontade de Deus, ele passou por momentos difíceis. Uma incrível tempestade atingiu o barco em que ele e outras pessoas estavam, fazendo-as temer por suas vidas. Mas não havia obstáculo grande o bastante para deter Paulo. Ele sempre conseguia se sobrepor às circunstâncias.

À medida em que atrevessava a tempestade, Paulo sabia que Deus havia lhe mostrado o que fazer, e que Ele não deixaria que nada o desviasse desse objetivo.

Quando um momento difícil chega, quando uma crise aparece, quando uma tragédia acontece, frequentemente queremos sair delas. Pedimos a Deus por um alívio e solução aos nossos problemas.

Mas muitas vezes Deus quer que aprendamos enquanto estamos vivendo esses problemas. Romanos 8:35-37 diz: "Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: 'Por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro'. Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou." Observe a frase "Em todas estas coisas". Não está dizendo que não passaremos por essas coisas. Está dizendo que nessas coisas somos mais que vencedores.

Se você quer obedecer a Deus, então espere por oposição. Espere por obstáculos e por dificuldades.
Mas espere  também  pelo auxílio de Deus para passar por tudo isso.





Fonte: Devocionais Diários
------------------------

Projeto que propõe distribuição de kit bíblico em escolas gera polêmica

Autor da proposta, deputado Kennedy Nunes (PSD) não vê problema em falar de religiosidade em salas de aula

Com um longo caminho a percorrer até ser votado no plenário da Assembleia Legislativa, o projeto de lei do deputado estadual Kennedy Nunes (PSD) que prevê a distribuição de um kit bíblico aos alunos da rede estadual já causa polêmica. Na sexta-feira, a proposta gerou debate nas redes sociais. Houve quem apoiasse e criticasse a ideia.

De acordo com a proposta, a intenção é enviar aos estudantes com idades entre seis e 12 anos kits contendo uma Bíblia que, garante o parlamentar, será escolhida de acordo com a religião do aluno.

— Vamos contemplar todas as religiões, sem exceção. E as Bíblias poderão ser escolhidas, por exemplo, em versões católicas ou evangélicas — alega Kennedy.

O parlamentar não explica, no entanto, se os livros sagrados de religiões não cristãs, como o islamismo e o judaísmo, seriam distribuídos da mesma maneira.

Kennedy argumenta que a ideia é criar várias opções de kits. Ainda não está definido, no entanto, qual seria o impacto financeiro da medida aos cofres do Estado. A sugestão do deputado é criar parcerias público-privadas com entidades e organizações religiosas para patrocinar a compra e a distribuição dos materiais.

“Qual o problema?”, pergunta o deputado

Na sexta-feira, após ser criticado por internautas sobre a criação do kit, Kennedy usou o Twitter para defender sua proposta. Segundo ele, a falta de religião “faz do ser humano um androide”.

— Qual o problema em falar de religiosidade nas escolas? Querem falar de sexualidade e até de gêneros e por que a religião não? — escreveu.

Para Cássia Ferri, pró-reitora de ensino da Univali e especialista em educação, este tipo de projeto causa desconforto se não forem abordadas todas as religiões existentes.

— As escolas públicas precisam aceitar toda a diversidade religiosa. A leitura dos textos bíblicos é válida, mas não pode ser a única opção aos alunos — explica Cássia.

Além dos kits, a proposta de Kennedy prevê a realização de aulas extracurriculares sobre a Bíblia. Para ser votado no plenário da Assembleia Legislativa, o projeto ainda precisa passar pelas comissões de Legislação e Justiça e de Educação, Cultura e Desporto da casa.

Projeto semelhante em São Paulo

O projeto do kit bíblico de Kennedy Nunes não é inédito. Em São Paulo, uma proposta semelhante está em tramitação na Assembleia Legislativa e serviu de inspiração para que o parlamentar trouxesse a ideia para Santa Catarina.

Ele argumenta que o objetivo do projeto é “amenizar os conflitos nos lares, nas escolas, nas ruas e na sociedade em geral”.

Sobre a polêmica, o deputado nega a existência de um doutrinamento religioso e afirma que, com essa proposta, a ideia é promover uma discussão sobre a espiritualidade.

— Estamos em uma era em que a conectividade nos afasta uns dos outros e de Deus. Se eu conseguir levantar a bandeira da espiritualidade, já é um mérito — diz.

O secretário de Educação de Santa Catarina, Eduardo Deschamps, preferiu não se manifestar antes de analisar melhor o projeto.

O que o projeto propõe

- Kits bíblicos educativos serão distribuídos nas escolas estaduais para crianças entre seis e 12 anos.
- Os alunos receberão lições que vão acontecer durante o período letivo regulamentar.
- As aulas terão um caráter extracurricular e serão ministradas em horários fora da grade curricular.
- As escolas poderão fazer parcerias com entidades religiosas, ONGs e associações para desenvolvimento dos materiais.




Fonte: Diário Catarinense
---------------------

Vídeo de pedido de casamento feito a partir de versículos bíblicos emociona e se torna viral nas redes sociais

Um vídeo  de um pedido de casamento tem percorrido as redes sociais como exemplo de criatividade e demonstração de afeto do noivo. No entanto, o que mais se destaca, é o resumo do significado da palavra amor, que foi expresso através de versículos bíblicos.

O noivo marcou um encontro com sua amada no topo de uma montanha, onde há os escombros de uma antiga edificação e uma vista ampla da paisagem do local. No caminho para a subida, deixou Bíblias abertas nas passagens que falam sobre o amor, destacando os versículos com marcadores de texto.

Entre os versículos escolhidos, o primeiro a ser “encontrado” pela jovem foi 1 Coríntios 13: “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece; [...]permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor”.

Na sequência, a mensagem passou a ser mais direta, dando a entender claramente o motivo do encontro: “Maridos, amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela”, dizia o trecho grifado em Efésios 5:25.

Quando o casal se encontra, a passagem de 1 Pedro 4:8 mencionada: “Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros, porque o amor perdoa muitíssimos pecados”.

O vídeo termina com o pedido de casamento de Nathan a Meagan, e o aguardado “sim” da agora, noiva. 

Assista:




Fonte: Gospel+
-------------

Aluna evangélica é proibida de estudar por usar saia em escola

Estado defende decisão de diretor de escola pública, mas especialistas criticam restrição à liberdade religiosa

Um impasse envolvendo o uso de uniforme está causando polêmica na escola estadual Caic Euclides da Cunha, em Rio das Pedras. Com o sonho de se formar no ensino médio, a diarista Ana Cristina Silva Torres, de 37 anos, contou que, há cerca de duas semanas, foi impedida de frequentar as aulas do curso de Educação Para Jovens e Adultos (EJA), à noite, porque a direção da unidade proibiu o uso de saia para as alunas. Nos últimos dias, Ana Cristina conseguiu voltar a estudar, mas ainda não sabe como sua situação será resolvida. A Secretaria estadual de Educação informou que existe um padrão de uniforme escolar na rede pública de ensino, composto por calça, camisa e tênis, que deve ser respeitado por todos os alunos.

— Sou evangélica e a saia é a vestimenta que eu costumo utilizar no meu dia a dia. Não é nem que a religião me obrigue a só usar saia, mas é como eu me sinto bem. A direção da escola foi trocada e o novo diretor disse para mim que não podia abrir mão do (uso) do uniforme, e que iria cortar o meu nome da lista de alunos matriculados no colégio. E ele nem quis conversar, ouvir meus argumentos. Foi uma situação que me deixou muito magoada — contou a diarista.

Ana Cristina era analfabeta até seis anos atrás, quando começou a estudar, pensando principalmente em poder acompanhar os estudos das duas filhas. Depois de completar a alfabetização, a diarista resolveu fazer o curso supletivo do ensino fundamental e agora se esforça para conseguir o diploma do ensino médio.

— Essa decisão me pegou de surpresa. (O diretor) falar que iria cortar meu nome da lista (dos matriculados) foi um golpe num sonho que eu tenho desde criança, de conseguir me formar. Os meus pais não me deixaram estudar. Hoje, é um objetivo não só meu como também das minhas filhas. É como se tivessem jogado um balde de água fria na gente — acrescentou Ana Cristina.

Em nota, a secretaria argumentou que “todas as escolas, (das redes) pública ou privada, têm que possuir regras, como o uso do uniforme, para garantir a segurança de toda a comunidade escolar. Os direitos e deveres são para todos, independentemente da religião que professem”.

Sobre o caso específico da diarista, a secretaria disse ainda que “caso o diretor abra exceção, terá que liberar para todos, acabando com o uso do uniforme”. E concluiu afirmando que a estudante foi a única pessoa que se recusou a frequentar a escola com o padrão exigido de calça, camisa e tênis.

Caso é comparado à proibição do uso de burca por alunas na França

Especialistas ouvidos pelo GLOBO foram unânimes em questionar a postura da escola e da secretaria. Consideram que o exercício da manifestação religiosa, refletido na roupa, não pode ser tolhido. O coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, compara a restrição de que a aluna foi vítima à situação das estudantes muçulmanas na França, que foram proibidas de usar a burca para ter acesso às escolas:

— É uma luta entre o sistema de ensino, querendo impor regras de comportamento, versus uma opção religiosa. A restrição é equivocada, e tanto a identidade individual quanto sua cidadania estão sendo desrespeitadas.

O educador destaca que a escola é laica, o que não significa que ela tenha que obrigar um padrão de comportamento e impedir a manifestação religiosa.

O sociólogo e diretor do Iuperj, Geraldo Tadeu Monteiro, chama atenção para semelhanças entre a situação carioca e a polêmica nas escolas francesas, em que “uma norma religiosa colide com uma outra norma, secular”:

— A estudante não está pedindo nada de mais, ela não quer ficar nua, por exemplo. E a obediência às normas religiosas não traz prejuízo aos outros alunos. Pelo que temos visto em termos de decisão judicial nos últimos tempos e pela nossa cultura, é possível que a Justiça se posicione favoravelmente à aluna.

Ao ser informada pelo GLOBO sobre a polêmica, a Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ ofereceu amparo jurídico à estudante. O vice-presidente da comissão, Aderson Bussinger, defende que, frente a uma situação de convicção religiosa “profunda”, tem que haver flexibilidade. Diz que o caso deve ser tratado como algo de caráter excepcional, para que ela use a roupa que quiser.

— Considerando o preceito da liberdade religiosa como causa pétrea da nossa Constituição e uma questão internacional de direitos humanos, a escola tem que se adequar a essa realidade religiosa.

Saia e vestido rosa choque

Em fevereiro deste ano, sem ar-condicionado no local de trabalho e proibido de entrar de bermuda, o funcionário público André Amaral Silva foi trabalhar de saia no Rio e virou notícia.

Em 2009, Geisy Arruda foi hostilizada por causa de um vestido rosa choque, considerado curto demais por outros alunos de sua faculdade, em São Paulo, e tornou-se uma celebridade.



Fonte: O Globo
------------

Com estratégia mais profissional, igreja busca fiéis em baladas

Fiéis reunidos em balada gospel na rua Augusta 

Se, de um lado, as igrejas neopentecostais barram comportamentos seculares em suas festas, de outro é nas noitadas tradicionais que buscam eventuais fiéis.

O produtor João Rodrigues, 33, o DJ MP7, diz ter feito um levantamento numa festa tradicional na Vila Olímpia, região badalada da capital: 30% dos frequentadores eram evangélicos.

“A gente pega casos de jovens que têm problemas de família, de comportamento, metidos com drogas e bebida. A gente não cobra dessas pessoas. A gente convida. É uma estratégia de evangelização”, explica.

O bispo Felipe Corrêa, 28, responsável pela festa Sky, da Renascer, conta: “A gente diz para os jovens convidarem um colega da faculdade, um vizinho do bairro”.

Ricardo Mariano, professor de sociologia da USP, afirma que a prática de buscar fiéis fora das igrejas vem sendo profissionalizada, mas é comum desde os anos 1980, quando a Renascer fazia excursões pela galeria do Rock, em São Paulo, em busca de músicos para converter.

O cantor Roger Pontes, 23, acredita que a igreja tem poder transformador. “Muitos gays frequentam as festas gospel para tentar mudar sua situação. E, em geral, conseguem.” Ele mesmo diz ter recorrido à igreja. “Eu ia nas baladas e bebia muito. Depois acordava péssimo, não queria sair da cama. Parei.”

O bispo Christiano Guimarães afirma que a Sara Nossa Terra não exige que seus membros deixem de beber, fumar ou qualquer outra coisa. “Deus diz: ‘Vinde a mim como estás’. A gente ensina, mas a pessoa é livre.”




Fonte: Folha
----------

domingo, 13 de abril de 2014

Caminhando na contramão

Ser cristão é caminhar na contramão do mundo:
É buscar oportunidades para servir 
ao invés de buscar poder para ser servido; 
É aprender que dividir 
é mais importante do que multiplicar;
É não priorizar o que o mundo prioriza 
para viver o que de fato tem valor;
É enxergar a beleza do momento, seja ele qual for;
É fazer o contrário da lógica comum, 
dar a outra face ao que bate, 
dar perdão ao que ofende, 
pagar o mal sempre com bem 
e ainda se alegrar quando for perseguido por causa disto;
É estar sim disposto a MORRER por Cristo, 
mas também estar disposto a VIVER por Ele. 
Mas ser cristão, é também (muitas vezes) 
andar na contramão da própria igreja institucionalizada:
É buscar ter a fé de Jesus e não apenas ter fé em Jesus;
É dar mais valor ao espírito da reforma 
do que a doutrina dos reformadores;
É entender que o verdadeiro culto não termina ao final do culto;
É compreender que dar frutos 
significa tornar as pessoas ao seu redor mais parecidas com Jesus, 
mesmo que isto não implique que elas irão frequentar alguma igreja;
É saber que há somente UM intermediário entre nós e o Pai, 
e este não é o pastor, nem a missionária, nem o irmão de fé, 
nem a própria igreja, mas sim Jesus e somente Jesus.




Autor: Fernando Pavão
------------------

Disk-oração evangélico 'socorre' de problemas familiares a caso clínico

Igreja do Ministério Filadélfia anuncia sistema de disk-oração em Piracicaba 

Prática conhecida em igrejas evangélicas espalhadas pelo Brasil, o sistema de disk-oração começa a crescer em Piracicaba (SP). Na cidade, há ao menos duas igrejas que adotam o atendimento de fiéis ou de pessoas buscando auxílio religioso por telefone. A intenção das ligações, segundo relatos de pastores, varia de pedidos de conforto, preocupações cotidianas, problemas familiares e até mesmo casos clínicos, que recomendariam mais a presença de uma ambulância.

Pastor do Ministério Filadélfia, no Centro de Piracicaba, Ézio Porto contou que tem o sistema há 10 meses na igreja e tem recebido retorno positivo. "O telefone que passo é o da minha casa, então estou avaliando um jeito de oferecer o serviço da melhor maneira. Na maioria das vezes são problemas familiares, com filhos, casais e pais preocupados", disse.

O pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, Paulo Henrique Paranhos Ribeiro, contou também que em casos de grande emoção ou estresse chega a contatar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). "Às vezes a pessoa está com uma carga emocional elevada. Até mesmo nos cultos na igreja a gente tem sempre um suporte para ajudar caso alguém passe mal", afirmou.

Pastor Paulo Henrique Paranhos Ribeiro atende ligações 24 horas por dia

Ribeiro disse que o serviço é 24 horas e se reveza com a esposa para poder atender a todas as ligações, mesmo em horários que o tiram da cama. "Eu atendo ligações às 2h se for preciso. É nas horas mais improváveis que se encontra pessoas que mais precisam de oração, e é preciso estar acordado e disposto a ouvir e orar por essa pessoa", falou.

Não 'substitui' igreja

Na opinião de ambos, o atendimento por telefone "vai buscar" a pessoa em situações críticas. "Na maioria das vezes, quem liga está sozinho e em desespero, precisando de ajuda. A oração por telefone serve justamente para cortar o problema naquele momento, mas não substitui a ida à igreja", contou o pastor da Universal.

Porto também tem programas de rádio e televisão e acredita atrair muitos em função do trabalho de comunicação, mas o boca-a-boca ainda é a estratégia mais bem-sucedida. "O telefone e os meios de comunicação são muito eficientes, mas a indicação de amigos evangélicos ainda é o principal caminho para a conversão", completou.




Fonte: G1
--------

Novo programa do humorista Marcelo Adnet na Rede Globo faz sátira com Jesus Cristo

O novo programa do humorista Marcelo Adnet, o “Tá no Ar: a TV na TV” da Rede Globo, estreou na última quinta feira e apostou na sátira como forma de humor. Entre os alvos das piadas dos humoristas que compõe o quadro do programa estão inclusos programas de outras emissoras, comerciais de TV, o sucesso da “Galinha Pintadinha” e até mesmo Jesus Cristo.

O programa foi dividido em esquetes rápidas, algumas com apenas 30 segundos, em que cada uma delas fazia piada com um tema diferente.

As sátiras religiosas começaram com o “clipe da Galinha Preta Pintadinha”, que fez trocadilhos com o personagem infantil que está fazendo um grande sucesso atualmente. Uma galinha preta, que parece ter sido agredida, aparece cantando paródias de músicas infantis com trechos como “atabaque que bate, bate, atabaque que já bateu. Acendi vela para o santo, mas o santo não desceu” ou “macumba, macumbinha, vamos todos despachar, vamos dar ebó pro santo. Ebó pro santo vamos dar”.

As piadas com Jesus Cristo apareceram ao fim do programa, quando uma moça surge aliviada por terem feito piadas com as religiões afro-brasileiras e não terem satirizado sua religião.

- Ah, nossa eles tiraram o sarro da macumba. Ainda bem que não falaram mal da minha religião – afirma a moça, segundo o Yahoo! TV.

Então, aparece o personagem JC de Nazaré, uma referência clara a Jesus Cristo, cantando rap junto a seus companheiros, representando os apóstolos, e ao lado também de algumas odaliscas.

Além das piadas com religiões, os humoristas fazem também piadas com outros programas de TV, incluindo outras emissoras, e com comerciais que ficaram famosos. Entre eles o comercial que deram o nome de “Freebofe”, uma alusão à propaganda da Friboi com Roberto Carlos. No esquete humorístico, no lugar do cantor há um deputado que assume se tornado homossexual. A piada tem sido vista como uma crítica ao pastor e deputado Marco Feliciano, por relacionar a homossexualidade, tema que envolveu o deputado em uma série de polêmicas, a frases como “vou voltar para a comissão, e quando eu voltar vai acabar aquela zona lá”.



Fonte: Gospel+
------------

Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal afirma que "Deus dirá" se será candidato

"Deus, Deus dirá...". Com esta frase enigmática, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) respondeu se disputará a eleição de presidente da República em 2018. Segundo ele, muita gente ainda lhe cobra, pelas ruas, que dispute o Planalto este ano. "As pessoas não sabem que o prazo já se escoou", disse, referindo-se ao prazo de desincompatibilização de seis meses antes da eleição para servidores públicos como ele.

Barbosa deu essas declarações ontem, após participar no Fórum Ruy Barbosa, em Salvador, do início da implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJe) no Tribunal de Justiça da Bahia.

Democracia e mensalão

Barbosa disse que viu com "absoluta naturalidade" o episódio que ocorreu, recentemente, quando saía do Restaurante Frederic Chopin, em Brasília, e foi hostilizado por militantes do PT. O pequeno grupo chamou o presidente do STF de "tucano" e "projeto de ditador". Barbosa disse que nem "notou" a manifestação. "Quando fui notar já estava dentro do carro. Vi que eram três, quatro pessoas. O Brasil é uma democracia. Faz parte das liberdades".

Os petistas gritaram também: "Dirceu, guerreiro do povo brasileiro". O ex-ministro José Dirceu foi condenado como mentor do mensalão petista e está cumprindo pena na Penitenciária da Papuda. Barbosa se recusou a falar sobre o julgamento do mensalão, que ele presidiu. "Por favor, vamos mudar a fita".

Funcionários, advogados e juízes se acotovelaram, no fórum para ver, cumprimentar e tirar fotos com o presidente do STF ministro. Ao passar por um corredor que dava acesso à 13ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, onde o PJe foi implantado, ele foi aplaudido.

Justiça mais acessível

Crítico das duras condenações do STF no processo do mensalão, o governador Jaques Wagner dirigiu palavras amáveis a Barbosa.

"Vou dar mais uma vez as boas-vindas ao ministro Joaquim Barbosa, o que já tive oportunidade de fazê-lo menos formal, no Festival de Música Clássica de Trancoso (praia do extremo sul da Bahia). Para nós, é motivo de orgulho a presença do presidente do Supremo".

Barbosa elogiou a iniciativa do TJ-BA de instalar o PJe, cujo objetivo "é propiciar uma prestação jurisdicional mais célere, mais acessível e mais alinhada às necessidade do cidadão". Ele destacou, entre as vantagens da informatização sobre os antigos autos físicos, o fato de os processos ficarem agora disponíveis online em todo o país, para "todos os operadores do direito, reduzindo, assim, a necessidade de deslocamentos".

A redução de atividades "puramente burocráticas" vai diminuir a tramitação dos processos, eliminando, lembrou o ministro, "os antigos carimbos e numerações sequenciais infindáveis".

Disse que ao incentivar a instalação da PJe, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pretende ter o TJ-BA como "um parceiro e colaborador, oferecendo apoio humano e necessário para a instalação definitiva do programa".

A postura do CNJ em relação ao Tribunal de Justiça da Bahia mudou radicalmente após o afastamento, no ano passado, do presidente anterior da corte baiana, Mário Alberto Hirs, que está sendo investigado por irregularidades envolvendo precatórios. O atual presidente, Eserval Rocha, implantou uma série de medidas de austeridade e moralizadoras e tem recebido apoio do conselho.





Fonte: Portal A Tarde
------------------

quinta-feira, 10 de abril de 2014

O homem ideal

Nesses últimos anos, tiveram tantos casais começando a namorar, noivando e casando que se perde as contas. Muitas das minhas amigas já se encaixam em um desses três status de relacionamento. É a idade chegando, os amigos casando, aquela tia perguntando onde está o “namoradinho”, a sua avó sonhando estar presente no seu casamento e você com uma vontade incessante de realizar esse sonho dela, que é, principalmente, o seu.

Cada uma de nós imagina como será conosco. Mesmo sem conhecer, pensamos como será o nosso futuro esposo e, com certeza, já temos uma ideia de como queremos que ele seja. Inteligente, que tenha caráter e bom humor são as características que a maioria das moças quer para um futuro namorado e esposo. Independente do estado civil, esse homem ideal sempre vem à mente de qualquer uma. O que nós, mulheres cristãs, devemos fazer é perguntar qual o ideal que faz a nossa cabeça. Porém, a maioria de nós nunca parou para pensar que esse ideal começa pelas próprias mulheres. O homem ideal depende do tipo de mulher que somos, dos desejos que temos e em que acreditamos. Então, listamos alguns desses ideais ligados às mulheres, são os tipos mais críticos e mais comuns.

Ideal para a mulher perfeccionista

Quando falamos de ideal, quase nos remetemos à perfeição. Já que existem mulheres (não são poucas) que buscam isso num homem, nada melhor começar falando sobre essa situação. 

Nesse ideal, será difícil encontrar uma mulher que confesse que quer a perfeição (ou quase isso) num homem. A perfeccionista busca o “pacote completo”. Quer aquele que tenha, aja, compre, sinta, fale, ame e seja tudo o que ela sempre quis e sonhou. Ela quer aquele que, além de tocar no louvor, ensinar para as crianças, pregar e ser bonito, ele seja um esportista nato, muito inteligente e ainda goste de viajar. Pode ser que exista alguém assim, mas para quem é tão rigorosa, a lista do que “ele deve ser” nunca para por aí. Ela quer o impossível. Ela sempre quer mais. E muitas das que se encaixam nesse ideal ainda não perceberam isso. Algumas das perfeccionistas também acham que, por o rapaz ser cristão, ele deve ser perfeito ou nunca decepcionar. Mas ele não é e, enquanto viver, não vai ser.  

A busca por alguém impossível de encontrar faz com que a mulher perfeccionista sempre se entristeça. Seja por ele não ser aquilo que ela sonhou ou pela constante espera de conhecer esse homem. Certamente, o principal problema é que ainda não caiu a ficha dela de que nós, homens e mulheres, somos pecadores e imperfeitos. “Todos tropeçamos de muitas maneiras.”, é assim que começa Tiago 3:2. O próprio apóstolo Paulo diz em Romanos 7 que nada de bom é encontrado nele. Existem inúmeras passagens na Bíblia mostrando a imperfeição do homem. O nosso coração é mal por natureza, nós buscamos interesses próprios, nós pecamos contra o próximo e nós pecamos, principalmente, contra o Senhor.

Então, mulher perfeccionista, o ideal não seria querer um homem que seja perfeito.

Ideal para a mulher material

Diferente da perfeccionista, a mulher material só quer uma coisa num homem ideal: que ele tenha. Ela só namora aquele que tem carro e só continua se ele der presentes bons. Ela só casa com aquele que teria condições de comprar uma bela casa, de viajar várias vezes ao ano e de sustentar os seus luxos. Ela não seria capaz de sair do conforto que tem para ir abaixo do seu padrão. O verbo preferido da mulher material é “ter”. Para ela, não importa se ele não serve na igreja, se ele não tem uma vida devocional ou se ele não trata as pessoas bem. O seu principal foco é como ele vai sustentá-la. Esse é um extremo, mas existe.

Talvez você diga que isso não há dentro da igreja ou que está distante, mas a imagem do homem como provedor foi deturpada. Hoje as pessoas não se contentam com o necessário e, com toda certeza, está mais próximo do que você imagina. A própria família faz. Muitas vezes, a primeira pergunta que os pais fazem, “com a melhor das intenções”, ao saberem do novo namorado da filha é “o que ele faz da vida?”. Os olhos deles brilham quando a resposta é: estudante de engenharia, medicina ou direito. Para completar, só querem que as filhas casem depois que se formarem, tiverem um emprego fixo ou uma estabilidade financeira. O problema não é querer viver em boas condições, mas é ter isso como foco. Muitas vezes, esse pode ser o nosso próprio pensamento e também pode ser uma extensão dessa mulher material.

“Você diz: ‘Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada’. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego e que está nu.” Apocalipse 3:17 fala da pessoa ligada somente ao material e distante do Senhor. Ao invés de rica é pobre, miserável e digna de compaixão. Além disso, as riquezas vêm do Senhor, Ele nos dá a vida e nos abençoa com algo que não é nosso (Ec 5:19).

Então, mulher material, o ideal não seria um homem que tenha boas condições financeiras.

Ideal para a mulher egocêntrica

Ela também é mimada e controladora. Ela é diferente das outras por, na maioria das vezes, mostrar o ideal que quer só depois que começa o namoro ou quando se casa. Essa mulher busca alguém que satisfaça as suas vontades. Ela quer um servo (dela) ao invés de um parceiro. O homem ideal para esse tipo de mulher é aquele que faz tudo o que ela quer. Sem importar-se com quem ele é ou quer ser, ela só quer alguém submisso, alguém que possa mostrar para as amigas como prêmio, que pode fazer o que quiser com ele, que caia nas suas chantagens emocionais e que a tenha como ídolo. Ela quer ficar acima de Deus e da família. O amor da mulher controladora é condicionado pelo que ele faz por ela. Uma extensão dessa mulher é a ciumenta, que quer que o homem ideal viva só para ela e por ela. A mulher egocêntrica não admite nada disso, mas quer um homem assim.

Esse problema também está ligado à motivação da própria mulher. As humildes e submissas vão se tornando escassas e a procura de muitas é pela inversão desse papel. Os homens submissos a elas são sua prioridade. Mas isso também não está certo, a Palavra de Deus é clara em várias passagens sobre isso. Em Efésios 5, diz que quem deve ser o cabeça é o homem. Além disso, as Escrituras nos alertam sobre pessoas egocêntricas “Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos”. Mesmo que seja mínimo em nós, quando somos esse tipo de mulher, certamente buscaremos um ideal que não agrada ao Senhor.

Então, mulher egocêntrica, o ideal não seria querer um homem que satisfaça suas vontades.

Ideal para a mulher impaciente

Já essa mulher não tem ideal nenhum. Ela está desiludida com tudo e com todos. Desistiu, diz que não tem mais opções, cansou de esperar e partiu para a busca. Ouviu tantos dizerem que ela deveria baixar o padrão que ela já não quer mais padrão nenhum. O homem ideal para ela só basta que frequente a igreja e em alguns casos nem isso. Essa mulher se apaixona pelo primeiro que puxa uma conversa mais longa com ela. Ás vezes, não importa se ele já é comprometido, o que ela quer é alguém.

A mulher impaciente já não se importa com o que Deus tem para ela, quer tomar as rédeas da situação, já não se satisfaz no Senhor. O foco dela é em alguém que não é Deus. Com certeza, essa também será infeliz. Esqueceu que a prova da fé dela produz perseverança e se contentou com menos que o melhor de Deus, agindo por si. “Espere no Senhor, seja forte! Coragem! Espere no Senhor.” “Descanse no Senhor e aguarde por Ele com paciência; não se aborreça…” Os Salmos 27 e 37 encorajam! Em Romanos, a paciência é tida como riqueza. 

Então, mulher impaciente, o ideal não seria deixar de esperar. 

O verdadeiro ideal

Tantas de nós buscamos orientações para encontrar um homem ideal e até chega o momento que algumas se perguntam onde estão os homens de Deus, mas não atentamos que quem também está errando somos nós. O erro começa em cada uma que deseja um ideal longe dos padrões bíblicos. O erro aparece dependendo da inclinação do nosso coração. Ao olhar para nós, devemos enxergar se somos ou não a mulher ideal que um homem de Deus gostaria de se casar. Só seremos assim a partir do momento que nos preocuparmos menos em encontrar alguém e mais em buscar o único homem perfeito e santo que existe: Jesus Cristo. Nosso foco deve ser Jesus. Nós devemos querer ser como Ele e, consequentemente, seremos levadas a pessoas que tem o mesmo foco. De modo natural, seremos atraídas ao homem ideal: àquele que é, primeiramente, pecador, que tem o coração entregue ao Senhor, que O ama e que tem sede da Palavra.

“Se Cristo habitar em seu coração, então você será atraído pelo Cristo que é manifesto na vida dela.” Paul Washer

“O coração de uma mulher deve estar tão próximo de Deus, que um homem deve persegui-Lo para encontrá-la.”  C.S.Lewis

Esse homem e mulher ideais sabem que são imperfeitos e buscam humildemente ser semelhantes ao Pai (Mt 5:48); sabem que a maior riqueza deles está no Senhor, que a melhor herança que podem deixar para os filhos é a Palavra de Deus e que o Senhor suprirá as necessidades daquele que busca primeiro o seu Reino  (Lc 12:31, Fp 4:19); esse homem sabe que deve liderar a mulher como Cristo à Igreja, e ela, o estimula à liderança. (Ef 5:25); e cada um estimula a caminhada espiritual do outro.

Um pecador ideal para você é o que Ele tem. Somente sendo como Cristo é que os dois serão capazes de, no Senhor, amar profundamente, corretamente e pacientemente esse pecador que irá passar o resto da vida ao lado.

Então, que nós, mulheres cristãs, estejamos satisfeitas no Senhor e que Ele seja o primeiro que nos atraia, muito antes de qualquer homem ideal. 





Fonte: Larissa Nóbrega em Evangelho Urbano
-----------------------------------------

Pastor Silas Malafaia critica pais e líderes que não falam sobre masturbação com jovens e diz: “É pecado”

Masturbação é uma prática que, independentemente da religião, é adotada por muitos adolescentes, impulsionados pelos hormônios e pela falta de orientação e abordagem correta de pais e conselheiros. Sobre o assunto, o pastor Silas Malafaia publicou um artigo com o título “Masturbação é ou não uma prática pecaminosa?”.

No texto, Malafaia  – que é psicólogo – ressaltou que “abordar o tema masturbação à luz da Palavra de Deus não é algo simples”, e que por isso, muitos pais, líderes de jovens e pastores fogem da responsabilidade sobre o assunto, e isso resulta em desinformação. “A consequência disso é que alguns desses jovens, desinformados, poderão adotar tal prática, sucumbindo à culpa neurótica ou refugiando-se na educação secular e em padrões mundanos, que contrariam os princípios que Deus estabeleceu para o desenvolvimento sadio e equilibrado do ser humano. Isso traz sérios problemas à vida espiritual, psíquica e emocional”, ponderou o pastor.

“A masturbação é uma prática pecaminosa à luz da Palavra de Deus”, delineou o pastor, acrescentando que “talvez a maior dificuldade de alguns para lidar com a questão seja a inegável realidade da explosão hormonal na puberdade e o fato de a Bíblia não proibir explicitamente esta prática”.

No entanto, Malafaia ressalta que a ausência da proibição explícita “não nos impede de deliberar sobre o assunto, com base em textos mais genéricos, como os que estão em Gênesis 2.24, 38.6-8, Romanos 6.12, 1 Coríntios 6.12 e 1 Tessalonicenses 4.3-5”.

“Alguém consegue masturbar-se sem imaginar um ato sexual, sem ter fantasias eróticas e sem deixar-se dominar pela lascívia ou pela luxúria? Após ceder à masturbação, a pessoa consegue ficar isenta da vergonha e da culpa?”, questionou o pastor. Com esse raciocínio, Malafaia sugere que o estímulo a partir da imaginação do sexo com outra pessoa é tão pecado quanto a prática real fora do casamento.

“Deus criou o homem e a mulher. Eles foram criados com órgãos genitais distintos e a libido, o desejo de união sexual, a fim de saciarem os seus desejos mais íntimos de companhia, de intimidade e de afetividade — necessidades que só são plenamente satisfeitas a partir do casamento, da união legal entre um homem e uma mulher que deixaram afetiva, econômica e geograficamente os pais, ou seja, que atingiram a maturidade. Sendo assim, o ato pelo qual alguém exercita sua sexualidade solitariamente, proporcionando a si mesmo o orgasmo, é uma prática contrária ao projeto de Deus para a vida do ser humano”, conceitua o pastor.

Em sua conclusão, o pastor afirma que “Deus dotou o ser humano com um código moral, e toda vez que o infringimos há tristeza, dor, culpa, porque o salário do pecado é a morte (Romanos 6.23)”, acrescentando que “quando uma pessoa é subjugada por algo, ainda que seja um desejo legítimo, ela se torna escrava (2 Pedro 2.19)”.

“Em suma, não apenas a masturbação, mas qualquer prática sexual sem o compromisso do casamento entre um homem e uma mulher está fora do projeto de Deus, é pecaminosa e traz consequências funestas para o ser humano”, finaliza o pastor.



Fonte: Gospel+
------------

Em seus passos o que Jesus JAMAIS faria?

"Em seus passos o que faria Jesus?" é o título de um livro escrito por Charles Sheldon e publicado originalmente em 1896, nos Estados Unidos, com o título "In His Steps".

A obra conta a história de Henry Maxwell, pastor da Primeira Igreja da cidade de Raymond, que vive honestamente sua vida confortável e sem contratempos, até o dia em que surge em sua igreja um homem pobre e necessitado. O episódio o leva a questionar seus próprios valores, o seu modo de vida e prioridades, colocando diante de si a inquietante questão: "O que Jesus faria?".

A partir disso, decide propor aos fiéis de sua igreja que se comprometam durante um ano a não fazerem nada sem antes perguntarem o que Jesus faria na mesma situação. O desenrolar da história descreve as experiências, tanto de satisfação e realização pessoal, como também de conflito e incompreensão que vão enfrentando à medida que se empenham em levar adiante o desafio proposto.

Hoje em dia há tanta gente doente e inescrupulosa dizendo agir "em nome de Jesus", proclamando da boca para fora "seguir os passos de Jesus", mas negando-o nas atitudes, enganando, extorquindo,  manipulando e oprimindo que fica difícil encontrar Jesus, de verdade, nos passos destes. Ainda que eles gritem ou cantem nervosamente o nome de Jesus o tempo todo e façam até alguns aparentes sinais milagrosos.

Algumas vezes a imagem e referência do Jesus dos Evangelhos se apaga e se confunde com tanta demonstração tosca do que querem erroneamente fazer parecer Jesus, mas nem de longe se parece efetivamente com os passos de Jesus.

Mais do que levantar questões meramente morais ou culturais, percebo a urgência de esclarecer o que não representa e jamais se veria na vida prática do verdadeiro Jesus dos Evangelhos.

Acredito que boa parte do engano se dá pelo fato das pessoas não lerem e não conhecerem minimamente os Evangelhos, além da grande distorção que se faz com as escrituras por dinheiro ou para fazer perpetuar os domínios aprisionantes das instituições e dos rituais de poder humano.

Jesus jamais exigiu sacrifícios pessoais, esforço financeiro ou físico, presentes ou qualquer tipo de oferta para abençoar, curar, salvar, purificar e orientar as pessoas a sua volta.

Jesus jamais utilizou seu poder como estratégia de marketing pessoal. Embora os milagres fossem um sinal para que as pessoas cressem, e muitos o buscavam por causa dos prodígios e do pão que era multiplicado milagrosamente, Jesus jamais utilizou isso para segurar o povo a sua volta.

Jesus jamais distribuiu pão só para garantir plateia e ter a quem evangelizar.

Jesus jamais rejeitou qualquer pessoa por não professar a fé da mesma forma que ele a professava e a entendia. Mesmo Jesus frequentando sinagogas, tendo nascido no judaísmo, jamais deixou de andar e falar com pagãos, gentios, pecadores e toda sorte de gente considerada impura para os padrões da lei de Moisés.

Jesus jamais deixou a lei da religião ser mais importante que a vida e a misericórdia.

Jesus jamais deixou de amar. Jamais recusou a mesa e a comunhão mesmo a quem ele, de antemão, já sabia que o trairia. Até diante da angústia, do medo e do abandono, Jesus jamais se deixou ser vencido pelo rancor.

Jesus jamais usou em benefício próprio a influência que exercia sobre os discípulos.

Jesus jamais ensinou expandir o Reino através do acúmulo de bens ou da construção de templos.

Jesus jamais fez conchavos políticos, acordos com Roma ou com a religião dominante em troca de favores, cargos e liberdade para continuar pregando o que e onde bem quisesse.

Jesus jamais deixou de dizer a verdade por medo ou conveniência.

Jesus jamais disse a verdade para agredir, ofender ou provocar vaziamente.

Jesus jamais disse a verdade só para provar que estava certo.

Jesus jamais usou a verdade, ao contrário, se deixou ser usado por ela.

Jesus jamais denunciou o pecado sem amor, de forma constrangedora, ameaçadora ou sem acolher até as últimas consequências o próprio pecador envolvido.

Jesus jamais tratou os pecados particulares das pessoas de forma pública e vexatória.

Jesus jamais se deixou levar pela aparência externa. O que o fazia se desdobrar em misericórdia era a sinceridade interior e despretensiosa.

Jesus jamais ficou indiferente ao sofrimento, fosse ele de ordem psíquica, espiritual ou física.

Jesus jamais tratou com diferença pobres e ricos. Se alguma diferença ficou evidente, jamais foi contra a justiça.

Jesus jamais deixou de ser humano, mesmo sendo Deus se fez servo de todos.

Muitas outras coisas jamais se encontrariam no espírito e nos passos do Jesus dos Evangelhos, da Palavra de Deus feita carne, materializada e revelada definitivamente aos homens. Os passos de Jesus são reconciliadores,  libertadores e despertam para a vida ainda que tudo a sua volta seja caos e morte. O que não se enquadra no Deus que se entrega por amor e misericórdia não cabe nos passos de Jesus.

O Deus que jamais se deixa enganar nos ensine a discernir nossos passos e nos abençoe rica, poderosa e sobrenaturalmente!





Fonte: Ovelha Magra
-----------------

'Corrijo erros de Deus', diz cirurgião que já fez 320 mudanças de sexo

Protestante, o médico diz que inicialmente se questionou se deveria realmente fazer esse tipo de procedimento. Seu pastor foi contra. Amigos e colegas de trabalho brincaram que ele iria para o inferno.

Conhecido como o “pai dos transgêneros sul-coreanos”, o médico Kim Seok-Kwun desafia os costumes conservadores de seu país. Ele já fez mais de 320 cirurgias de mudança de sexo em sua carreira – acredita-se que seja o maior número de operações desse tipo feitas por um único médico na Coreia do Sul. Cerca de 210 dessas cirurgias foram para transformar corpos masculinos em femininos.

Kim é cirurgião plástico no Hospital Universitário Dong-A, na cidade de Busan, no sul do país. Ele se especializou em deformidades faciais e começou a fazer cirurgias de mudança de sexo em 1986, após ser procurado por vários pacientes homens usando roupas de mulher, que pediram que ele construísse vaginas para eles.

"Decidi desafiar a vontade de Deus", diz Kim, de 61 anos, em uma entrevista logo antes de operar um monge budista que nasceu mulher, mas toma hormônios e vive como homem há muitos anos. “No início, eu pensei muito se deveria fazer essas operações porque pensava se estaria desafiando a vontade de Deus. Mas meus pacientes precisavam das cirurgias desesperadamente. Sem isso, eles se matariam”, diz. Ele acredita estar corrigindo o que ele chama de "erros de Deus".

Agora, Kim afirma ser um profissional realizado por ajudar pessoas que se sentem aprisionadas no corpo errado. A cirurgia do monge, que não quis dar entrevista, durou 11 horas.

Cantora transexual

A maioria dos pacientes de Kim tem cerca de 20 anos. As cirurgias para transformar homens em mulheres custam de US$ 10 mil (cerca de R$ 22,7 mil) a US$ 14 mil (cerca de R$ 31,8 mil). O procedimento oposto, mais complexo, custa cerca de US$ 29 mil (R$ 65,8 mil).

Sua cliente mais conhecida é a mais famosa transexual do país, a cantora, modelo e atriz Harisu. Segundo ela, a dor que sentiu após a cirurgia que a transformou em mulher em 1995 era “como se um martelo estivesse batendo em seus genitais”. Mas dias depois, ao deixar o hospital, ela se sentiu renascida.

Kim é um pioneiro na lenta mudança na visão sobre sexualidade e gênero na Coreia do Sul, onde mesmo discussões básicas sobre sexo são um tabu para muita gente.

Mas a situação vem mudando. Filmes e seriados com personagens gays se tornaram famosos. Um ator que já foi banido do show business por ser homossexual voltou a trabalhar. Um conhecido diretor de cinema fez uma cerimônia simbólica para se unir ao seu parceiro – o casamento gay não é reconhecido na Coreia do Sul.

A cantora, atriz e modelo sul-coreana Harisu, uma das pacientes do Dr. Kim Seok-Kwun 

Antes de operar seus pacientes, Kim pede que eles tenham o testemunho de ao menos dois psiquiatras afirmando que há transtorno de identidade de gênero. Eles também são orientados a viver por ao menos um ano usando roupas do gênero oposto e a conseguir a aprovação dos pais.

Muitos pacientes veem a operação como uma questão de vida ou morte. Antes da cirurgia, Harisu assinou um termo afirmando ter conhecimento de que poderia morrer durante o procedimento – apesar de Kim dizer que isso nunca aconteceu com nenhum de seus pacientes. “Se eu continuasse vivendo como um homem, eu já estaria morto, de qualquer forma”, diz Harisu. “Eu já era mulher, exceto pelos meus genitais. Eu sou uma mulher, então eu queria viver como uma.”





Fonte: G1
--------

Noé: licenças e diferenças entre o filme e a Bíblia

A estreia de Noé vem acompanhada de polêmica. E não é à toa. Em alguns países como Bahrein, Catar, Emirados Árabes e Indonésia, de maioria muçulmana, o longa-metragem foi proibido. Tudo por causa da visão livre e fantasiosa que o diretor e roteirista Darren Aronofsky teve sobre a trajetória do personagem bíblico.

Antes de tudo, Aronofsky foi ousado. Como o livro sagrado dá curtas pistas da história de Noé, o diretor imaginou o que teria ocorrido antes, durante e depois do dilúvio. Ele preservou algumas passagens e deu asas à criatividade para recriar à sua maneira. Listei abaixo, algumas licenças (ou liberdades) tomadas por ele.

1) Noé (Russell Crowe) não recebe um chamado de Deus, como na Bíblia, para construir a arca. Ele tem, sim, sonhos e alucinações que o levam a construir a arca.

2) O nome de Deus jamais é pronunciado. É sempre “o Criador”.

3) Na visão de Aronofsky, os guardiões, anjos caídos que Deus deixou na Terra, são criaturas de pedra, frutos de efeito digital. São eles que ajudam Noé a construir a imensa arca.

4) Não houve uma tentativa de invasão à arca, comandada por Tubalcaim (Ray Winstone), descendente de Caim, como aponta uma eletrizante sequência de ação.

5) Tubalcaim não entrou na arca nem fez conchavo com o filho do meio, Cam, como sugere o filme.

6) Além de Noé e sua mulher, embarcaram os três filhos do casal e suas respectivas esposas. No longa-metragem, apenas o primogênito, Sem, leva a mulher, um órfã adotada pela família, interpretada por Emma Watson.

7) No filme, Cam (Logan Lerman) é um rapazinho e foge dos pais para arranjar uma namorada para entrar com ele na arca. Cam já se considerava na idade de ter uma companheira. Noé, que era contrário à ideia, acabou criando uma rebeldia no filho.

8) Para não explicar como todas as espécies de animais conviveram juntas por tantos dias dentro da arca, o roteiro simplificou: os bichos dormem o tempo inteiro.

9) Na Bíblia, não há indicação de quantos anos Noé demorou para construir a Arca. Calcula-se em cem anos. No filme, ele leva uma década.




Fonte:  Miguel Barbieri Jr. na Veja
----------------------------------

domingo, 30 de março de 2014

Procuram-se novos crentes

"[...] E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos." (Atos 2:47)

Adoro novos crentes. Eles são a alma da igreja. Quando tenho o privilégio de falar a outros pastores, digo-lhes que, se eles não têm um fluxo constante de novos crentes entrando em suas congregações, eles se tornarão espiritualmente mortos. Podemos evangelizar ou fossilizar.

Mostre-me uma igreja onde não surgem novos crentes e eu lhe mostrarei uma igreja estagnada. Mostre-me uma igreja onde regularmente novos crentes aparecem e eu lhe mostrarei uma igreja que tem vibração e vida.

Dito isto, os novos crentes precisam de crentes mais velhos para estabilizá-los. Os corações novos dos crentes estão cheios de zelo, mas eles não entendem as regras do jogo ainda. Eles precisam de crentes mais velhos para ensiná-los.

Crentes mais velhos também precisam de novos crentes. Eles precisam de seu zelo. Eles precisam de sua paixão. Eles precisam de sua emoção para lembrá-los do que têm esquecido.

Infelizmente, de modo geral são os novos crentes que querem fazer muito enquanto sabem tão pouco. Quando pedimos às pessoas para ajudar com alguma coisa em nossa igreja, muitas vezes temos novos crentes que vêm e dizem que querem ajudar: "Vou fazer tudo o que você pedir e gostaria de inscrever-me para seis ministérios.”

Ficamos muito agradecidos pela vontade de servir, mas queremos que eles tenham antes de tudo uma boa base para que possam ser devidamente treinados e equipados para fazer o que Deus os chamou a fazer.

Por outro lado, há crentes mais velhos que conhecem o Senhor há anos, talvez até há décadas, mas que não pensam em ajudar a igreja. São exatamente o oposto.




Fonte: Devocionais Diários
--------------------------

Políticos frequentam drive-thru de oração em Brasília, diz pastor

O músico Júlio Duarte de Souza, de 30 anos, enviou ao PAGE NOT FOUND o relato abaixo. O morador de Brasília registrou com câmera a atividade em um drive-thru de oração na capital federal. Ele chegou até a entrevistar um pastor no local:

"Que sanduíche, que nada! A moda agora na nossa capital federal é o Drive-Thru de oração. Tudo porque a Igreja Universal do Reino de Deus de Brasília resolveu inovar nos serviços prestados aos fiéis. Desde o início do mês, quem passa de carro pela EQS 212/213, Área Especial, na Asa Sul do Distrito Federal, pode receber bênçãos ali mesmo, sem sair do veículo. É coisa rápida: você para o carro, o pastor se aproxima, pede pra você colocar a cabeça pra fora da janela, ele te benze, te entrega um papel com umas orações e você segue o seu caminho. Tudo isso sem pagar nada!"

"De acordo com um pastor que não quis se identificar, a tenda do Drive Thru de Orações funciona das 8h às 20h, de domingo a domingo, atende a mais de 400 motoristas por dia e por enquanto o serviço ainda não é cobrado. 'É uma promoção para os fiéis', disse ele. Ainda segundo informações do pastor, em horário de pico rolam até uns engarrafamentos. Vários parlamentares já foram vistos no local recebendo suas bênçãos, mas o tal pastor achou melhor não citar o nome de nenhum".




Fonte: Page not found
-------------------

Às vésperas de seu casamento, Preta Gil revela sua conversão ao Evangelho: “Procuro seguir a Bíblia”

Preta Gil, cantora filha de Gilberto Gil, afirmou que se converteu ao Evangelho e tem na Bíblia, uma inspiração para tomar suas decisões. A declaração foi feita numa entrevista recente ao portal Uol.

Às vésperas de seu casamento com Rodrigo Godoy, Preta diz que tem recebido aconselhamento de um casal de pastores, mas prefere não se filiar a nenhuma denominação.

“Eu procuro seguir a Bíblia, sou cristã. Mas não me considero evangélica, pois não me enquadro a nenhuma dessas igrejas. Eu tenho um pastor e uma pastora que são meus guias, neles eu confio. Sem precisar passar por uma igreja ou coisa desse tipo”, disse a cantora, demonstrando enquadrar-se no perfil de novos evangélicos detectado pelo IBGE no Censo 2010.

Mesmo sob orientação de pastores, Preta se casará num templo católico, por seu noivo ser fiel à igreja romana. Para tanto, precisará passar por um curso, que é exigido pela doutrina católica.



Fonte: Gospel+
-------------

Com veto a cotoveladas e ring girls, evento une MMA e igreja

Religiões são associadas geralmente à tranquilidade espiritual e reflexão, enquanto o MMA ainda é visto por um número grande de pessoas como uma modalidade esportiva violenta. Unindo duas coisas que na teoria são opostas, o Reborn Strike Fight 6 colocará dentro de uma igreja um octógono e diversas lutas nesta sexta-feira.

Organizador do evento, Roberto Dantas Pedroso é professor de artes marciais há 14 anos e cuida dos treinos das dezenas de alunos que comparecem às segundas e quartas-feiras ao subsolo da igreja Renascer da Avenida Morais Costa, no bairro da Vila Industrial.

A academia possui instalações humildes e utiliza um espaço cedido gratuitamente pela instituição. Tudo no ambiente foi criado pelas mãos de Roberto e seus pupilos, que montaram o espaço a partir de materiais doados por estabelecimentos próximos.

Paredes e piso foram pintados pelos praticantes de MMA no local, pessoas de idade, gênero e tamanhos diferentes. No último treino realizado na academia antes do Reborn Strike Fight 6, o público presente variava desde crianças com menos de dez anos a meninas adolescentes e lutadores profissionais. Gratuitas, as atividades são abertas e aceitam inclusive alunos que não frequentam a igreja.

"Nós recebemos todos os tipos de pessoas, até ateu, que no fim sai falando Graças a Deus. Não tem que fazer parte da igreja Renascer necessariamente. Nosso projeto é mostrar que a vida pode ser melhor e, trazendo um pouco da palavra também. Levamos o treino sério, dedicado, tanto que estamos com lutadores profissionais. No começo era complicado, porque achavam que quem treinava na igreja não podia bater. Hoje vê que não só pode bater, mas que você pode praticar o esporte, independente se você tem um adversário na frente ou não. Nós temos essa visão de que todos podem vir, participar; Se quiser fazer parte, seja muito bem vindo", explicou Roberto.

Todos os presentes na academia participaram de primeira parte das atividades, que duraram cerca de uma hora. Durante elas, os alunos aqueceram e realizaram movimentos de lutas no ar, enquanto se viam no espelho colocado em uma das paredes do salão.

Roberto ditava o ritmo das ações, mas não participava delas. Enquanto os mais inexperientes aprendiam os movimentos básicos do esporte, o professor e também pastor da Renascer praticava jiu jitsu com Erick "Japonês", um dos dois atletas de mais destaque da academia e o primeiro a se firmar como profissional depois da inauguração da mesma há quase quatro anos. 

"Eu treino na Reborn tem quatro anos, sou um dos pioneiros. Vim treinar através de um amigo. O primeiro dia que eu treinei aqui eu não saí mais e é a equipe que eu represento. Aqui que eu me batizei também", disse o lutador, que continuou ao explicar que o que o atraiu para a equipe, se foi o esporte ou a igreja: "foi a academia. Eu vinha só por causa da luta mesmo, para se distrair".

O contato próximo com a religião, no entanto, ensinou Erick a ter autoconfiança, qualidade que o ajudou dentro do octógono. "Aprendi que eu tenho que ter fé, sem ter fé você não vai a lugar nenhum. Por exemplo, o Zé 'Reborn' treina bem menos tempo que eu e ele tem garra, tem deus no coração. Eu não entendia isso, mas hoje eu compreendo que a fé é tudo. Ele tinha bem mais fé do que eu. Ele acreditava nele. Eu não, sentia medo. Ele vai para cima e está onde está hoje. Acabei me espelhando nele para chegar em algum lugar", contou, citando o maior talento da academia.

Conhecido no meio profissional como Zé "Reborn", José Alexandre Elias da Silva, chegou só para a metade séria do treino, que teve início minutos antes das 21h. Nela, os lutadores mais experientes subiram no tatame para aperfeiçoar a técnica, enquanto as dezenas curiosos e iniciantes voltavam para casa. Praticante de MMA há pouco mais de dois anos, ele foi apontado pelos colegas da Reborn como maior talento da casa.

"Eu nunca treinei nada. Aqui foi o primeiro treino que peguei mesmo. Nunca treinei capoeira, sempre tive vontade, mas nunca treinei. Aí com essa oportunidade que surgiu eu comecei a vir e estou há dois anos treinando", afirmou "Reborn", que participará da disputa de cinturão do evento marcado para esta sexta-feira, em Santo André. No evento, o lutador enfrentará Washington Rodrigues, para quem perdeu em janeiro de 2013.

Com o objetivo de retomar o caminho das vitórias na carreira - Zé "Reborn" perdeu seu último combate -, o atleta tem treinado com seriedade e antes do início de cada atividade na academia. Antes de todas elas, uma oração é puxada pelo pastor Roberto, fato faz com que os alunos fiquem quietos e concentrados no momento de reflexão. 

"Todos os treinos nós temos uma oração no início, no finzinho do treino uma breve ministração da palavra, da verdade, e no fim outra oração. E sempre que alguém pede uma oração em alguma causa a gente sempre também faz", esclareceu Roberto, que também comentou sobre as distinções do torneio desta sexta-feira para as principais competições da modalidade, como o Jungle Fight e o UFC.

Esta espécie de "UFC de Cristo" tem certas diferenças fundamentais em relação ao principal evento da modalidade, parte delas relacionada à doutrina da igreja e outra por princípios estabelecidos pelo próprio professor. Não há ring girls, consideradas por ele uma "apelação", e cotoveladas são proibidas por terem como única finalidade "rasgar".

"As pessoas falam que não combina luta dentro da igreja, mas eu acho que a perversidade, a apelação para trazer público é a pior coisa. Nós não temos ring girl", justificou Roberto, que deu sequência a sua explicação: "se é para usar o cotovelo, não usa luva. Eu entendo assim, então já que é para preservar o atleta e o esporte é bem praticado é o esporte saudável, nós não usamos a cotovelada. Mas as demais coisas que são permitidas no UFC, nós também permitimos, porque faz parte da regra".

A sexta edição do Reborn Strike Fight será realizada nesta sexta-feira às 20h na Rua Luiz Pinto Flaquer, número 46, no centro de Santo André. A entrada custa R$ 30, dinheiro que será utilizado para pagar a bolsa dos atletas. A competição é considerada no cartel de lutas no MMA de todos os participantes e contará com apenas Zé Reborn dentre lutadores da academia paulista.





Fonte: Terra
----------

domingo, 23 de março de 2014

Qual o destino de bebês que morrem? Pastor John Piper afirma que “todos são salvos por intermédio de Cristo”

A salvação é um dos marcos da mensagem do Evangelho, tendo no sacrifício de Jesus na cruz a redenção do pecador que crê n’Ele e O aceita. No entanto, muitas perguntas são feitas a respeito de que destino teriam crianças e pessoas com problemas mentais que não tiveram acesso à mensagem do Evangelho e a chance de decidir aceitar a Cristo ou não.

A dúvida, recorrente no meio cristão (principalmente entre novos convertidos), foi feita ao pastor John Piper, líder do ministério Desiring God, e a resposta do pastor levantou questões como coerência e responsabilidade.

“Eu acho que todas são salvas”, disse o pastor. “A razão de eu achar isso é porque, em outras palavras, eu não acredito no princípio que diz que crianças nascidas de pais casados estão seguras, e crianças nascidas de pais separados não estão”, afirmou Piper.

Segundo ele, a “razão para pensar que todas elas são salvas é por causa do princípio em Romanos 1, onde Paulo argumenta que todas as pessoas que conhecem Deus não têm desculpa para não glorificá-lo como Deus”.

Piper explica que o “argumento é de que elas não têm desculpa porque elas têm conhecimento, e suas responsabilidades na presença de Deus no julgamento final serão baseadas, pelo menos em parte, no conhecimento que elas tiveram acesso. E Deus fala que todas elas tiveram acesso ao conhecimento, porque elas podem olhar as coisas que Ele fez e ver seu poder e divindade, mas elas suprimem esse conhecimento em vez de se submeterem a ele, então elas são todas condenadas”.

Sobre sua crença de que as crianças e pessoas com incapacidades mentais serão salvas, o pastor aplica o mesmo conceito no sentido inverso: “O princípio que está sendo levantado é de que se você não tem acesso ao conhecimento que te faz ser indesculpável, então você não será culpado. Eu acho que esse é o caso. E eu acho que bebês e deficientes mentais, ou seja, aqueles com profunda deficiência mental, não tem acesso ao conhecimento que eles serão chamados para serem responsáveis. Portanto, de alguma forma, Deus, por intermédio de Cristo, abrange essas pessoas”.

Assista:




Fonte: Gospel+
-------------

Freira italiana surpreende jurados no 'The Voice' italiano

Uma freira causou sensação na Itália depois de conquistar o júri do programa de televisão "The Voice" com sua interpretação da música "No One" de Alicia Keys.

A irmã Cristina, uma siciliana de 25 anos, participou na quarta-feira da segunda fase da edição 2014 do "The Voice", na qual o júri seleciona os participantes apenas ouvindo sua voz e sem poder ver o candidato.

Quando entrou no palco, de hábito preto e com uma cruz no pescoço, a freira surpreendeu pela aparência e pela voz, causando um verdadeiro furor nas redes sociais.

Até o cardeal Gianfranco Ravasi, o "ministro da Cultura" do Vaticano, publicou um tuíte, citando o apóstolo Pedro: "Cada um de nós, segundo o dom que recebeu, põem-no a serviço dos outros #irmãcristina".

"Tenho um dom, e eu o dou", disse a irmã Cristina a um dos membros do júri, a apresentadora e cantora Raffaella Carrà, que lhe perguntou se era, realmente, uma freira.

"Mas o que o Vaticano diz?", questionou o júri. "Espero um telefonema do papa Francisco", brincou Cristina.

O papa "nos diz que devemos sair (dos conventos), que digamos que Deus não nos exclui de nada, pelo contrário, Ele nos estimula a dar", acrescentou.

Assista:




Fonte: AFP
--------

segunda-feira, 17 de março de 2014

O maior dos sete pecados capitais

Todos os sete pecados capitais têm por objetivo a satisfação de um desejo.

O pecado da ira tem por desejo defender-se de uma suposta agressão ou atacar por pura maldade. O pecado da inveja tem por objetivo rebaixar aquele por quem se sente inveja. O pecado do preguiçoso consiste no desejo – ou na falta de – que o faz ficar deitado ou nada fazer. O pecado da avareza em desejar bens que não lhe pertencem. A gul, em se apropriar de alimentos, não para suprir as necessidades do corpo, de vitaminas e etc, mas apenas para obter prazer. E a luxúria visa também apenas o prazer.

Já, o orgulho, se alimenta de um desejo mais perverso que todos os mencionados anteriormente. Um desejo muitíssimo mais perverso que cada desejo particular próprio a cada um dos sete pecados capitais. Se o desejo que alimenta o pecado da ira é o de agredir; o desejo que alimenta a inveja é rebaixar; o desejo que alimenta a preguiça é a moleza; o desejo que alimenta a avareza é a posse e, o desejo que alimenta a gula e a luxúria é o prazer... o desejo que alimenta o orgulho é o de superioridade. O orgulhoso deseja sentir-se superior aos demais. Superior a todos! 

Justamente por ser o desejo de superioridade o alimento da pessoa orgulhosa é que este pecado foi considerado pela tradição cristã como o maior e mais nocivo dos pecados. Nele o pecador não se dirige mais a uma finalidade especifica como, agredir, rebaixar, malemolência, possuir ou obter prazer. Nele, no orgulho, não há objetivo específico. A pessoa orgulhosa pode agredir ao mesmo tempo em que rebaixa o outro,... enquanto rouba, possuindo aquilo que não lhe pertence... obtendo também, o máximo de prazer possível e imaginável com toda esta alquimia. Pois tudo vale quando se deseja “ser superior” aos outros.

É por isso que, segundo o Gênesis, primeiro livro da Bíblia, onde se narra a estória de como Deus criou o mundo, a serpente foi expulsa do Paraíso. Pois nela estava o maior e mais nocivo de todos os pecados. Ela, a serpente, queria ser igual ou até maior que Deus.

Portanto, amigo, cuidado! Todos os pecados aqui mencionados são pecados veniais (perdoáveis), mas o pecado do orgulho pode lhe fazer cair das alturas, como a serpente caiu do Paraíso. Pode lhe fazer, inclusive, ficar sozinho. Lembre-se: Adão e Eva também caíram, mas houve arrependimento e remissão. Mas a serpente ficou solitária, junto às hostes espirituais da maldade (seus comparsas) e, sem chance de remissão.

Já ouviu falar de algum empresário rico que não mede consequências para subir na vida? Então, neste caso, a subida parece mais como uma queda, aonde o soberbo sobe, sobe e sobe, caindo em profunda solidão e, não poucas vezes, sem a simpatia e solidariedade de ninguém.

Até mesmo a bebedeira pode proporcionar ao homem o sentimento de solidariedade e um sentimento cristão (ainda que o ato de beber seja ruim em muitos sentidos). A avareza, bem como todos os demais pecados, pode ceder lugar ao arrependimento, que é um sentimento saudável, tanto sob o enfoque cristão e espiritual como sob o enfoque psicológico. Mas o orgulho não pode produzir nada de bom, nem mesmo o arrependimento.

O remédio para a soberba é a humildade. A soberba é representada nas sagradas escrituras pela figura de Lúcifer - o anjo que queria ser poderoso como Deus- , ao passo que a humildade é representada pela figura de Cristo – o homem que sendo igual a Deus escolheu por rebaixar-se à condição humana e a sofrer a morte mais humilhante para a época, a morte de cruz. Pois na cruz eram postos os assassinos, os ladrões, todos os que eram tidos como a escória da sociedade.

O fim da pessoa orgulhosa é o afastamento dos homens e de Deus- o isolamento -, ainda que a pessoa não perceba isto de pronto. Já a humildade une as pessoas, tornando-as mais compassivas, justamente por reconhecer o quão vulnerável e errante se é, e não tendo vergonha em pedir auxílio. Até mesmo o mais inveterado pecador consegue se achegar de Deus se tiver humildade, porém, até mesmo a maior da boas ações afasta o homem orgulhoso de Deus e de seus semelhantes, pois o orgulho faz com que ele veja a todos de cima para baixo. Já o humilde vê a todos de igual para igual, reconhecendo a precária condição humana em todos os seus semelhantes, não enaltece a ninguém e tampouco despreza ninguém. É equânime para com todos.




Fonte: Ultimato
--------------

domingo, 16 de março de 2014

Na Record, funkeiro canta “Pastor Marginal” em alusão a Edir Macedo. Assista

Durante apresentação no programa “Cidade Alerta”, funkeiro canta música crítica ao pastor, dono da emissora e líder da Igreja Universal

Na  sexta-feira dia 7 a edição do programa “Cidade Alerta – Espírito Santo” causou mal-estar dentro da emissora. Isso por que o convidado especial do programa, MC Jefinho Faraó, cantou a música “Pastor Marginal”, que é uma crítica direta ao pastor Edir Macedo, dono da emissora e líder da Igreja Universal do Reino de Deus.

A cena se deu no fim do programa, quando o apresentador Ricardo Martins, alegando dor de barriga, se ausentou do programa e o funkeiro continuou a sua apresentação ao vivo. Foi neste momento que ele começou a cantar “Pastor Marginal”: ”Oooo Pastor Marginal, da Igreja… /foi quem pegou nosso dinheiro/ pega ele e dá um pau/ Lembro dele no Maracanã/ à toa ele sorria/ ele ficou rico da noite para o dia”, diz a canção.

De acordo com a coluna “Outro Canal”, a apresentação do funkeiro gerou uma enorme confusão e pode resultar em demissões.

A seguir, assista ao vídeo e confira a apresentação do MC Jefinho Faraó:




Fonte: Revista Forum
-----------------

Bispo reúne membros após o culto para confessar adultério e cai morto

Uma confissão de pecado em busca de perdão seguida de morte. Foi dessa forma que terminou a vida do bispo Bobby Davis, fundador da Miracle Faith World Outreach Church, em Bridgeport, no estado norte-americano de Connecticut.

No último domingo, o bispo reuniu toda a congregação no templo e confessou um caso de infidelidade, e no meio de seu relato, caiu morto.

Os membros da congregação chamaram socorro para o bispo, mas segundo os policiais, quando Bobby Davis deu entrada no Hospital de Bridgeport, foi declarado morto pelos médicos.

Sede da igreja fundada pelo bispo e local de sua morte

“Depois do culto no domingo a família do bispo nos pediu para permanecer na igreja e o bispo confessou-nos algo que aconteceu há muito tempo. Ele queria estar limpo com todos nós. Queria pedir nosso perdão”, afirmou Judy Stovall, uma anciã na igreja.

“Nós estávamos gritando: ‘Nós te perdoamos, nós amamos você’, mas o stress de tudo isso o levou a ter um ataque cardíaco. Eu segurei sua cabeça enquanto ele estava no chão”, afirmou Stovall ao CT Post. “A nossa congregação está sofrendo agora”, acrescentou.



Fonte: Gospel+
-------------